O que é Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC)?

CDB, LCI, LCA: normalmente, essa sopa de letrinhas no mundo dos investimentos é bastante conhecida pelos investidores, novatos ou não. Por serem consideradas aplicações populares, normalmente, são as primeiras...

CDB, LCI, LCA: normalmente, essa sopa de letrinhas no mundo dos investimentos é bastante conhecida pelos investidores, novatos ou não. Por serem consideradas aplicações populares, normalmente, são as primeiras opções de muita gente que busca investir seu dinheiro.

Apesar disso, outras opções menos conhecidas podem ser tão ou mais vantajosas — e você não quer perder a chance de investir melhor o seu dinheiro, certo? Pensando nisso, é que você precisa conhecer o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC). Com características únicas quanto à aplicação de recursos, ele pode fornecer uma excelente rentabilidade sem que você precise, necessariamente, correr riscos muito mais elevados.

Como o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios funciona? A seguir, veja mais sobre esse ele!

O que é FIDC?

O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) possui aplicação em renda fixa, em que pelo menos 50% dos recursos são aplicados em direitos creditórios. Basicamente, esses direitos são dívidas que passam por um processo de securitização e que podem ser negociadas com terceiros.

Imagine, por exemplo, que uma empresa possui uma determinada quantidade de contas a receber oriundas de pagamentos a prazo, como o cartão de crédito. Com a securitização da dívida, a instituição pode “transferir” o recebimento dessas contas para os investidores de um FIDC.

Isso gera liquidez para o negócio que não precisa esperar pelo recebimento a prazo e funciona como um investimento rentável para quem adquire cotas desse fundo. Por falar nisso, o FIDC funciona em sistema de condomínio.

Fundos abertos e fechados

Uma determinada quantidade de direitos creditórios é dividida entre os interessados, chamados de cotistas. Os fundos podem ser abertos, em que o resgate acontece no momento desejado pelo cotista, desde que dentro das condições do fundo; ou podem ser fechados, com um período estabelecido para o resgate.

Quais as vantagens desse investimento?

Embora ainda seja um investimento pouco conhecido e explorado, o FIDC é um investimento que possui algumas vantagens importantes especialmente para investidores mais qualificados. Dentre os benefícios de investir nesse fundo estão questões como:

Possibilidade de diversificação de investimentos

Geralmente, diversificar a carteira de investimentos é uma boa prática entre quem deseja garantir mais rentabilidade para as suas aplicações. Assim, o FIDC é uma opção adequada para injetar uma diferenciação na carteira.

Sendo de renda fixa, existe a segurança do investimento, mas seus riscos também elevam sua rentabilidade. Com isso, é uma forma de melhorar ainda mais o desempenho da carteira, especialmente se ela tiver características moderadas.

Mais segurança de investimento

Embora os riscos existam, eles podem ser devidamente avaliados por meio de consultorias de crédito, que são contratadas para avaliar os recebíveis, antes que eles passem a compor as cotas do FIDC. A participação de diversos agentes, como auditores e custodiante, também favorece a fiscalização e, portanto, a segurança do investimento.

Além disso, os FIDC também são classificados por agências, que fornecem seus ratings a respeito de cada fundo. Com isso, fica mais fácil realizar uma análise mais relevante se determinado fundo é ou não adequado aos objetivos de investimento.

Boa rentabilidade

No geral, a rentabilidade de um FIDC é considerada bastante atrativa porque, frequentemente, atinge patamares como 125% do CDI. Com isso, é uma opção interessante e com rentabilidade superior a operações que possuem o mesmo nível de risco associado. Assim, não apenas esse investimento é uma forma de diversificar a carteira, como também é capaz de melhorar a rentabilidade geral da carteira de maneira relativamente segura em relação a outras opções.

Quais os riscos associados?

Apesar de vantajoso, o FIDC não é um investimento sem riscos, os quais podem ser maiores do que de algumas outras aplicações consideradas mais tradicionais. No geral, o principal risco associado a esse fundo é, naturalmente, o de inadimplência.

Como existe uma possibilidade real de acontecer um atraso no pagamento dos valores por parte da empresa cedente ou por parte dos devedores, os investidores de um fundo como esse estão mais expostos a essa situação. Inclusive, um risco mais grave diz respeito a situações em que a instituição cedente precisa fechar filiais ou pedir falência.

Se o pagamento é feito pela própria empresa, então há um risco maior de compromisso. Não menos importantes, os riscos de mercado são reais para esse fundo.

Variações

Em geral, as variações de índices políticos, econômicos e mercadológicos modificam o valor desses ativos. Mesmo quando o FIDC não está diretamente exposto a esses riscos, a cedente é impactada por esses fatores e, portanto, há riscos relacionados para o investimento.

Como investir corretamente?

Para investir em FIDC, o primeiro passo é conferir a validade jurídica do fundo escolhido. Conferir a empresa junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e junto à Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Ambima) é uma atitude que garante a proteção de investimento.

Conhecer a instituição que administra o fundo e saber de sua confiabilidade também é necessário — afinal, você não quer que seu dinheiro vá para o ralo. Feito isso, é preciso solicitar o prospecto (ou descrição) do investimento e avaliar com cuidado todas as condições estabelecidas pelo fundo.

É preciso, por exemplo, analisar o rating atribuído ao fundo e outros riscos em comparação ao seu perfil de investidor. Também é necessário avaliar a série histórica do fundo, porque resultados satisfatórios e consistentes indicam boa gestão. A avaliação do auditor independente, por sua vez, serve para dar uma segurança a mais para o fundo.

Indicadores

Se você estiver de acordo com todas as condições, é preciso observar alguns indicadores. O índice de subordinação da cota, por exemplo, mostra se a cota é ou não subordinada a outras opções chamadas de sênior.

Nesse caso, uma cota subordinada só pode ser resgatada após todas as cotas seniores terem sido resgatadas, o que aumenta o risco do investimento. Avaliar taxas de recompra e graus de perda ao longo dos anos desse fundo também faz sentido e ajudará você a decidir se é ou não a melhor opção.

Por fim, tenha em mente que, geralmente, o FIDC é uma opção limitada apenas para os investidores mais qualificados — normalmente, mais de R$ 300 mil investidos de maneira comprovada. Com isso, é preciso dispor desse tipo de maturidade para realizar esse investimento de maneira segura.

Renda fixa com a aquisição de direitos creditórios

O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) é um tipo de investimento que mistura a renda fixa com a aquisição de direitos creditórios. Com excelente rentabilidade, boa segurança e diversificação da carteira, essa opção pode se encaixar perfeitamente nas suas necessidades, desde que você fique atento aos riscos associados e à realização correta desses investimentos.

Está na dúvida se esse fundo é o certo para você? Saiba como escolher um fundo de investimento que se adeque ao seu perfil e encontre a resposta!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Renda Fixa

Relacionados