Tag: finanças pessoais

Planejamento financeiro familiar: 5 erros fatais para evitar!

planejamento-financeiro-familiar

O planejamento financeiro familiar é fundamental para que todas as despesas da casa sejam pagas sem sustos ou aperto. A tarefa não é fácil, mas a organização deve estar à frente dos impulsos, mantendo tudo sob ordem.

Cada membro da família tem suas necessidades, desejos e responsabilidades. Conseguir equilibrar isso tudo é fundamental para ter finanças sólidas. Que tal vermos um conteúdo sobre deslizes fatais em relação ao dinheiro?

O post a seguir mostrará 5 erros que podem causar desequilíbrio nas finanças familiares. Saiba quais são e como eles podem prejudicar.

1. Parcelar compras excessivamente

A possibilidade de parcelar as compras é muito atrativa, não é mesmo? Entretanto, há riscos reais ao adotar essa prática como um hábito. O primeiro grande problema são os juros, que podem existir em algumas compras.

As taxas são incluídas em cada uma das mensalidades. O problema é que ao colocar na ponta do lápis, é possível perceber que os juros aumentam muito o valor final. Em alguns casos você acaba pagando muito mais caro e conclui que teria sido melhor juntar dinheiro e ter pago à vista!

Saiba que bola de neve pode arruinar o planejamento financeiro familiar

Outro grande perigo é a falta de controle. Como as parcelas são relativamente pequenas, há cada vez mais o hábito de realizar esse tipo de compra. O resultado? Altos valores destinados mensalmente só para pagar parcelas. É nesse momento que você percebe que exagerou.

Lembre-se sempre de que é muito melhor pagar de uma só vez. Se não cabe no bolso agora, espere um pouco mais, junte o dinheiro e evite parcelar. Essa dica é uma das mais importantes para não gastar todo o orçamento familiar em dívidas de cartão ou carnês.

2. Gastar sem ter definido um orçamento mensal

O dia do salário chega, o dinheiro cai em conta e você sai gastando? Está errado! Se não houver um planejamento essa história pode acabar mal. É muito importante definir um orçamento para os gastos mensais baseado nas despesas fixas da família.

O primeiro a se fazer é separar quais são os gastos “fixos”, como conta de energia, luz, água, gás, aluguel, financiamento, escola dos filhos etc. Despesas desse tipo estão ali todo mês e você já tem noção de quanto vai gastar com cada uma. Coloque no papel e veja qual é o seu orçamento restante para passar o mês.

Defina orçamentos específicos

Com esse valor você pode separar uma quantia para investimentos, para um fundo emergencial e gastar o restante. É importante que você defina pequenos orçamentos específicos para gastos comuns que sua família tem, exemplo:

  • lazer;
  • compras de supermercado;
  • roupas;
  • dinheiro para lanche escolar
  • outros.

Se para cada uma dessas despesas houver um planejamento bem definido, é possível manter todas de maneira segura. Desse modo, o orçamento geral jamais será comprometido.

3. Não estabelecer prioridades para o planejamento financeiro familiar

Quais são as prioridades para o bem-estar da sua família? Essas despesas precisam sempre estar à frente de qualquer outro tipo de gasto. Por vezes é difícil ter controle do dinheiro, especialmente no cenário consumista em que vivemos atualmente, mas é necessário equilibrar a maneira como ele é investido, levando em conta o que é essencial.

Reflita sobre o que é relevante

As despesas do plano de saúde, por exemplo, nunca podem estar abaixo do que você gasta com lazer. A educação dos seus filhos não pode ser preterida para gastos com compras supérfluas ou itens que podem esperar um outro momento.

Esse julgamento é de cada um e o importante é fazer uma reflexão sobre as prioridades. Um planejamento financeiro familiar bem feito coloca sempre as despesas mais importantes no topo.

Desse modo, os esforços serão feitos primariamente para cumprir com essas obrigações. O bem-estar geral deve estar sempre à frente de luxos específicos dentro de uma família.

