10 passos para te ajudar no caso de ficar Desempregado

Sabemos que estar desempregado muitas vezes é uma situação complicada. Até porque, quem é que gosta de ficar desempregado e tendo que pagar as contas de casa ainda por...
10 passos para te ajudar no caso de ficar desempregado

Sabemos que estar desempregado muitas vezes é uma situação complicada. Até porque, quem é que gosta de ficar desempregado e tendo que pagar as contas de casa ainda por cima? O Pior é que essa situação tem se mostrada cada vez mais recorrente.

A taxa de desemprego ampliada nunca foi tão alta no Brasil, chegando ao patamar de 23 milhões de desempregados ou subutilizados. Então não posso ignorar esse fato, imaginando que podem ter vários leitores do Primo Rico nessa mesma fase.

É uma situação delicada e que exige bastante controle. Um controle que deve ser ainda maior do que quem ainda conta com seu emprego.

Mas não é porque estamos falando dessa situação desagradável que não vou dar meus puxões de orelha nos meus primos nessas condições. Sabe por quê? Porque quem está despreparado para ficar desempregado, também está errado. Todas essas condições devem ser sempre possibilidades reais e você deve prever e prevenir isso.

Mesmo assim, se essa cautela não foi tomada, pode deixar que o Primo aqui vai te ajudar a reestruturar sua vida financeira. Até porque, família é família, não é?

Aqui vão algumas dicas para quem está nessa situação agora ou para te preparar para qualquer reviravolta inesperada. Vamos nessa?

 

1 – “Fiquei desempregado. Por onde começar?”

Primeiramente, olhe sua vida. Analise todos os aspectos dela e veja o que será necessário manter e o que poderá ser descartado.

Separe tudo o que você possui de dívida, de pendência, de valores guardados, de hábitos… Enfim, TUDO!

É fundamental que você tenha total consciência dos seus gastos e números nesse momento. Para facilitar, anote tudo em uma lista ou planilha. Facilitará bastante seu trabalho de agora em diante.

 

2 – Renegocie sua dívida

Antes de tomar qualquer outra atitude além da anterior, renegocie suas dívidas. Isso quer dizer que você deve pegar todo seu FGTS e antecipar tudo o que você tem? Não, de jeito nenhum!

O fato de negociar suas dívidas vai te ajudar com relação aos custos que você terá no curto prazo. Caso antecipe tudo de uma vez, pode ser que fique com um valor muito baixo para sustentar suas prioridades depois.

Portanto, não gaste tudo, mas pense no que está devendo primeiro. Como você já estará endividado (a), caso pare de uma vez, só sujará seu nome, o que será pior. Tente quitar os valores mais baixos primeiro e os valores maiores, tente parcelar (mas sem cobrança de juros).

 

3 – Pense no seu Fundo de Emergência

Esse tópico nem deveria estar aqui, na verdade. Lembra que eu disse que ia dar puxões de orelha? É justamente por causa disso!

O Fundo de Emergência é uma prioridade para qualquer pessoa, estando empregada, desempregada ou nunca tendo trabalhado na vida. Sem contar que é meio sugestivo que é para “emergências”, como “perder o emprego”, por exemplo. Por isso não deveria estar nessas dicas.

Mas, se esse cuidado não foi tomado antes, vamos pensar nisso agora para evitar qualquer problema futuro, está bem?

Para um bom Fundo de Emergência, devemos identificar qual é seu gasto pessoal ou familiar por mês (o que já fizemos no primeiro tópico). Em seguida vamos multiplicar esse valor por:

  • 6 meses – Caso você seja Registo na CLT (Carteira de Trabalho): Esse cálculo é porque quando se trabalha registrado, possui uma serie de direitos garantidos que protegem o trabalhador, como Fundo de Garantia (FGTS), Seguro Desemprego, rescisão contratual, multa contratual e etc.
  • 12 meses – Caso seja Autônomo (a) ou Empresário (a) /Empregador (a): Nesse caso, você não terá quase nenhuma segurança de Direito Trabalhista. Portanto, não receberá os mesmos direitos e terá que arcar a maior parte do seu próprio bolso. Então multiplicar o gasto mensal por 1 ano poderá proporcionar uma maior segurança por maior tempo.

Uma dica de sucesso é não criar seu Fundo de Emergência em uma Poupança, pois ela não vale a pena!

