Saiba em que investimentos apostar com a SELIC baixa

queda_selic

A taxa de juros caiu mais uma vez, e agora, onde investir com a Selic baixa?

A Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) é conhecida como a taxa de juros básica da economia brasileira. Isso significa que se ela sobe, todos os juros sobem junto — o que é ótimo para quem investe e péssimo para quem precisa de empréstimos.

A taxa é regulamentada pelo COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil), que faz uma reunião a cada 45 dias para decidir se a taxa vai subir ou descer.

Nos últimos meses, temos visto uma queda constante desse indexador, o que nos leva a questionar: onde investir com a Selic baixa? Será que o Tesouro Direto ainda é interessante? Que opções temos para investir? Para responder a essas e outras perguntas, fizemos este texto. Vamos conversar?

Porque a Selic estava tão alta?

Antes de entender onde investir com a Selic baixa, é importante conhecer os motivos que levaram a alta e a baixa desse indexador. Assim você pode, inclusive, se prevenir de futuros cenários.

E a história é mais ou menos assim: em 2016 a taxa Selic chegou a atingir o valor de 14,25% ao ano. Mas… porque isso aconteceu? A resposta é simples: a inflação estava alta!

No ano de 2015 o Brasil chegou a atingir a inflação anual de 10,64%. Lembra como os preços dos produtos estavam subindo de um mês para o outro? É por causa disso!

Com a inflação tão alta, o governo precisava fazer alguma coisa, senão o país entraria em falência. E quem é que pode reverter essa situação? O Banco Central!

A inflação do Brasil funciona com o formato de meta, em que se espera o valor x de crescimento ou queda dentro de determinado período. Quando as projeções superam a meta, o Banco Central pode intervir.

A forma que ele tem para mudar a economia brasileira é por meio da taxa básica de juros, a Selic. Quanto maior for a taxa, menor vai ser o número de empréstimos feitos, ou seja, terá menos dinheiro circulando no país.

Como resultado, a economia “esfria” e a inflação entra em queda — e foi exatamente isso que aconteceu! Desde o aumento da taxa Selic, a inflação acumulada saiu do patamar de 10,67% em 2015 para 2,95% em 2017.

Como está a Selic hoje?

Como não poderia ser diferente, com a queda constante da inflação, a Selic também caiu. E hoje, março de 2018, a taxa está  6,50% ao ano.

Essa queda gerou três efeitos no país: a renda fixa, principalmente os títulos do Tesouro Direto, estão rendendo menos, os juros pagos por empréstimos está menor, o que aumenta o acesso a crédito dos consumidores e das empresas. Então o que podemos concluir?

De maneira geral, as companhias já estão voltando a crescer, pegando capital e investimento no próprio desenvolvimento — aqui já temos um sinal de que investir em empresas pode ser interessante.

Isso é ainda mais visível, quando pensamos no poder de compra do brasileiro: com a redução dos juros, as pessoas podem consumir mais. Como resultado temos um aumento na demanda, o que leva as empresas a aumentarem a produção.

Como resultado dessa situação, o Tesouro Direto ficou bem menos atraente do que era a dois anos atrás, apesar de ainda ser uma opção. Então, para continuar tendo  acesso a produtos com boa rentabilidade, chegou a hora de você buscar mais aplicações!

inscrição pra newsletter: [contact-form-7 id=”6424″ title=”Newsletter”]

Onde investir com a Selic baixa?

E já nesse clima de procurar por oportunidades mais interessantes, que tal conhecermos alguns investimentos interessantes? Assim você descobre onde investir com a Selic baixa e continua atingindo seus objetivos!

Investimentos de curto prazo

De nada adianta encontrar investimentos com alta rentabilidade, se na hora do aperto você vai precisar resgatar o dinheiro e ficar no prejuízo, não é mesmo?

Então seu foco inicial precisa ser na construção do fundo de emergência. Esse fundo nada mais é do que um investimento que tenha no mínimo seis meses do seu salário atual. O foco dessa aplicação não é a rentabilidade, mas a liquidez.

E o que é a liquidez? É o tempo que demora para você transformar seu investimento em dinheiro.

Basicamente, esse dinheiro vai servir para que você “segure as pontas” caso fique impossibilitado de trabalhar ou tenha que lidar com uma dívida muito alta.

Os investimentos indicados para a criação do fundo de emergência, apesar da baixa da Selic, são o Tesouro Selic e os Fundos DI.

Investimentos de longo prazo

Já tem seu fundo de emergência? Já consegue investir com segurança, podendo abrir mão do dinheiro por dois, cinco ou dez anos? Então agora é a hora de falar dos investimentos mais rentáveis com a queda da taxa de juros!

Lembra que falamos que queda da taxa de juros beneficia as empresas porque reduz o custo dos empréstimos? Isso afeta diretamente o preço das ações negociadas na bolsa de valores. Esse é um dos investimentos para ficar de olho!

Que tal já começar a dar uma estudadinha sobre investimento em ações na bolsa de valores?

Outra aplicação que deve chamar a atenção nos próximos meses é o Fundo Imobiliário. Isso acontece porque apesar da queda da taxa de juros, os imóveis não se desvalorizam. Pelo contrário: com mais gente tendo acesso a crédito, a compra de imóveis aumenta e o preço tende a subir.

E para investir nesse ativo, você não precisa comprar um apartamento de luxo. Com apenas R$ 100,00 é possível adquirir a conta em um Fundo Imobiliário — isso é feito pela bolsa de valores!

Por fim, mas não menos importante, uma das apostas mais óbvias com a queda de juros é em ativos pré-fixados. Por ser pré-fixado, esse tipo de ativo não oscila com a queda da Selic, ou seja, ele é uma opção mais atrativa do que apostar no aumento da inflação quando o país está com a economia estável.

Qual a importância de diversificar os investimentos?

E mesmo que você tenha gostado mais de um investimento do que dos demais, lembre-se: é sempre importante diversificar sua carteira. Quanto mais ativos nos temos, mais expostos ficamos às oscilações do mercado.

Essa exposição reduz o risco das aplicações, já que você abarca diversos cenários em seus ativos. Veja o exemplo dos títulos pré e pós-fixados: ao ter esses dois produtos em sua carteira de investimentos, você se protege tanto da alta da inflação quanto da queda dos juros.

E agora que você já tem uma ideia sobre onde investir com a Selic baixa, que tal começar a pensar na diversificação da sua carteira? Se proteja com um fundo de emergência e comece a investir a longo prazo!

E aí, conseguimos tirar suas dúvidas? Gostou do conteúdo? Então assine nossa newsletter e fique sabendo, diretamente em seu e-mail, de tudo que estamos fazendo!

Em breve eu vou lançar um projeto que venho trabalhando há meses, um projeto do qual destinei todo o meu esforço. É um projeto para transformar a sua vida e a vida de todos a sua volta, mudando sua vida pessoal e principalmente financeira. Para saber QUANDO esse projeto vai sair do papel, e QUAIS ferramentas ele vai te fornecer, CLIQUE AQUI e deixe seu contato para receber mais informações em primeira mão!