CDB, fundos ou títulos públicos? Como escolher?

A esta altura do campeonato você já deve saber que deixar seu dinheiro na poupança é a mesma coisa que perder dinheiro. Se nós acertamos o que passa em...

A esta altura do campeonato você já deve saber que deixar seu dinheiro na poupança é a mesma coisa que perder dinheiro. Se nós acertamos o que passa em sua cabeça, você precisa conhecer três tipos de investimentos que estão em alta no momento.

Não tem estômago para assumir os riscos de uma bolsa de valores, mas quer aplicar seu dinheiro e obter um rendimento satisfatório, com risco baixo como o oferecido pela boa e velha poupança? Confira o nosso artigo sobre os títulos públicos, CDB e os fundos de renda fixa!

Certificado de Depósito Bancário

Popularmente chamado de CDB, este ativo trata-se de um empréstimo realizado por uma pessoa física ou jurídica a um determinado banco que, por sua vez, também fará um empréstimo com a quantia arrecadada pela venda do ativo a terceiros. O rendimento pago por este tipo de título pode ser pré-definido (chamado de CDB pré-fixado), pós fixado segundo algum referencial, geralmente o CDI que pauta-se na SELIC para definir sua remuneração, ou utilizar a taxa de inflação do período de aplicação. Assim, além de recuperar a perda do poder de compra da quantia investida, é possível pagar também um excedente que corresponderia ao ganho real do investimento.

Vantagens

  • Fundo Garantidor de Crédito (FGC) garante um risco igual a zero para aplicações inferiores ao valor de R$ 250 mil, vale lembrar que mesmo em aplicações acima desta quantia, o risco envolvido neste tipo de investimento é baixíssimo;
  • Enorme variedade de prazos, chegando a oferecer títulos com liquidez diária;
  • Isento do pagamento de taxas, sendo esta a vantagem preferida de muitos investidores..

Desvantagem

  • Não está isento da mordida do leão, pois paga-se IR com alíquota variável de acordo com o prazo da aplicação.

Títulos públicos

Todos nós financiamos o Governo através do pagamento de impostos, sendo este o principal meio de arrecadação deste. Entretanto, por mais incrível que pareça, os mais de um trilhão de reais arrecadados todos os anos nunca é o suficiente para que as contas do Estado fechem.

É necessário recorrer também a outra maneira de se financiar: os títulos públicos. Estes títulos possuem uma enorme variedade no que diz respeito a liquidez, que pode ser baixa ou alta, no que diz respeito ao rendimento, que pode estar ligado a variação do IPCA ou ligado à SELIC e no que diz respeito ao recebimento deste rendimento, que pode ser parcelado durante os meses de aplicação ou pago integralmente ao final.

Vantagem

  • Excelente combinação de rendimento alto e risco baixo. Apesar de não possuir garantia por parte do FGC, pode-se afirmar que investir em títulos públicos no Brasil é seguro. O país já deu o calote uma vez e sentiu na pele as consequências desta péssima escolha.

Desvantagem

  • Assim como o CDB, esta aplicação também não está isenta da mordida do leão e paga IR com alíquota variável de acordo com o tempo de aplicação;
  • Também paga-se taxas como as de serviço e custódia.

Fundos de Renda Fixa

Os fundos de Renda Fixa não são ativos de Renda Fixa propriamente ditos, mas sim uma espécie de cesta que junta vários destes ativos (desde os privados como o CDI até os públicos como os próprios títulos públicos, por exemplo) na mesma aplicação. No caso, o investidor comprará apenas cotas destes fundos e o dinheiro arrecadado é aplicado em ativos determinados segundo um gestor profissional. Este segue, além de seus conhecimentos sobre investimento, as regras pré determinadas pelo fundo.

Vantagens

  • Baixo risco em decorrência da alta diversificação de aplicações inerente a este tipo de investimento;
  • Liquidez diária;
  • Com um bom gestor e com o pagamento de taxas não muito altas, possui um rendimento ligeiramente superior aos demais da lista.

Desvantagens

  • Também está sujeito ao pagamento de IR com alíquota variável de acordo com o tempo;
  • Cobra-se taxa de administração dos cotistas.

De nada adiante obter bons rendimentos em suas aplicações se você não sabe como gerir seu dinheiro, não é mesmo? Não deixe de conferir este artigo sobre Disciplina Financeira: 7 hábitos que você deve adquirir!

Depois de conhecer esses três tipos de aplicações, é possível que você ainda se questione:”Qual título rende mais?”. Para isso, sempre que se deparar com todas essas opções, você deve realizar alguns cálculos para entender de forma mais clara qual é a melhor opção apresentada. Para aprender a fazer isso, eu recomendo a leitura de um artigo escrito pelo Prof. Elisson de Andrade, que escreveu um artigo sobre Taxa Interna de Retorno (TIR), que você pode encontrar aqui!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Renda Fixa

Relacionados