Tag: Aposentadoria

Como Investir com Pouco Dinheiro? – e da forma Correta!

É possível que você ou algum conhecido seu já tenha feito essa pergunta: Como Investir com Pouco Dinheiro? O grande problema quando alguém busca um bom investimento é buscar apenas as aplicações que tenham bons rendimentos!

No entanto, o mais importante é ter uma estratégia clara de onde você deve aplicar seus recursos todos os meses quando sobra alguma coisa. É justamente sobre como realizar essa estratégia que eu vou falar hoje.

Saiba mais

Uma Cerveja ou sua Aposentadoria?

Sabe aqueles momentos que você está fazendo algo e, do nada, você tem aquele momento de reflexão repentina? Você chega até a ficar aéreo, olhando pro nada, distraído em seus próprios pensamentos. Eu tive isso em um PUB. Comecei a me perguntar “qual seria o impacto financeiro de tomar cerveja pro resto da minha vida?” Minha conclusão foi assustadora: eu poderia acabar abrindo mão de minha aposentadoria! E assim, decidi compartilhar com vocês, hoje! 🙂

 

 

Relação Cerveja x Aposentadoria

Espera um pouco… Como assim “A sua Aposentadoria está dentro de uma cerveja”? Ahm? Vamos entender como cheguei a essa conclusão. Eu estava num Happy Hour com meus amigos, em um PUB aqui de São Paulo. Depois de uma cerveja aqui e outra ali, parei para analisar e calcular os gastos de tomar uma cerveja durante longos prazos (é, eu gosto bastante de calcular até coisas simples como essa).

Para eu me embasar melhor, no dia seguinte eu fui pro escritório e fiz uma enquete com meu colegas de trabalho. A maioria são homens que, comumente, consomem cerveja no seu dia a dia (mas as mulheres também não ficaram de fora dessa ein). O resultado foi que uma pessoa consome, aproximadamente, 25 cervejas por mês (pelo menos aqui no escritório).

 

Calculando os gastos

Na ponta do lápis, 25 cervejas por mês são 300 cervejas por ano. Considerando uma cerveja Long Neck no valor de R$ 7,50 cada, teríamos gastado R$ 2.250,00 no ano! Isso porque a gente ta falando de cerveja. Se fizermos esse exemplo com Uísque, Vodca, Vinho ou outras bebidas, teremos valores ainda mais variados. Sem contar a bebida mais cara do mundo, o Henri IV Dudognon Heritage Cognac Grand Champagne no valor “irrisório” de R$ 2 milhões de dólares!

Voltando a realidade, se você projetar esse dinheiro para toda a sua vida, dos 18 anos aos 65 anos, estaremos falando de 47 anos tomando cerveja! Investindo R$ 2.250,00, dariam algo em torno de R$ 750 mil reais. Incrível, né?

 

Não deixe de acompanhar nosso canal do Primo Rico. Se inscreva lá e curta o vídeo para ajudar o canal a crescer e espalharmos o conhecimento financeiro para todos. Ah, sempre que tiver qualquer dúvida ou sugestão, não se esqueça de deixar seu comentário aqui embaixo ou no próprio canal. Estarei sempre a sua disposição. Grande abraço e bons Investimentos.

 

Quando começar uma aposentadoria privada?

aposentadoria

Um dia um amigo me perguntou: “Primo, estou ficando velho, quando me aposentar quero ser rico, mas não sei por onde começar minha aposentadoria…” – tive que interromper meu chegado: “E porque você ainda não começou?!”. Este é só um dos exemplos que eu ouço muito por aí.

Mas a dica que vale um milhão de reais (literalmente, pense só) é: comece a sua aposentadoria privada já! Não venha reclamar depois que não avisei.

Saiba mais

Como organizar o seu orçamento doméstico para investir em aposentadoria?

Outro dia, na fila do supermercado, fui abordado por um conhecido: “Primo, a idade ainda não bateu, porém eu quero começar a investir na aposentadoria. Li o seu artigo sobre previdência privada e já quero começar logo.”

Você ainda está pagando o financiamento da casa, poupando para a faculdade dos seus filhos e está tudo bem apertado? Confira este artigo que escrevi sobre orçamento doméstico!

Faça uma autoanálise da sua vida financeira

Faça um raio x completo da sua dívida. Escolha um período (por exemplo, 30 dias) e levante os gastos e as receitas do período! Não se esqueça de anotar tudo, até mesmo a balinha que você aceitou de troco do dono da drogaria!
O ideal aqui, é utilizar o Excel (mas pode ser feito no caderno também) e comparar, em percentual, o quanto os seus custos representam da sua renda, separar os custos fixos (aqueles que você é obrigado a arcar no curto prazo, como financiamento de imóvel, combustível e etc.) dos custos variáveis e/ou supérfluos.