4. Fazer compras por impulso

Fim de semana chega e você resolve ir ao shopping com a sua família. Muitas lojas, itens interessantes e bate aquela vontade de comprar algo. Será que vai caber dentro do seu orçamento? Nesse momento alguém precisa fazer o papel do “chato” e consultar as anotações do orçamento.

A saúde do planejamento financeiro familiar está diretamente ligada ao equilíbrio e à responsabilidade. As compras feitas por impulso podem arruinar a organização feita com muito empenho durante meses. Essas aquisições podem trazer muita felicidade momentaneamente, mas podem se tornar problemas em breve.

Mantenha o equilíbrio

Muito do desequilíbrio nas contas acontece justamente por esse momento em que os gastos não são planejados. O rigor e a disciplina precisam entrar em ação, mesmo que isso gere falta de compreensão, especialmente das crianças, pois elas ainda não entendem a responsabilidade das despesas familiares.

Tenha em mente o fato de que as campanhas de publicidade são feitas para ter alto poder de convencimento. Ainda que caiba no seu orçamento, você deve se questionar se o que você está prestes a comprar será realmente útil ou eficiente. Pergunte-se sempre: “eu realmente preciso disso?” Se houver uma margem de dúvida, ainda que pequena, melhor economizar.

5. Não entender que gastos fixos podem variar

Como falamos, toda família tem aquelas despesas fixas, que são facilmente identificadas e relacionadas no planejamento mensal. Entretanto, é importante estar sempre atento a possíveis variações nos valores. Eles podem acontecer e, em alguns casos, surpreender.

Contando com isso, sempre separe valores a mais para essas despesas, com uma margem de segurança para que não haja nenhum imprevisto, complicando o orçamento definido previamente. Caso não haja nenhum aumento, você pode reincorporar essa diferença nos orçamentos específicos ou deixar para fundo de emergência.

Procure saber também quando pode haver essas variações. É possível mensurar esses aumentos em gastos como financiamentos, mensalidade escolar, planos de saúde e muitas outras despesas. Procure estar sempre atento a isso.

Organize-se para investir

Com as despesas bem organizadas e seguindo rigorosamente o planejamento, é possível realizar investimentos. Lembre-se de que cada centavo economizado pode ser revertido para aplicações que rendem boas quantias.

Um dos melhores produtos de investimento é o tesouro direto. Ele é de renda fixa, ou seja, o cliente sabe exatamente quanto receberá ao final da aplicação. Nessa modalidade os investimentos podem ser feitos mensalmente.

Deu para perceber como é vantajoso manter um planejamento financeiro familiar, não é mesmo? Aproveitando o assunto, veja como essa disciplina pode lhe ajudar na aposentadoria!

Como Controlar Gastos em Datas Comemorativas?

controlar-gastos-em-datas-comemorativas

Ah, as datas comemorativas. Nada como um belo momento de descanso, sem preocupações, apenas para se divertir e revigorar as energias… Sim, elas são muito bem vindas sempre, mas para aqueles que sabem como controlar gastos. Se não, você vai “nadar, nadar e morrer na praia”.

É muito fácil as coisas mudarem “da água para o vinho” em certos momentos. E são nesses momentos de fragilidade emocional que nosso bolso fica mais exposto.

Saiba mais

10 Aplicativos de Finanças Pessoais que você deveria usar

aplicativos-de-finanças-pessoais

Aplicativos de finanças pessoais são aliados indispensáveis para quem quer economizar e fazer o dinheiro trabalhar a seu favor.

Com a ajuda dessas ferramentas, é possível saber quais são as principais receitas e despesas, quantos gastos já foram realizados durante o mês e para onde seus ganhos — salário e outras receitas — estão indo efetivamente.

Saiba mais

8 dicas para cuidar das Finanças Pessoais como profissional

cuidar-das-finanças-pessoais

Eu sei, meu amigo, que quando a gente fala sobre Finanças Pessoais, a teoria entra em conflito com a prática. Muitas vezes, o que os especialistas dizem parece não fazer sentido no nosso orçamento. E o que eu tenho para te dizer é que organizar as finanças é, sim, um trabalho árduo.

