Autor: Hugo Gonçalves

Como se comportar em uma entrevista de emprego!

entrevista de emprego

Segundo o último levantamento do IBGE, no Brasil há 13,1 milhões de desempregados. Em outras palavras, temos 13 milhões de pessoas procurando por uma entrevista de emprego no país.

Mas se engana quem acha que o problema é apenas “encontrar” a entrevista de emprego. Muitos brasileiros não sabem, exatamente, como se comportar em uma entrevista de emprego, e em momentos como este, perder uma chance por não saber como se comportar em uma entrevista de emprego não é nada legal.

Por isso, o artigo de hoje tem um objetivo: te ensinar como se comportar em uma entrevista de emprego para aumentar ainda mais as suas chances de ser contratado!

Serão 5 dicas especiais. Vamos a primeira:

1- Pense no problema da empresa, e demonstre ser solução

Para uma empresa realizar uma entrevista de emprego, é fato: elas precisam de uma pessoa para resolver um problema.

Logo, uma excelente forma de como se comportar em uma entrevista de emprego é, justamente, se mostrando ser a solução para o problema que a empresa procura resolver.

Geralmente nós focamos tanto em acrescentar adjetivos à nós (como esforçado, focado, etc.) que esquecemos de fazer isso.

Portanto, quando vier perguntas como a clássica do “me fale um pouco sobre você”, ao invés de perder tempo falando muito sobre você e sobre a sua vida pessoal, fale sobre a sua trajetória profissional e porquê você é a solução que a empresa procura.

Pode ter certeza que a sua entrevista de emprego será muito mais positiva ao fazer isso!

2 – Seja sempre verdadeiro, mas saiba usar a sinceridade ao seu favor

No meio da entrevista de emprego, sempre há aquelas perguntas mais “delicadas”, onde o entrevistador pede para que você liste defeitos ou que comente experiências das quais, por exemplo, você tenha discordado de um superior.

Muitas vezes, no nervosismo, acabamos preferindo mentir ou até mesmo falar mal do antigo chefe pra tentarmos sair como o “lado bom” da história. Mas isso está errado.

O ideal é que você seja transparente, fale dos seus defeitos e de possíveis problemas que você teve no seu trabalho passado, mas que você ressalte também que já aprendeu ou que está aprendendo com os seus erros.

Por exemplo, se você se desentendeu com o seu antigo chefe, independentemente de quem está certo ou errado, é muito importante que você diga que aprendeu com esse muito com esse problema e que hoje já entende o que pode ser feito para evitar esse tipo de situações.

Esse tipo de resposta e sinceridade conta muito.  

3 – Destaque menos o esforço em prol da eficiência

O nosso senso comum tende a assimilar o esforço como uma característica muito boa para destacarmos na entrevista de emprego. Mas isso está errado.

Não que o esforço não deva ser mencionado (ele é positivo!), mas há algo muito melhor a ser mencionado: a eficiência.

O segredo da produtividade não está no quanto de esforço você coloca em seu trabalho, mas sim o quanto do seu esforço gera de resultado A MAIS pra empresa.

Por isso, uma forma muito interessante e efetiva de como se comportar em uma entrevista de emprego se passa, justamente, nessa relação.

Só que a sacada de gênio aqui é: o erro que as pessoas cometem ao falar sobre eficiência é que elas deixam a conclusão para o entrevistador.

Não adianta você falar somente que você é eficiente. Você que tem que criar a noção da diferença entre esforço e eficiência na cabeça dele.

Então, quando for falar sobre isso, simplesmente diga: “eu poderia te dizer que eu sou uma pessoa muito esforçada, mas a realidade é que mais do que esforço, eu procuro sempre ser mais eficiente com o esforço que eu coloco no meu trabalho. Não sou o tipo de pessoa que se esforça pra caramba e produz pouco resultado. Sou o cara que se esforça e procura sempre produzir mais com o mesmo tanto de esforço.”

Passar isso ao entrevistador vai te dar muitos pontos.

