CDI: saiba qual a relação com seus investimentos

Se você acompanha o mercado financeiro ou já atua nele há algum tempo, certamente já deve ter ouvido falar em CDI. Mesmo aqueles que desejam iniciar seus investimentos e...

Se você acompanha o mercado financeiro ou já atua nele há algum tempo, certamente já deve ter ouvido falar em CDI.

Mesmo aqueles que desejam iniciar seus investimentos e já leram alguma matéria, notícia ou artigo sobre esse negócio, tem problemas.

Estes em algum momento se depararam com essa sigla que, assim como tantas existentes no mercado financeiro, gera grandes dúvidas e questionamentos.

O nosso objetivo com o artigo de hoje é apresentar todas as características da CDI.

Desde sua definição até a sua aplicação efetiva e qual o impacto dela sobre os seus investimentos.

Confira!

A definição de CDI

CDI é a sigla escolhida para designar o termo “Certificado de Depósito Interbancário”.

Ela foi criada com o objetivo de lastrear as operações de curtíssimo prazo realizadas entre bancos.

Essas instituições necessitam manter o equilíbrio do seu caixa todos os dias, e com objetivo de fazer isso, emitem esse título que basicamente é um tipo de empréstimo que os bancos tomam entre si.

Esse sistema acaba gerando mais fluidez no mercado financeiro.

Uma vez que um banco que teve excesso de depósitos em um dia pode cobrir, com a emissão de CDI, aquele que teve muitos saques no mesmo dia.

Esse processo possibilita que os bancos não fiquem com “saldo de caixa” negativo.

A taxa do CDI é calculada com base nessas operações de emissão de depósito bancário entre os bancos e representa as condições de liquidez do mercado.

Tendo como característica principal acompanhar de perto a variação da Selic.

Certamente você já deve ter visto alguma aplicação que tinha em sua descrição o seguinte termo:

“rendimento em X% do CDI”.

Isso significa que aquele investimento tem sua rentabilidade atrelada à taxa do CDI.

Em outras palavras, significa que a valorização do dinheiro investido seguirá de perto a taxa Selic.

Que é a taxa de juros básica da economia brasileira.

A relação entre o CDI e a taxa Selic

O CDI e a taxa Selic são indicadores que andam muito próximos, podemos afirmar que quase de mãos dadas.

A definição da taxa da Selic é periodicamente fixada pelo Comitê de Política Monetária do Banco do Brasil.

Ou como é conhecido, o COPOM.

Esse grupo se reúne para decidir a política monetária do país, definindo, também, a taxa básica de juros, a SELIC.

Se os juros estiverem elevados, significa que deverá ocorrer um “freio” para o consumo que depende da liberação de crédito.

Existem perspectivas de uma nova queda de juros, até o patamar inferior a 9% ao ano.

Podemos comparar essa relação do CDI com a Selic, observando as taxas obtidas no ano de 2016, quando foram respectivamente 14% e 14,18%, percentuais quase iguais.

A importância do indicador CDI

O índice CDI, ao contrário do que muitos pensam, não serve somente ao mercado de investimentos, mas sim a toda economia de um modo geral.

Até mesmo para abrir um negócio é importante verificar a incidência do CDI.

Por exemplo, suponhamos que você deseja investir R$ 100.000,00 na criação de um negócio.

Antes de realizar o investimento, é interessante que você verifique se o valor a ser empregado nesse empreendimento teria um rendimento maior.

Isso caso fosse aplicado em um fundo de investimentos com base no CDI.

Além de determinar a taxa de rentabilidade de vários tipos de investimentos, o CDI é utilizado em contratos de dívidas, cambiais e outros tipos.

Os investidores consideram como segura uma aplicação que pague 100% da CDI.

No entanto, existem aqueles que rendem ainda mais, cerca de 110% do índice.

Alguns investimentos ainda contam com a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Ou seja, ideal para aqueles investidores que não gostam de correr riscos em suas aplicações.

Vamos mostrar a seguir quais são esses tipos de aplicação.

Os investimentos que rendem baseados no CDI

Existem vários tipos de aplicação de renda fixa que são calculados de acordo com o CDI, são eles o CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), Fundos DI, entre outros.

Os investimentos que têm sua rentabilidade atrelada ao CDI geram uma grande segurança ao investidor, já que o índice, como vimos anteriormente, segue de perto a Selic.

Além disso eles são garantidos pelo FGC no limite máximo de R$ 250.000,00 por CPF e instituição, dando ainda mais segurança ao investidor.

A forma de cálculo da rentabilidade de investimentos atrelados ao CDI

Os rendimentos atrelados ao CDI são muito simples de calcular, bastando uma pesquisa pelas suas taxas.

Um investidor pode encontrar essa informação gratuitamente no site do Banco Central ou por meio da calculadora do cidadão, disponibilizada pela instituição.

Vamos exemplificar o cálculo da rentabilidade de um CDB que ofereça 95% do CDI, sabemos que a taxa atualmente está na casa dos 14%, sendo assim temos: 95% x 14% = 13,3% ano.

Agora, vamos citar um exemplo de uma LCA que remunera em uma taxa de 90% do CDI. Então temos: 90% x 14% = 12,6% ao ano.

Antes de escolher a aplicação que rende o maior percentual do CDI, tenha atenção a outros pontos que podem comprometer a rentabilidade do seu investimento.

Algumas aplicações são isentas do imposto de renda, no entanto, têm percentuais sobre o CDI menores. É importante ficar atento a esses casos.

Gostou desse artigo sobre o índice CDI e sua aplicação? Gostaria de saber mais sobre aplicações e investimentos? Então curta nossa página no Facebook para não perder nenhum conteúdo!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Taxas e Conceitos

Relacionados