Defina o quanto vai poupar e o limite de gastos

“Primo, não deveria limitar os gastos para depois poupar? ”. Claro que não! A poupança não é aquilo que sobra no final do mês, mas um valor percentual da sua renda definido! O ideal é definir o quanto poupar (é daqui que virá o dinheiro da sua aposentadoria) e um percentual para reservas de emergência. O ideal para poupança, é de no mínimo 10%, mas vale lembrar que quanto mais poupar, e quanto mais cedo, maior o montante de dinheiro você terá para a sua aposentadoria! Após definir a poupança, defina os seus gastos.

Tome cuidado com os custos fixos

Os custos fixos, como já explicados anteriormente, devem estar limitados a 50% da renda. Se forem maiores do que isso, a situação pode ficar um pouco mais difícil de se administrar, sendo necessário repensar o padrão de vida.

Em alguns períodos de desequilíbrios, não há problemas de se economizar nos outros custos para bancar os fixos. Porém, o ideal é que essa situação não se torne rotineira.

Por fim, aprenda sobre investimentos! Guardou tanto dinheiro e não sabe aonde colocá-lo, ou tem receio de começar a poupar por não saber o que fazer com o seu capital?

Conheça as opções de investimentos disponíveis

Até mesmo para aquelas pessoas que não tem tempo algum pra se dedicar à isso. Fundos de investimento, títulos públicos e títulos de renda fixa são exemplos de investimentos que não consomem tanto tempo assim do investidor (porém, claro, é preciso verificar sempre como anda a coisa).

Alguns investimentos possuem suas vantagens e desvantagens, sendo necessária uma leitura prévia antes de começar. Para aprender mais sobre alguns investimentos, assine a nossa newsletter!

Por agora, paramos por aqui. Já mostramos um bom começo para você se tornar um primo rico. Não deixe de acompanhar os outros posts para ficar por dentro das mais variadas oportunidades de investimentos e produtos financeiros.

Além disso, que tal ser um pouco mais radical e aposentar aos 30? Confira o meu texto sobre o assunto!

A Previdência Privada renda mais que a poupança?

Não é difícil ver por aí questionamentos a respeito do rendimento da Previdência Privada e da Poupança. Como não dá para prever o futuro, a melhor solução para evitar surpresas com relação a isso é cuidando do dinheiro no presente, poupando e investindo recursos com os olhos focados nas necessidades que podem surgir lá na frente.

 

Poupança está entre as opções mais buscadas pelos Brasileiros

 

Mas acerca desse assunto ainda existem uma série de dúvidas se a previdência privada é ou não uma opção melhor que a poupança quando o assunto é poupar e investir dinheiro pensando no futuro, dúvidas essas que tem levado muitas pessoas a investirem muito mal.

Pode parecer surpresa para alguns, mas a caderneta de poupança ainda está entre as opções mais buscadas por milhares de brasileiros quando o assunto é investir, e as principais justificativas para que ainda hoje esse tipo de produto seja referência entre o público quando se fala em acumular recursos é a facilidade ao acesso já que ela está entre as opções mais ofertadas pelo banco.

 

A verdade sobre a Poupança

 

A verdade é que a preferência pela poupança tem raízes históricas, sociais e podemos dizer até que culturais, que foram passadas de geração em geração ao longo dos seus 150 anos de existência. Os motivos que levaram a poupança a cair na graça do povo e estabelecer um posto digamos que ‘insubstituível’ na vida de muitos brasileiros foi a forma aparentemente simples e segura que ela oferecia para “guardar as economias” de garantindo uma alta rentabilidade e ainda com a isenção do Imposto de Renda. Parece perfeito, não é verdade? Temos que admitir que a poupança já teve seus dias de glória, mas isso ficou no passado. E se águas passadas não movem moinhos, as maravilhas  da poupança lá no passado não podem ser fatores relevantes para a considerar como bom investimento nos dias de hoje.

Apesar de muitos manterem a poupança como uma forma de guardar um dinheiro sem um destino certo, ou simplesmente como um ‘pé-de-meia’ para emergências ou algo do gênero, ainda há quem aposte nela como uma boa alternativa de investimentos, na esperança de trazer retornos significativos lá na frente. Mas a verdade é que não importam quais sejam os motivos que possam levar a manter o dinheiro na poupança, ela continua sendo um péssimo negócio.