4 – Tenha energia durante a entrevista de emprego

Apesar de parecer algo meio “superficial”, é fato: ter energia (gesticular, sorrir, etc.) ajuda bastante a passar numa entrevista de emprego. Principalmente se isso é algo requisitado pela empresa.

Vamos a um exemplo.

A raízen, principal fabricante de etanol de cana-de-açúcar e uma das 4 maiores empresas em faturamento do país, está com o “programa de estágio talentos raízen 2019. Na mesma energia que você”. Este programa ficaráaberto até o dia 15/04/2019 (para acessar a página do programa, é só clicar aqui).

Ao acessar a página do programa e descer o mouse, você se depará com a seguinte descrição sobre o programa:

Veja que a descrição deles para o programa é que o programa de estágio “é para quem tá cheio de energia”.

 Aos olhos comuns, vai parecer que isso não tem nada demais. Mas e se você realmente demonstrar energia na entrevista de emprego, e dizer, na primeira oportunidade, que você tá cheia de energia assim como estava descrito na página do programa?

Além de você demonstrar que teve interesse em ler o que a empresa escreveu, você ainda mostra que é o perfil de pessoa que a empresa está procurando.

É óbvio? Talvez. Mas é assim que você entende como se comportar em uma entrevista de emprego de forma eficiente.

5 – Não tente ser sempre o “certo”

Um outro erro muito comum na hora de se comportar na entrevista de emprego é quando nós tentamos ser sempre a pessoa que está “certa”. Isso acontece principalmente nas dinâmicas.

Se você já fez alguma dinâmica, provavelmente lembra de alguém (e esse alguém pode ser você), que tentou destacar os erros ou pontos fracos de algum concorrente na dinâmica.

Acredite em mim: é muito melhor você fazer o contrário.

Concordar com alguns pontos de uma outra pessoa na dinâmica, principalmente quando isso envolve reconhecer algum erro seu, conta muito positivamente para você.

Hoje, as empresas procuram muitas pessoas que saibam reconhecer os seus erros e trabalhar em equipe. Se você fizer isso com maior frequência, os seus resultados em qualquer entrevista de emprego e dinâmicas de grupo que você chegar, vão ser melhores.

6 – Pesquise sobre a empresa que você está participando do processo seletivo

Isso pode parecer muito óbvio, mas pesquisar sobre a empresa antes de aparecer na entrevista de emprego faz total diferença.

E se você fizer realmente uma boa pesquisa, você pode usar até pequenos detalhes ao seu favor.

Um exemplo de informação que você pode conseguir com isso é o dress code.

Se você entender como os funcionários da empresa em questão se vestem e se vestir de acordo, isso pode garantir a você já alguns pontos antes mesmo de passar pela entrevista de emprego.

Para aproveitarmos o exemplo da raízen que eu dei anteriormente, faça um exercício:

Procure saber mais sobre a Raízen e assista a série de vídeos da 1º feira digital na página do Linkedin da empresa: http://bit.ly/2Ul0y8N

Preste atenção nos detalhes. Provavelmente você vai descobrir muitos detalhes sobre a empresa e chegar ainda mais afiado na entrevista de emprego deles!

Com isso, chegamos ao fim de mais um artigo! Agora, você com certeza deve entender melhor como se comportar em uma entrevista de emprego.

Espero que tenha gostado do conteúdo, e não deixe de escrever um comentário caso tenha tido dúvidas, ou queira nos dar um feedback!

Até a próxima!

Como investir em fundos imobiliarios com pouco dinheiro, na prática!

Cada vez mais os fundos imobiliarios tem caído no gosto do investidor brasileiro.

Sendo uma boa alternativa ao investimento em imóveis, entender como investir em fundos imobiliarios se tornou extremamente relevante para que nós possamos tomar decisões de investimento cada vez mais inteligentes.

Por isso, no artigo de hoje, eu irei te ensinar exatamente como investir em fundos imobiliarios com pouco dinheiro, por meio de um passo-a-passo bem simples!

