Entenda de uma vez a diferença de Prefixado e Pós Fixado

Pós Fixado ou Prefixado? Quais são as diferenças? Quais são também as semelhanças entre eles? São tantas dúvidas que mal sabemos por onde começar, não é mesmo? Mas fique...
Entenda de uma vez a diferença de Prefixado e Pós Fixado

Pós Fixado ou Prefixado? Quais são as diferenças? Quais são também as semelhanças entre eles? São tantas dúvidas que mal sabemos por onde começar, não é mesmo?

Mas fique tranquilo (a). Caso haja alguma dúvida sobre esses dois termos, ela será esclarecida agora mesmo. Mas vale ressaltar que independente de ser Prefixado ou Pós Fixado, ambos sempre são considerados de Renda Fixa.

Além disso, são basicamente esses títulos que compõem a maioria das carteiras de Investidores Conservadores.

agora sim, vamos nessa?

 

Qual a diferença entre Pós-Fixado e Prefixado?

Acredito que você já tenha ouvido falar de planos de telefonia que também são pós ou pré, certo? Então já sabe que no pré, você já sabe exatamente o quanto pode gastar. Já no pós, há uma variação no preço.

Nos investimentos é basicamente a mesma coisa, porém ao invés de “pagar” pelo serviço, você recebe por ele. Ou seja:

  • No Prefixado: você prefixa a taxa de rendimento. Essa taxa é o limite e você não ganhará nada mais nada menos que o que foi pré acordado. Então, caso você invista em um título prefixado a 10% ao ano e com uma vigência de 3 anos. Durante os 3 anos então, você terá exatamente os 10% de rentabilidade desejados.
  • No Pós Fixado: é justamente o contrário. Ele segue a variação de um indicador, que em inglês chamamos de Benchmark. Esses indicadores são, geralmente, nossas taxas de juros e inflação, que conforme o andamento da economia nacional/internacional, vai crescendo ou subindo. Quando mais essa Taxa indicadora sobe, maior é seu ganho no investimento e vice-versa.

 

Para que Pós Fixar algo?

Os Pós Fixados praticamente dominam nosso mercado de Renda Fixa e em várias instituições. Inclusive nosso Governo Federal, com o Tesouro IPCA e o Tesouro Selic.

Para exemplificar melhor, imagine que estamos em uma baita crise econômica e que no primeiro ano, nossa inflação subiu 5% para 10% e, no ano seguinte, subiu novamente para 15%.

Nesse caso, teríamos uma catástrofe econômica – exceto para quem investiu em algo indexado a inflação. Todos os investimentos que são atrelados a esse indicador renderia um valor maior.

Mas não se esqueça, não importa apenas acompanhar esse indicador, porque caso ele caia, seus investimentos também renderão menos.

Portanto, Títulos Pós-Fixados são todos aqueles que são indexados a uma taxa referencial. Seja para superar essa taxa, se manter o mais próximo possível dela, ou até mesmo ficar um pouco abaixo dela. Invista nessa modalidade quando a perspectiva do mercado é de crescimento nas taxas de juros e inflação.

 

Para que Prefixar algo?

Investimentos Prefixados não são difíceis de achar. Temos tanto no setor público – com o Tesouro Prefixado – quanto no setor privado – como os CDBs Prefixados.

“Mas por que existe esse tipo de investimento? Por que não usarmos apenas nossas taxas e índices para tudo logo de uma vez?” Bom, isso é meio obvio: porque taxas e índices podem chegar a 0% alguma hora.

Pensa só, no tópico anterior vimos que as taxas e índices que fundamentam os títulos Pós Fixados são mutáveis. Elas sobem e descem conforme o tempo. Mas isso é mais comum em países com a economia mais fragilizada, em que a volatilidade dessas taxas sobe e desce constantemente.

E é ai que está o segredo do mercado financeiro: sempre compre mais barato e venda mais caro. É a lei básica para se lucrar na vida. “E como seria isso na prática, primo?”.

Quando os indicadores do Pós Fixado estão crescendo, invista neles. Você só irá ganhar cada vez mais. Essa é a parte do comprar barato, já que você está pegando um título desvalorizado, por causa das baixas taxas anteriormente.

Mas quando o cenário inverte e as taxas caem ou a inflação regride, é a hora de focarmos no prefixado. Portanto, prefixar é definir uma rentabilidade estática. Este título é ideal para os momentos em que as taxas de juros e inflação estão em queda.

Resumindo:

  • Taxas de Juros/Inflação subindo: ideal são os Pós Fixados;
  • Taxas de Juros/Inflação caindo: ideal são os Prefixados.

 

Aprenda quando NÃO investir em cada um

Ok, agora que sabemos quando é o momento exato de investir no Prefixado e no Pós Fixado, vamos compreender também quando NÃO devemos investir.

Obviamente é quando a situação se vira contra o ativo em especifico, mas entenda quais podem ser as consequências de um deslize descuidado.

Antes de aplicar em um título Prefixado ou Pós Fixado, procure entender a economia atual e passada também. Entenda quais foram os motivos que levaram taxas de juros e inflação subirem ou descerem.

Usando novamente a inflação como exemplo, seu indexador mais comum se chama IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplogeralmente tem o histórico de ser bem alto aqui no Brasil. Considerado um dos maiores do mundo, para ser sincero.

No começo de 2016, ele estava mais de 10% ao ano, desvalorizando vários investimentos por completo, inclusive a poupança que geralmente não ultrapassa 8% de rentabilidade ao ano.

Então se você não conhece a variação dos preços de um investimento, não acompanha nem mesmo o jornal para saber quanto está a famosa Taxa Selic e não presta atenção quando esses indicadores estão caindo ou subindo, então não é o momento exato de você investir em ativos como esses.

E, para ser honesto, seria importante rever esses conceitos antes de investir em qualquer coisa, se quiser realmente ser alguém bem sucedido(a) no Mercado Financeiro. Pós Fixados e Prefixados são o básico da Renda Fixa e seria importantíssimo ter esse conceito na ponta da língua antes de investir qualquer coisa.

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Taxas e Conceitos

Relacionados