Por que o tesouro direto é um ótimo investimento durante a crise?

Como muitas pessoas dizem, durante uma crise você pode “chorar ou vender lenços”. Muita gente encontra excelentes oportunidades diante desse período de adversidades — principalmente quando se trata de...
Por_que_o_tesouro_direto_e_um_otimo_investimento_durante_a_crise

Como muitas pessoas dizem, durante uma crise você pode “chorar ou vender lenços”. Muita gente encontra excelentes oportunidades diante desse período de adversidades — principalmente quando se trata de investir em títulos públicos.

Por muito tempo, aplicar dinheiro na caderneta de poupança foi considerada a única e melhor opção — seja por uma economia estável ou pela falta de conhecimento de outras alternativas. Diante da alta de juros e inflação acima da média, o cenário de investimentos está se modificando e a renda fixa está conquistando seu espaço ao sol, colocando-se no topo das melhores alternativas de investimento.

Neste artigo, mostraremos as vantagens de investir no tesouro direto durante a crise. Falaremos sobre como ele é vantajoso nesse momento — em relação a outros investimentos — e por que o tesouro direto rende bem.

Por que o tesouro direto na crise é um ótimo investimento? Acompanhe o nosso post e tire suas próprias conclusões!

O que os dados revelam?

O Tesouro Direto está entre os trends de investimento. Quem aplica acessa a plataforma do governo federal, compra os títulos do governo e, dentro de um período determinado, recebe os rendimentos, que seguem a taxa Selic.

O Tesouro Direto é justo, uma vez que oferece a mesma rentabilidade a um investidor que aplica R$ 30 ou R$ 1 milhão. É possível adquirir títulos públicos diretamente do portal do Tesouro Direto, via banco ou instituição financeira credenciada.

Muitas pessoas acreditam que, para investir em títulos públicos, é preciso uma grande quantia de dinheiro, mas não é bem assim. Com bem pouco, é possível comprar uma fração de um título e rentabilizá-lo.

Mês de março deste ano

Para se ter uma ideia, apenas no mês de março deste ano foram registrados, nada mais nada menos, do que 33.456 novos aderentes ao programa Tesouro Direto, criado em 2002. Em termos de receitas, os novos participantes somaram R$ 1,75 bilhão respectivo mês, ao mesmo tempo em que os resgates totalizaram R$ 748 milhões, segundo o Tesouro Nacional.

Investir no Tesouro Direto vem sendo a oportunidade de ouro para muitos investidores driblarem a crise e fugirem dos baixos ganhos da poupança ou de outras opções que não alcançam a inflação. Por isso, a dica aqui é migrar suas aplicações da Poupança para o Tesouro Direto.

Além disso, é importante que você conheça o produto que está investindo o seu dinheiro. Pois, se a escolha não for realizada com precaução, fica difícil encaixar a melhor aplicação de acordo com seu perfil.

Quais as vantagens de migrar para o Tesouro Direto?

1- Sacar a qualquer momento

Assim como qualquer tipo de investimento, é imprescindível que haja um planejamento prévio e uma boa procura de mercado para conhecer as características de cada opção, taxa, rendimento, liquidez e, principalmente, se ele se encaixa no seu perfil. Se você pode deixar seu dinheiro rentabilizando, sem dúvida, menores serão as alíquotas cobradas e, consequentemente, maior será a rentabilidade.

É importante ressaltar que os títulos do Tesouro Direto incidem o IOF e o Imposto de Renda e que, quanto mais tempo ficarem aplicados, menores serão as alíquotas. Via de regra, se o dinheiro ficar investido:

  • Até 180 dias — alíquota de 22,5%;
  • De 181 a 360 dias — alíquota de 20%;
  • De 361 a 720 dias — 17,5%;
  • Acima de 720 dias — 15%.

2- Ter segurança de obter uma rentabilidade média

Entre os investimentos de baixo risco, o Tesouro Direto está entre os mais seguros. Via de regra, quando comparado à poupança, que tem um retorno médio de 7%, esta opção varia conforme a taxa Selic, que é positiva. Então, sempre será uma alternativa mais vantajosa e segura.

3- Não precisar de acompanhamento diário

Investir em títulos do Tesouro Direto não exige um acompanhamento tão intenso, principalmente pela baixa volatilidade. Vale destacar que os títulos prefixados necessitam de uma atenção redobrada, principalmente se há intenção de vendê-los antes do vencimento. Mas tenha cautela no período da venda, uma vez que os juros podem estar altos e acarretar em perdas ou baixo retorno.

4- Ter um bom rendimento, mesmo investindo pouco

A ideia de que investir em títulos públicos demanda de grande quantia de dinheiro é equivocada. Aplicar pouco pode ter boa rentabilidade.

O valor mínimo para aplicação é de 10% do valor do título, com limite de 30 reais e máximo de um milhão por mês. A grande vantagem de investir no Tesouro Direto é que o retorno de quem investe pouco é o mesmo de quem investe um milhão.

5- Ter garantia em longo prazo

Se você quer proteger seu dinheiro da alta de juros e da inflação nos próximos anos, os títulos do Tesouro Direto são excelentes opções. Muitos possuem vencimento somente para 2024, ou seja, seu dinheiro fica por longos anos aplicado, sem se preocupar de estar reinvestindo em outros lugares.

6- Proteger-se contra a inflação

Que as taxas de inflação estão acima das metas estabelecidas já não é nenhuma novidade e, ao que tudo indica, continuarão instáveis pelos próximos anos. No entanto, com uma estimativa de inflação prevista para este ano de 7% e de 5% para 2017, seus investimentos poderão valer 12% a menos, caso não seja aplicado corretamente.

Ou mesmo investido em aplicações que garantam, pelo menos, ganhos acima da inflação. A grande vantagem dos títulos públicos é que a rentabilidade utiliza indexadores IPCA e que acabam sendo vantajosos, ou seja, independente de quanto seja a inflação, o valor real do investimento não é alterado e está garantido. No caso dos indexadores, a taxa da inflação é somada a rentabilidade da aplicação, o que garante que quanto maior for a inflação, maior será a sua rentabilidade (nominal).

Tesouro Direto é a melhor escolha?

Como já dito anteriormente, é preciso que o investidor conheça o produto no qual está aplicando dinheiro. Esta é a única forma de saber se realmente é a melhor opção para seu perfil. Montar um bom planejamento de investimento e conhecer bem as características do Tesouro Direto são itens importantíssimos e que garantem que o valor aplicado dê a rentabilidade desejada.

O que achou do nosso post? Compartilhe a sua opinião!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Tesouro Direto

Relacionados