Este artigo será separado em 2 partes:

  1. O que você precisa saber antes de saber como investir em fundos imobiliarios
  2. Como investir em fundos imobiliarios usando o home broker

Parte 1: O que você precisa saber antes de saber como investir em fundos imobiliarios

Antes de investir em fundos imobiliarios, é fundamental entender como eles funcionam, e porque eles são uma alternativa ao investimento em imóveis.

O racional é simples: quando você decide comprar um imóvel pensando nele como investimento, a ideia principal, na maioria das vezes, é ganhar por meio do aluguel.

Ao decidir a compra, você tem que se preocupar com diversas variáveis: com a burocracia, com a assinatura de contratos, com a possibilidade de ter de pegar empréstimo com banco, com as possíveis reformas a serem feitas ao longo do tempo (e com o fato de nem sempre conseguir aumentar o preço do aluguel com elas), com a depreciação do imóvel , etc.

Ou seja: é um processo com muitas etapas e variáveis.

No caso dos fundos imobiliários, a dinâmica é diferente. Ao investir em um fundo imobiliário, apesar de você não ter um imóvel no seu nome, você vira cotista de um fundo do qual possui diversos imóveis.

É como se você se juntasse com vários investidores (ao invés de investir sozinho) e, com o dinheiro de todos, vocês comprassem uma série de imóveis como hotéis, shoppings, etc.

Por conta dessa dinâmica, investir em fundos imobiliarios tem algumas vantagens, como:

  • Não precisa ter muito dinheiro pra investir em imoveis (com R$ 100, por você, você já consegue investir);
  • Os fundos imobiliários possuem maior liquidez que investir em imóveis (enquanto você consegue vender as suas cotas de fundos imobiliarios diretamente na bolsa, com um imóvel você precisa colocar à venda, esperar compradores, negociar, etc.);
  • Os fundos imobiliarios possuem rendimentos mensais, e estes são isentos de imposto de renda!
  • O processo pra investir é bem mais simples de ser feito, basta ter uma conta em uma corretora de investimentos que você terá acesso ao home broker.

Obs: Não dá para investir no Brasil sem um intermediário financeiro. Por isso, ter uma conta em corretora (ou em banco) é necessário. Porém, pelo fato dos bancos geralmente cobrarem altas taxas em cima dos investimentos, ter conta em corretora acaba sendo uma melhor opção.

Caso você não saiba por qual corretora você deve investir, você pode usar a corretora Rico, parceira do Primo. Aproveite, pois na Rico o investimento em fundos imobiliarios tem taxa ZERO!

Pra criar sua conta na rico, basta clicar aqui.

Parte 2: O que você precisa saber antes de saber como investir em fundos imobiliarios

Para esta segunda parte, irei utilizar o home broker da corretora rico para mostrar o passo-a-passo. Por isso, é ideal que você tenha conta aberta lá.

Primeiro passo: entre no home broker da corretora

O home broker é uma plataforma dentro do ambiente de login da corretora do qual te permite acessar a bolsa de valores. Todas as corretoras possuem um.

Para acessar o home broker da Rico é fácil: você só vai precisar acessar a sua conta e clicar num botão na parte superior do site, onde estará escrito “Acessar Home Broker”. A imagem abaixo mostra onde estará o botão:

Quando você clicar no botão, vai carregar uma nova página. Ela é o Home Broker.

Segundo passo: Abra o box de compra para fundos imobiliarios

Para investir em fundos imobiliarios dentro do home broker, você vai precisar abrir o que chamamos de “box de compras”. Basicamente é como se você abrisse uma aba dentro do home broker, assim como você faz dentro do seu navegador na internet.

Para abrir, basta clicar no botão indicado na imagem abaixo:

Assim que você clicar no botão, irá surgir uma “caixinha” na sua tela. Ele é o box de compras.