 

4 – Não use crédito

Crédito é igual a juros! E juros, no Brasil, a gente já sabe como é, não é mesmo? São taxas abusivas e que muitas vezes mais nos atrapalham do que nos ajudam.

Para isso, evite qualquer linha de crédito: financiamento, empréstimo pessoal, empréstimo consignado, cheque especial, cartão de crédito… Qualquer uma!

Adote um modelo de pensamento bem radical do tipo:

 

fluxo de mentalidade em caso de ficar desempregado

 

5 – Elimine gastos desnecessários

Na posição de uma pessoa desempregada, a última coisa que se deve pensar é em mais gastos do que o necessário. Então não podemos nos dar ao luxo de manter o mesmo padrão de vida como antes.

Então será nesse ponto que você irá cortar os gastos que não são de fato necessários, mas apenas cômodos. Por exemplo:

  • Trocar a TV paga por filmes, séries e documentários online;
  • Deixar apenas o celular como telefone, ao invés de pagar a linha para um fixo também;
  • Ainda no celular, procure planos que gastem somente o necessário mesmo;
  • Procurar por promoções nos supermercados, para fazer compras mais baratas; entre outros.

Foco apenas do que é essencial para sua vida!

 

6 – Adapte-se a um novo padrão de vida

Sua casa é alugada? Opte por um aluguel mais barato. Possui carro? Procure se locomover de bicicleta para pequenos trechos ou transporte público para longas distâncias.

Não precisa deixar de viver, mas é fundamental ter consciência de que dinheiro será apenas para emergência e necessidades. Enquanto isso, passear no parque e conhecer pontos turísticos gratuitos podem ser bons passeios (mesmo quando estiver empregado #FicaDica).

 

7 – De valor para o seu trabalho

Por mais que possa ser uma época complicada, não se deve desesperar. Muitos acabam aceitando qualquer emprego que tiver a vista, sem se importar com as consequências.

É importante dar valor a sua força de trabalho e não aceitar exploradores tirem proveito de você em um momento de temor.

Muito menos quando querem que você trabalhe horas extras, faça plantões aos fins de semana, sem pagar o excedente ou até mesmo se recusando que você trabalhe registrado.

Isso é crime e somente você estará se prejudicando assim. Então nem pense que a frase “é a crise” é um argumento válido.

 

8 – Busque uma Renda Extra

Além de um emprego apenas, busque uma renda extra. Buscar fontes alternativas de renda pode ser muito mais prazeroso do que você imagina.

Acredito que quase todo mundo tenha um Hobby, certo? Por que não monetizar isso então?! Artesanato, jardinagem, música, revenda de produtos e até bicos como “marido de aluguel” podem gerar uma grana a mais no fim das contas.

 

9 – Utilize seu Network

Essa é a melhor hora para conversar com seus colegas de profissão e outros contatos que adquiriu durante a carreira. Criar laços e demonstrar bom profissionalismo é importante para criar uma rota de fuga para o desemprego.

Muitas vezes, muitas empresas só não contrata um profissional por ele ainda estar trabalhando, o que poderia prejudicar a empresa com a incerteza de que ele sairá da atual para migrar para a nova empresa.

E não tenha vergonha, ok? Ter iniciativa é uma característica preciosa no mercado de trabalho. O único motivo de sentir vergonha é por não tentar. Siga esse “mantra” que você atingirá o sucesso!

 

10 – Busque crescer e expandir

Pensar grande é outra característica importantíssima para ser bem sucedido. Querer crescer, ser alguém maior, melhor. Isso não é ganancia, mas sim determinação. A ambição – por mais que usada como algo pejorativo, muitas vezes – é algo muito motivador.

Portanto, se você gosta do seu trabalho e considera ele seu sonho, procure uma especialização e aumentar seu repertório de conhecimento.

Pensando ainda maior, se não conseguir ser empregado, faça você mesmo seu próprio emprego. “Mas é fácil falar. Quero ver dar certo”, acredite, foi isso que eu mesmo fiz na minha vida e com certeza, se eu pudesse, faria de novo sem arrependimento.

Então seja também mais empreendedor, faça seu próprio negócio e olhe apenas para frente. Se pensar em voltar para trás, só se for para pegar impulso!

 

Seguindo esses paços você já estará pronto para essa péssima eventualidade. Se quiser mais dicas como essa, basta deixar seu e-mail aqui embaixo para receber nossa newsletter e comentar sua dúvida aqui nos Comentários. Grande abs, primos e primas.

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
O Caminho

Relacionados