3 investimentos que rendem mais que a poupança!

A poupança sempre foi, culturalmente falando, o investimento queridinho dos brasileiros. Seja por sua facilidade de investimento, pela segurança da aplicação ou pelo fato de não cobrar taxas de...

A poupança sempre foi, culturalmente falando, o investimento queridinho dos brasileiros. Seja por sua facilidade de investimento, pela segurança da aplicação ou pelo fato de não cobrar taxas de administração, nem descontar imposto de renda (IR), a poupança sempre foi a preferida de quem tem aqueles trocadinhos sobrando no final do mês.

Porém, em tempos de inflação alta e taxa de juros elevada, quem investe na poupança está, no fim das contas, perdendo dinheiro. Isso mesmo! O rendimento desse investimento no último ano fechou abaixo da inflação. Isso quer dizer que quem investiu na poupança tem, agora, menor poder de compra do que no dia em que aplicou o dinheiro. É mole ou quer mais?

Por isso, no post de hoje, listamos 3 investimentos que rendem mais que a poupança e que são tão fáceis, simples e seguros como ela. Confira!

1. Títulos do Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um título público que paga ao investidor a variação da taxa básica de juros – a taxa Selic, que rende muito mais do que a poupança. Esse tipo de investimento é considerado de baixíssimo risco, já que o emissor dos títulos é o governo, e o risco de ele desonrar o pagamento é praticamente nulo, segundo especialistas.

Outra grande vantagem de investir no Tesouro Direto é que ele permite aportes de quantias pequenas de dinheiro (a partir de R$ 30,00 e/ou 1% do valor do título naquele dia), e é super democrático: o investidor que aplica R$ 100,00 tem a mesmíssima rentabilidade daquele que aplicou R$ 100 milhões.

A única grande desvantagem de se aplicar no Tesouro Direto é o desconto de IR, que varia de 15% a 22,5%, de acordo com o período da aplicação (quando mais tempo você deixar a grana investida, menos imposto é cobrado). Também é sempre recomendado ficar de olho nas taxas de administração cobradas pelas instituições que negociam esses títulos. Enquanto algumas isentam o investidor, outras chegam a cobrar 2% ao ano!

2. LCA e LCI

O LCA e o LCI são títulos emitidos por bancos para financiar o agronegócio (LCA) ou o setor imobiliário (LCI). A rentabilidade varia com a estratégia de cada banco, mas sempre é superior à poupança e ambos estão isentos de IR. Além disso, o risco de se aplicar nesses títulos é baixa, visto que eles estão cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que cobre perdas de até R$ 250 mil em caso de quebra ou falência da instituição financeira.

As desvantagens desse tipo de investimento estão no aporte inicial necessário, geralmente alto, e na baixa liquidez, ou seja, a dificuldade ou impedimento de resgatar a grana antes do prazo de vencimento, que, geralmente é longo (superior a um ano). Por isso, se você não sabe quando vai precisar resgatar seu dinheiro, esses títulos não são uma boa opção.

3. CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB), nada mais é do que um empréstimo que você faz ao banco, para que ele o empreste a outro cliente. Geralmente, eles são pós-fixados e atrelados à taxa DI, muito próxima a Selic, podendo render até duas vezes o retorno obtido na poupança. O CDB também é considerado investimento de baixo risco, já que está coberto pelo FGC.

Os CDBs possuem desconto de IR e as taxas de remuneração variam de banco para banco. Se você é cliente antigo ou vai aportar um valor de dinheiro considerável, vale a pena trocar uma ideia com o gerente e tentar conseguir uma taxa mais alta. Assim, o investimento será proveitoso, mesmo com o desconto do IR.

Viu só como existem opções de investimentos que rendem mais do que a poupança? Se ainda restou alguma dúvida sobre esse assunto, escreva pra gente aqui nos comentários! Teremos prazer em lhe auxiliar!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Renda Fixa

Relacionados