 

Rentabilidade da Poupança x Inflação

 

Felizmente muitos já têm descoberto que há muito tempo a poupança deixou de trazer resultados vantajosos. De forma bem prática, antes de investir é necessário avaliar se ao longo prazo o seu dinheiro vai acompanhar a economia ou será desvalorizado mediante as variáveis as quais estamos expostos, como por exemplo, a inflação. Hoje a poupança rende em torno de 0,68% ao mês o que equivale à aproximadamente 8% a ao ano, diante dos atuais 10,48% da inflação, ou seja, com o decorrer do tempo seu dinheiro aplicado em uma poupança perde o poder de compra. Deixa eu te explicar melhor: ao fazermos a conta vemos que a poupança não tem trazido resultados tão satisfatórios assim como já foi um dia, perdendo cerca de 3% para a inflação. Parece pouco, mas se colocado na prática esses 3% fazem uma enorme diferença. Podemos exemplificar isso da seguinte maneira: vamos supor que em determinado período você mantivesse $100.000 na sua poupança com a intenção de comprar futuramente um bem qualquer que hoje custa esse valor. Passado esse tempo o preço desse mesmo bem que antes custava $100.000 é corrigido pela inflação que hoje está 10.48% e passa a custar em torno de $110.480, paralelamente a isso sua poupança nesse mesmo período rendeu 8%, e dessa forma, seus $100.000 se tornaram $108.000. Ou seja, se você ainda desejar adquirir aquele mesmo bem vai ter desembolsar mais $2.480 que poderiam ser usados para qualquer outra coisa. Então podemos dizer que você perdeu dinheiro já que suas economias na poupança não sofreram a valorização necessária para acompanhar a economia.

 

Novas Alternativas de Investimento – Previdência Privada

O acesso a esse tipo de informação tem levado muitas pessoas a mudarem sua forma de poupar dinheiro e se preparar para o futuro de forma adequada optando por alternativas que apresentam melhores resultados. E é aí que entra a previdência privada.

No geral a previdência é indicada a quem tem planos para o longo prazo, e o principal deles sem dúvidas é a aposentadoria. E como toda forma de investimento, ela deve estar atrelada a um bom planejamento, que atenda as expectativas e os desejos que temos a respeito do amanhã.

Existem diferentes tipos e planos de previdência, cada qual com suas características próprias, adequados a públicos específicos. De certa forma os fundos de previdência se assemelham muito aos fundos de investimentos, porém sem o come-cotas (falaremos mais sobre isso depois), podendo optar por um fundo em renda fixa ou até multimercado,  e a rentabilidade do fundo de previdência está relacionada ao tipo de investimento que ele faz. Geralmente a rentabilidade apresentada utiliza o CDI como referência, mas há fundos de previdência rendendo mais que isso. Nem preciso dizer que de longe supera os 8% da poupança.

Um dos fatores que tem ajudado muitos a obterem melhores retornos nos fundos de previdência é a flexibilidade que ela oferece de poder migrar de um tipo de fundo para o outro, por exemplo, se a renda fixa está melhor mudamos para renda fixa, se um fundo multimercado tem alcançado uma rentabilidade maior, migramos para essa opção, e dessa forma é possível melhorar ainda mais os resultados obtidos.

É muito importante antes de aderir a um fundo de previdência entender como cada um funciona, o público que se destina e qual mais se adequa ao seu perfil. A escolha correta possibilita maiores retornos, e para isso vale contar com ajuda de um profissional, assim evitamos erros comuns que tem levado muitos a acreditar que manter uma previdência não vale a pena.

 

Previdência é para o Longo Prazo

Mas não se engane a previdência é um investimento para o longo prazo! Porém isso não significa que se seus objetivos forem para o curto prazo compensa manter a poupança, nada disso! Existe uma variedade de investimentos que possibilitam o resgate a qualquer momento, tão seguros quanto à poupança, porém rendendo muito mais.

A proposta aqui era desmistificar a poupança como o “melhor e mais seguro” investimento que existe e sem muitas dificuldades mostramos que ela não é. E também mudar a imagem negativa que muitos têm a respeito da previdência privada.

E como vimos, se o desejo é poupar para a aposentadoria é necessário que as opções escolhidas acompanhem a economia e valorize cada centavo investido no decorrer dos anos.

Bom, se você tem mantido seu dinheiro na poupança, agora o que não faltam são motivos para você tirar de lá.