Terceiro passo: preencher as informações para investir no fundo imobiliario desejado

No box de compra, você já deve ter percebido que há uma série de informações. Caso você não tenha entendido o que elas são, aqui vai uma explicação de cada um deles:

Ativo: o código do fundo imobiliário dentro da bolsa.

Lote padrão: Os ativos em bolsa de valores sempre são negociadas em “lotes”. Porém, ao comprar fundos imobiliarios na bolsa, o que você estará fazendo é estar comprando cotas de um fundo, e não exatamente comprando um lote.

Essa dinâmica é diferente, por exemplo, da compra de ações, onde você compra lotes de 100 ações de uma mesma empresa.

Mercado: Isso se refere ao modelo de mercado. Por padrão, você negociará no mercado a vista, que é o tradicional.

Quantidade: aqui, você irá colocar exatamente quantas cotas você deseja comprar do fundo imobiliario.

Preço: Aqui você irá colocar o preço pelo qual você quer comprar o fundo imobiliário. O ideal é usar um box de cotações para guiar o valor da sua compra, assim você entende por qual preço a ação está sendo negociada no mercado.

Para abrir um box de cotações e usá-lo, basta clicar no botão indicado abaixo e colocar o código do fundo imobiliário desejado.

Valor da Ordem: Basicamente, é o valor da ordem de compra que você vai enviar ao mercado. Quando você definir a quantidade e preço desejados, o valor será preenchido automaticamente.

Validade: Existem 4 tipos de validades:

  1. Hoje – A ordem de compra só valerá até o fechamento do mercado do dia em que foi emitida;
  2. Executa ou Cancela – A ordem é registrada na bolsa e se não houver vendas o suficiente pra cobrir toda a sua ordem de compra, a ordem de compra irá executar a compra do que estiver disponível e cancelar a compra do número de ações que faltaram;
  3. Para a Data – A ordem de compra expira após 30 dias corridos (no caso de ações);
  4. Até cancelar – A ordem de compra ficará aberta até ser executada ou cancelada.

Abaixo, um exemplo de como ficará a sua tela após o preenchimento dos dados:

Com esse preenchimento, basta clicar no botão “enviar” que a sua ordem de compra de fundos imobiliarios será emitida ao mercado. A partir disso, você pode acompanhar na caixa de “acompanhe suas ordens” para ver quando a sua ordem for totalmente executada.

Se sobrou alguma dúvida, recomendo ainda que veja o vídeo que gravamos no Youtube mostrando como comprar fundos imobiliários (o exemplo visual é importante):

Até a próxima!

Como investir em ações com pouco dinheiro, na prática!

A bolsa de valores tem ganhado cada vez mais destaque quando falamos de investimento. Não por acaso, como investir em ações se tornou um dos principais tópicos para o investidor iniciante, já que a renda fixa parou de ser tão atrativa quanto era antes.

Mas, apesar do destaque que a renda variável tem recebido, muitos investidores ainda não entendem como investir em ações com pouco dinheiro. Sabem que é preciso, mas não entendem o operacional disso.

Por isso, no artigo de hoje eu irei te mostrar, na prática, como você pode comprar a sua primeira ação, e com pouco dinheiro!

Irei separar esse artigo em 2 partes:

– Tudo o que você precisa antes de investir em ações

– Como investir em ações com pouco dinheiro usando o Home Broker

Parte 1: Tudo o que você precisa antes de investir em ações

Para você dar o primeiro passo dentro da bolsa de valores e entender como investir em ações, você primeiro precisa entender uma regra: no Brasil, não dá para investir em ações sem um intermediário financeiro.

Esse intermediário pode ser tanto um banco tradicional quanto uma corretora de investimento.

Porém, quando o assunto é investimento, os bancos geralmente cobram mais taxas que as corretoras, e essa verdade se mantém também na bolsa.

Entender isso é essencial pois, quanto maior for o seu custo para investir em ações, maior é a dificuldade que você terá para fazer o seu investimento vingar.