Foco e força de vontade são qualidades que nem sempre adquirimos na faculdade. Devem fazer parte do dia a dia. Além disso, é preciso buscar atitudes que te ajudem a tratar o dinheiro com carinho. Temos que concordar: a culpa pelos nossos problemas está relacionada à gestão do dinheiro, e não ao dinheiro em si.

Saiba mais

5 dicas imperdíveis de como economizar dinheiro

A crise trouxe uma alta nos preços, que faz com que os gastos sejam maiores do que o habitual. Hoje, apresentaremos algumas dicas para controlar melhor os seus gastos e, como consequência, permitir que você consiga economizar dinheiro — mesmo com tantas contas a pagar.

Tem a impressão de que seu dinheiro some e não faz ideia de onde ele foi parar? Já parou para pensar que parte desse sentimento pode ser devido a um simples descuido com o orçamento ou devido a um descontrole? Confira o nosso artigo do dia!

1. Controle seu orçamento mensal

A primeira atitude para economizar dinheiro é fazer o controle do seu orçamento mensal. Faça uma planilha ou utilize algum aplicativo e anote todos os seus rendimentos e também todos os seus gastos.

Isso permitirá que você saiba exatamente como tem gasto o seu dinheiro e verá que muita coisa pode ser reduzida e cortada. Não precisa ser tão rigoroso e abrir mão de tudo, mas certamente, existem alguns gastos que são desnecessários e podem ser evitados.

2. Estabeleça metas para os gastos

Outro ponto importante na hora de economizar dinheiro é estabelecer limites. Isso serve, principalmente, para aquelas pessoas que possuem compulsão por gastar.

Portanto, todo mês, estabeleça um limite para cada categoria de gastos que você possuir. No caso das contas residenciais, que são fixas, estabeleça metas de redução e comece a economizar dinheiro! Aliás, o Guilherme, um grande amigo meu e autor do blog “Valores Reais” escreveu um artigo com 17 dicas justamente para te ajudar a passar melhor por essa crise em que vivemos. Se quiser dar uma conferida, é só clicar no link aqui!

3. Use o cartão de crédito com moderação

Cartões de crédito são um excelente recurso, principalmente na hora de uma emergência. Porém, eles devem ser utilizados com cuidado, pois são o meio mais fácil de entrar em um endividamento. Portanto, deixe para usá-los somente quando for necessário e verifique se o seu orçamento permite o pagamento das faturas — se a resposta for não, talvez seja melhor adiar a compra.

4. Reserve uma poupança

Economizar dinheiro está diretamente ligado à poupança. Estipule uma meta mensal para a poupança e comece a guardar dinheiro!

Para evitar gastos desnecessários, você pode se comprometer a depositar mais 10% do valor de cada compra que foi feita sem planejamento. Com isso, você consegue se controlar melhor, antes de comprar e ainda aumenta o valor de suas economias.

5. Busque orientação profissional

Se você sente que tem problemas para economizar dinheiro ou não sabe por onde começar e o que pode ser feito busque ajuda de um profissional. Ele pode lhe ajudar com dicas simples, que podem ser adotadas no dia a dia, mostrando quais condutas são inadequadas.

Conduzem a um gasto desnecessário e apontam soluções simples que ajudam a economizar dinheiro consideravelmente — como pesquisar preços antes de comprar e substituir produtos caros por outros semelhantes, por um preço bem abaixo. Se você sente dificuldade em poupar, não se desespere: você faz parte de um grupo grande e comum. Além disso, é possível começar com atitudes simples, mudando os hábitos, que já contribuem para que seja possível juntar dinheiro, ainda que pouco.

O que achou deste post? Aproveite e saiba quanto poupar da sua renda mensal para se aposentar com esse artigo e passe a se planejar melhor!