Fundos de renda fixa: investindo com tranquilidade

Você tem dinheiro disponível para investir e está se planejando financeiramente para fazer o capital render? Pois saiba que os fundos de renda fixa estão entre as melhores opções...

Você tem dinheiro disponível para investir e está se planejando financeiramente para fazer o capital render? Pois saiba que os fundos de renda fixa estão entre as melhores opções para isso. Especialmente se você pretende chegar a excelentes resultados e de forma segura.

Em relação a outras opções, esses fundos e os produtos da renda fixa apresentam diversas vantagens. No artigo de hoje vamos mostrar quais são eles e por que podem garantir grande retorno no longo prazo.

Acompanhe-nos e comece a planejar sua previdência ou aposentadoria agora mesmo!

O que é um fundo de investimento?

Um fundo reúne diversos investidores, denominados quotistas, para aplicar em produtos financeiros. Esses são disponibilizados de acordo com a natureza do fundo. Assim, cada investidor adquire suas quotas, conforme suas possibilidades, e os custos são diluídos entre o grupo.

A administração dos investimentos fica a cargo de um administrador experiente e com conhecimento de mercado. Ele fica responsável por tomar decisões, controlar riscos e demais tarefas relativas a capital e investimentos. Esse funcionamento é formalizado por um regulamento, que define ainda questões como:

  • quotas disponíveis e seus valores;

  • máximo de pessoas aceitas no fundo;

  • obrigações e direitos dos investidores;

  • valores máximo e mínimo para participação;

  • datas de injeção de capital e resgates;

  • despesas do fundo.

O que são fundos de renda fixa?

Entre os vários tipos de fundos de investimentos, esse foca nos produtos de renda fixa. Conforme a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no mínimo 80% das suas opções são desse tipo.

Entre as aplicações disponíveis, podemos ter:

O que é um investimento de renda fixa?

O nome se dá pelo fato de que, no momento da aplicação, o investidor sabe qual será seu rendimento — seja por uma taxa prefixada ou pós-fixada e atrelada a um índice de mercado. Diferentemente de opções como ações da bolsa de valores, a renda fixa não varia.

Não ocorre, por exemplo, de um movimento político-econômico ou de uma empresa privada desvalorizar o produto. Por isso, o risco é muito menor do que na renda variável.

Além disso, para assegurar o capital investido, existe um fundo governamental. O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) é o mesmo que dá segurança aos valores da poupança em caso de falência dos bancos. Várias opções dos fundos de renda fixa contam com ele, que garante o ressarcimento de até R$ 250 mil por CPF.

Por que investir na renda fixa para o longo prazo?

Ao mesmo tempo que essas aplicações oferecem riscos menores, elas exigem prazos maiores para gerar resultados. Ter bons rendimentos em um day trade — como na bolsa —, por exemplo, não é possível.

Por isso, é preciso pensar nos fundos de renda fixa sempre visando o longo prazo. É um planejamento para contar com uma previdência ou garantir uma aposentadoria financeiramente tranquila.

A Letra do Tesouro Nacional (LTN), por exemplo, paga R$ 1 mil para cada título público comprado. Nesse momento, o vencimento para prazo mais longo custa aproximadamente R$ 500. Já o vencimento mais próximo custa quase R$ 800. Ou seja, o menor prazo gera rendimento menor.

Isso também vale para outros títulos públicos e demais produtos da renda fixa. Afinal, em todos eles, mesmo havendo o resgate antecipado, não se recebe toda a taxa contratada na antecipação.

Veja o exemplo da Nota do Tesouro Nacional série B (NTN-B). A opção é indexada ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e tem vencimento em 2050. Conforme a calculadora do Tesouro Direto, um investimento de R$ 5 mil chegaria aos seguintes resultados no vencimento:

  • rentabilidade bruta projetada: 10,17% ao ano;

  • valor bruto: cerca de R$ 41,6 mil;

  • despesas: cerca de R$ 5,6 mil;

  • resgate líquido: aproximadamente R$ 35 mil;

  • rentabilidade líquida projetada: mais de 9%.

Agora, compare os números de um resgate antecipado do mesmo capital logo em janeiro de 2020:

  • rentabilidade bruta projetada: 10,18% ao ano;

  • valor bruto: cerca de R$ 6,4 mil;

  • despesas: cerca de R$ 300;

  • resgate líquido: aproximadamente R$ 6,1 mil;

  • rentabilidade líquida projetada: cerca de 8%.

Ou seja, no curto prazo essa não é uma aplicação interessante. No entanto, para o longo prazo, ela gera um montante considerável em relação ao capital investido.

Por que é preciso ter orientação profissional para investir?

Investir em fundos de renda fixa, ou em qualquer outro fundo, não se limita a escolher opções para o capital. Em vários momentos a segurança e a rentabilidade são otimizadas pela ajuda profissional. Veja por que ela é necessária.

Para definir o perfil de investidor

Aplicar dinheiro requer uma análise para definir o perfil do investidor. O profissional da área auxilia nesse momento. Entenda os principais perfis:

  • conservador: é a pessoa que dá mais importância aos investimentos seguros e com garantia de liquidez. Ainda que a rentabilidade seja menor, ele visa a segurança;

  • moderado: o moderado tem características parecidas com as do conservador. No entanto, ele aceita aplicar um capital menor em opções fora da renda fixa, porém com risco pequeno;

  • arrojado: o investidor arrojado busca ganhos expressivos em curto e médio prazos. Ele está disposto a correr os altos riscos que tais objetivos impõem. Porém, esses riscos são calculados e seu planejamento não ignora o longo prazo.

Para escolher as melhores opções

Mesmo que a renda fixa envolva diversos produtos seguros e rentáveis, um produto pode ser melhor que o outro. Por isso, contar com auxílio profissional torna mais segura a escolha de aplicação do dinheiro. Inclusive, dependendo do perfil de investidor, algumas opções podem ser descartadas.

Para traçar uma estratégia e definir metas

É melhor investir todo o capital destinado a aplicações em um produto ou dois? Ou diversificar entre várias opções? Uma orientação especializada esclarece o investidor para que ele tome essa decisão.

Além disso, a ajuda faz com que a pessoa estabeleça metas realistas para seus investimentos. Inclusive em relação a componentes dos cálculos e à avaliação de questões como inflação e imposto de renda.

E então? Depois do que abordamos, você pretende começar a investir? Nesse caso, temos mais um conteúdo importantíssimo para você. Como vimos acima, há produtos dos fundos de renda fixa com juros pós e prefixados. Confira este post e entenda definitivamente o que são eles e quais são suas diferenças

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Renda Fixa

Relacionados