Por exemplo, se você investe R$ 100 em ações da Petrobrás e a corretagem (valor cobrado na compra e na venda de uma ação) é de R$ 10 na compra e R$ 10 na venda, a operação só vai te dar lucro se a ação da Petrobrás subir mais de R$ 20 (ou seja, 20%), pra bater o valor que a corretagem comeu.

Por isso, aqui vai o seu primeiro ensinamento como pequeno investidor: o custo importa, e muito.

Se considerar que geralmente os bancos cobram uma taxa fixa + porcentagem, enquanto nas corretoras só cobram a taxa fixa (na maioria das vezes), a escolha fica óbvia: corretoras.

O que pode não ser tão óbvio é qual das várias corretoras existentes escolher.

A nossa sugestão é a corretora Rico, que é parceira do Primo e será a corretora utilizada para darmos os exemplos no decorrer deste artigo. Você consegue abrir sua conta gratuitamente e os custos são competitivos.

Para abrir sua conta na rico, basta clicar aqui.

Uma vez com a conta aberta, a nossa primeira parte do nosso guia de como investir em ações com pouco dinheiro já está concluído! Podemos ir para a segunda parte.

Parte 2: Como investir em ações com pouco dinheiro usando o Home Broker

Para a segunda parte, irei seguir com um passo-a-passo prático utilizando imagens. Como eu disse antes, a plataforma que irei utilizar é da corretora Rico.

Primeiro passo: entre na plataforma da sua corretora e entre no home broker.

O home broker é a plataforma, dentro do ambiente da sua corretora, pelo qual você consegue acessar a bolsa de valores. É por meio dele que você consegue comprar e vender ações, ETFs, fundos imobiliários e os demais ativos que estão dentro da B3, a bolsa de valores brasileira.

No caso da corretora Rico, para você acessar o Home Broker é fácil: basta clicar no botão de acesso logo acima da página, como você pode ver na imagem a seguir.

Imagem dentro da plataforma da corretora rico.com.vc

Quando você clicar no botão, vai carregar uma nova página e você dará de cara com a tela a seguir:

É justamente esse o home broker da Rico! Para que fique claro para você as opções na tela:

Carteira Virtual: nessa opção, que está situada na parte de cima da imagem, você consegue adicionar e remover ativos dos quais você goste de acompanhar. Dessa forma, fica mais prático que você visualize rapidamente as informações básicas dos ativos que você “está de olho”.

Box de Cotações: O box de cotações são os 2 quadrados no meio da tela. Com eles você pode ver maiores detalhes de uma ação que você queira. Como você pode ver na tela, o box da esquerda mostra as informações relacionadas a uma ação da Petrobrás. No box você consegue visualizar preço de abertura, fechamento, últimas compras, as ofertas no mercado, etc.

Acompanhe suas Ordens: Essa caixa, que está logo abaixo na imagem, mostra pra você suas ordens de compra e venda de uma ação. Como eu não havia feito nenhuma ordem, a caixa está vazia.

Segundo passo: abrindo o box de compra de uma ação.

Agora que você tem uma visão melhor do home broker, o próximo passo é entender como fazer para comprar uma ação.

Pelo Home Broker dá rico, basta clicar na primeira opção na barra lateral esquerda, como na imagem abaixo:

Assim que você clicar, o box abaixo vai aparecer na sua tela:

É por meio desse box que você vai efetuar a compra da sua primeira ação.

Obs: Os itens “Start” e “Start Móvel” tem funções mais complexas, e o foco desse artigo não é entrar nestes detalhes. As explicações sobre estes ficarão para um artigo futuro.

Terceiro passo: preencher as informações para investir na ação desejada

Antes de preencher as informações, aqui vai a explicação do que cada item significa:

Ativo: o código da ação que você deseja

Lote padrão: As ações, na bolsa, sempre são negociadas em “lotes”. Por padrão, as ações são negociadas em lotes de 100 ações, e esse campo vai ser preenchido automaticamente.

