Introdução à Análise Gráfica de Ações

A Bolsa de Valores possui uma linguagem própria. Se você acompanha as notícias de economia certamente já se deparou com uma série de palavras, termos e gráficos específicos dessa...
analise-grafica-de-acoes

A Bolsa de Valores possui uma linguagem própria. Se você acompanha as notícias de economia certamente já se deparou com uma série de palavras, termos e gráficos específicos dessa área. Dominar alguns conceitos principais como, por exemplo, o que é Análise Gráfica de Ações, pode ser fundamental para obter os melhores resultados em seus investimentos.

 

Os principais fatores acompanhados diariamente por investidores estão dentro dessa análise, que também é conhecida como Análise Técnica de ações. Através do estudo de diferentes dados relativos ao mercado é possível observar tendências, variações e também detectar oportunidades de investimento.

 

Nesse post explicaremos de maneira geral os principais aspectos relativos à essa análise, abordaremos alguns dos indicadores importantes e falaremos sobre como identificar tendência analisando esses dados. Continue lendo e lembre-se de deixar um comentário caso tenha alguma dúvida!

 

Como é formado o preço das ações?

 

Antes de entrarmos nos indicadores que compõe a Análise Gráfica é importante que você entenda como é formado o preço das ações. Ao contrário do que muita gente pensa, o que forma o valor dos papéis não é a situação macroeconômica do país ou as notícias, mas sim a maneira como compradores e vendedores reagem a esses fatos na tomada de decisões.

 

Nesse sentido, o preço das ações é formado pela interação entre compradores e vendedores. Essa relação entre as forças de compra e venda determinam o valor dos papeis e sua variação muda de acordo com as alteração nesses fatores. E é exatamente nessa hora que a Análise Gráfica se torna muito importante.

 

Ela considera justamente essa disputa entre vendedores e compradores, buscando entender qual é o lado mais forte para oferecer ao investidor a possibilidade de fazer as melhores escolhas. Essa análise também permite que o investidor tenha poder de reação caso as coisas não saiam como esperado.

 

O gráfico de ações

grafico-de-acoes

A melhor maneira de observar essa disputa entre compradores e vendedores é através do gráfico de ações. Ele funciona como uma janela que exibe a variação do preço das ações em um determinado período de tempo e considera fatores relevantes na detecção de tendências de comportamento.

 

Existem diversos tipos de gráfico e, além disso, cada investidor pode considerar determinados indicadores de acordo com suas estratégias de investimento. Falaremos mais sobre os principais indicadores e suas funções ao longo desse artigo.

 

O gráfico de candles (ou gráfico de velas) é um dos mais utilizados. Cada candle apresenta o máximo de informações possível sobre a variação do preço de uma ação em um determinado intervalo de tempo, que pode ser em minutos, horas ou até dias, de acordo com o período utilizado no gráfico.

candles

 

Existem dois tipos de candle, os de alta (verdes) e os de baixa (vermelhos). Considerando os candles diários, nos de alta o preço de fechamento (última negociação daquele papel no dia) foi superior ao da abertura de mercado. Já no de baixa o último preço foi inferior ao de abertura. Se uma determinada ação começou o dia valendo R$7,00, por exemplo, e fechou o dia custando R$8,00, o candle que a representa naquele dia será o de alta.

 

Principais indicadores da Análise Gráfica

 

Para que você entenda melhor os dados que compõe a Análise Gráfica e entenda melhor como investir na Bolsa de Valores, vamos passar brevemente por cada um dos principais indicadores. Mas, lembre-se de uma dica muito importante: conhecimento vale ouro. Por isso, acompanhe as próximas publicações e aprenda cada vez mais sobre esse tema!

 

Principais indicadores de curto prazo (operações de 1 a 5 dias)

 

  • Suporte e Resistência – representam os patamares mais baixos e altos, respectivamente, que constituem pontos onde as ações tendem a cair ou subir;
  • Índice de Força Relativa (IFR) – considera as forças compradoras e vendedoras para ilustrar o fôlego de uma ação. É medido de 0 a 100 e sua análise pode ajudar a indicar oportunidades de curto prazo;
  • Bandas de Bollinger – levam em conta a movimentação média de uma ação, de acordo com o histórico de variação de um determinado papel;
  • Volume Financeiro – indica a quantidade de dinheiro negociada em um determinado período. Quanto maior o volume, maior a consistência da movimentação apresentada;

 

Principais indicadores de médio prazo (5 a 90 dias)

 

  • Médias Móveis – considera um período de tempo (normalmente 9 ou 21 dias) para ilustrar a tendência de uma ação. A denominação “móvel” se dá porque a cada novo período os valores mais antigos são substituídos pelos mais novos;
  • Topos e Fundos – indica a tendência de uma ação de acordo com a movimentação do seu preço em um período de tempo. Se a tendência é de alta, os topos e fundos no gráfico são ascendentes. Se é de baixa, os topos e fundos são descendentes;
  • Acumulação/Distribuição – esse indicador pondera o volume financeiro com as oscilações de mercado e indica se o volume está maior nas altas ou baixas.

 

Conclusão

 

Nesse artigo iniciamos nossa abordagem à Análise Gráfica de ações. Você entendeu como os preços das ações são formados, como funciona o principal modelo de gráfico de ações e também viu os principais indicadores que compõe o coração desse modelo de análise.

 

No próximo artigo dessa série abordaremos detalhadamente cada um dos indicadores citados acima. Um bom investidor não se baseia apenas em um deles, mas sim no contexto geral apresentado pelo maior número de dados possível. Justamente por isso, entendê-los é fundamental!

 

Gostou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Renda Variável - Ações

Relacionados