Obs: como as ações são negociadas em lotes de 100, isso significa que você só vai conseguir comprar de 100 em 100 ações. Mas, se você não tem dinheiro suficiente pra comprar um lote de 100 ações, não se preocupe. Existe uma alternativa, e eu irei explicar um pouco mais adiante nesse artigo.

Mercado: Isso se refere ao modelo de mercado. Por padrão, você negociará no mercado a vista, que é o tradicional.

Quantidade: aqui, você irá colocar exatamente quantas quantidades da ação você deseja.

Preço: Aqui você irá colocar o preço pelo qual você quer comprar a ação. O ideal é usar o box de cotações para guiar o valor da sua compra, assim você entende por qual preço a ação está sendo negociada no mercado.

Valor da Ordem: Basicamente, é o valor da ordem de compra que você vai enviar ao mercado. Quando você definir a quantidade e preço desejados, o valor será preenchido automaticamente.

Validade: Existem 4 tipos de validades:

  1. Hoje – A ordem de compra só valerá até o fechamento do mercado do dia em que foi emitida;
  2. Executa ou Cancela – A ordem é registrada na bolsa e se não houver vendas o suficiente pra cobrir toda a sua ordem de compra, a ordem de compra irá executar a compra do que estiver disponível e cancelar a compra do número de ações que faltaram;
  3. Para a Data – A ordem de compra expira após 30 dias corridos (no caso de ações);
  4. Até cancelar – A ordem de compra ficará aberta até ser executada ou cancelada.

Abaixo, um exemplo de como ficará a sua tela após o preenchimento dos dados:

Com esse preenchimento, basta clicar no botão “enviar” e pronto! A sua ordem de compra de ações foi emitida com sucesso. A partir disso, você pode acompanhar na caixa de “acompanhe suas ordens” para ver quando a sua ordem for totalmente executada.

Mas e se eu não consigo comprar o lote padrão? Como faço para investir em ações com pouco dinheiro?

Nestes casos, há uma opção: o mercado fracionário.

O mercado fracionário permite que nós negociemos um número de ações abaixo do lote padrão de 100 ações. Você consegue negociar, por exemplo, uma única ação.

Para acessar o mercado fracionário, é muito simples: basta colocar um F no final do código do ativo.

No lugar de PETR4, por exemplo, você coloca PETR4F. Ao fazer isso, você consegue alterar o limite no lote de 1 a 99 ações.

O que você tem que tomar cuidado é:

  • Mercado fracionário tem uma liquidez menor, ou seja, será mais difícil para você comprar e vender ações
  • Custo. Com ordens menores, o peso da corretagem acaba sendo muito maior proporcionalmente
  • O fator positivo é que, se você comprar 50 ações no fracionário em 1 mês, e no mês seguinte comprar mais 50 ações, você consegue negociar essas ações como se fossem um lote padrão.

Com isso, você já sabe, na prática, como investir em ações com pouco dinheiro!

Se sobrou alguma dúvida, recomendo ainda que veja o vídeo que gravamos no Youtube mostrando como comprar a sua primeira ação:

Talvez você ainda fique na dúvida sobre como escolher uma ação para comprar. Se é esse o seu caso, este artigo sobre indicadores em ações
e este sobre vantagens competitivas em empresas vão te ajudar.

Por fim, não esqueça de seguir o primo no youtube e no instagram.

Até a próxima!

Mindset: 4 viéses comportamentais que te deixam mais pobre!

mindset

Para qualquer tipo de investidor, ter o mindset correto é fundamental. A forma como o investidor pensa e reage diante do mercado em muitos casos é até mais crucial para o seu sucesso do que ter o conhecimento técnico.

E quando falamos de mindset do investidor, surge um problema muito comum: os famosos viéses comportamentais.

Os viéses comportamentais são tipos de padrões de comportamento (muitas vezes de forma até natural), e que no caso do mindset investidor, são responsáveis por uma boa parcela das decisões ruins que tomamos ao investir. Saiba mais