Robo-advisor x robo-trader: entenda as diferenças entre os robôs investidores

Até pouco tempo atrás, seres humanos (como o gerente do banco e o assessor de investimento) eram as principais referências na hora de ajudar você a decidir onde investir...

Até pouco tempo atrás, seres humanos (como o gerente do banco e o assessor de investimento) eram as principais referências na hora de ajudar você a decidir onde investir seu dinheiro. Hoje em dia, porém, os algoritmos estão crescendo e aparecendo, proporcionando a você estratégias de investimento friamente calculadas a partir da análise de dados sobre diversos tipos de investimentos, evitando o viés emocional típico dos humanos. São os chamados robôs de investimento.

Além de montar estratégias inteligentes, os robôs de investimento automatizam uma parte do processo de investimento, facilitando a vida de quem não tem tempo e/ou vontade de se dedicar aos investimentos.

Mas é preciso atenção: não é porque é robô que é tudo igual! O funcionamento desses algoritmos pode variar bastante. É preciso entender quais são os principais tipos de robôs disponíveis no mercado e qual deles pode atender suas necessidades. A confusão mais comum ocorre entre os chamados robo-advisors e robo-traders. Vamos entender como cada um deles funciona.

Robo-advisor: carteira diversificada e risco sob medida

Os robo-advisors ou consultores-robô são serviços automatizados de investimento. Esse tipo de robô monta e gerencia uma carteira de investimentos diversificados para você.

Para isso, é preciso responder um pequeno questionário com informações como o valor que pretende investir, sua capacidade de poupar todos os meses, idade, objetivo com o investimento e outras perguntas para identificar seu perfil de tolerância a riscos. Os algoritmos então calculam a alocação e apresentam a carteira recomendada. A proporção de cada investimento na carteira varia de acordo com o perfil de risco.

Depois disso, é preciso abrir sua conta na instituição financeira vinculada ao robô. Ao enviar o dinheiro por meio de uma TED, o robô aplica conforme previsto e faz a manutenção e rebalanceamento da carteira.

Atualmente, as principais empresas brasileiras oferecendo esse serviço são a Vérios (que se inspirou no Wealthfront e Betterment, dos Estados Unidos), Magnetis, Warren e Monetus.

Os tipos de investimentos oferecidos variam de empresa para empresa. A Vérios monta as carteiras com títulos do Tesouro Direto e ETFs, ao passo que a Magnetis oferece fundos, títulos de crédito privado e ETFs. A Warren trabalha com fundos próprios e a Monetus, com títulos de crédito privado e um fundo próprio de ações.

 

Exemplo do sistema de acompanhamento da Vérios

 

A estratégia de investimento dos robo-advisors é baseada em um modelo clássico de alocação de ativos, a Teoria Moderna do Portfólio. O custo cobrado pelo robô geralmente é uma taxa de gestão aplicada como um percentual ao ano sobre todo o valor investido e o pagamento é feito automaticamente, descontado da sua carteira.

 

Recentemente o jornal Valor Econômico publicou uma reportagem sobre os principais robôs-consultores disponíveis no Brasil.

Robo-trader: estratégias customizadas com renda variável

Ao contrário dos robo-advisors, os robo-traders não têm a pretensão de investir o seu patrimônio de forma diversificada. O foco desses robôs é renda variável. Por isso mesmo, o serviço é voltado para traders, pessoas que estão habituadas aos riscos de operar no mercado de ações.

 

Ao investir com uma plataforma de robo-trader você tem a liberdade de configurar a estratégia desejada para comprar e vender ações e outros ativos de renda variável na B3 (antiga BM&FBovespa).

 

A empresa SmarttBot, por exemplo, oferece em seu site algumas estratégias prontas com preços que variam entre R$ 199 e R$ 699 por mês (há também um plano gratuito). Outra opção é configurar a sua própria estratégia em vez de apenas seguir uma predefinida. Outra empresa que oferece o serviço de robo-trader é a Dod.

 

Ao assinar um plano de robo-trader, é preciso autorizar a vinculação da sua conta na corretora ao serviço. Além do custo das estratégias do robô, você também arca com os custos de corretagem de cada operação, que variam de corretora para corretora.

Um robô investidor para chamar de seu

Qual robô dá um match com você? Resumimos na tabela abaixo as principais características dos robo-advisores e robo-traders.

 

Robo-advisors Robo-traders
Público-alvo Pessoas com diferentes perfis de investidor, que querem investir de forma diversificada com facilidade, pois não pretendem gerenciar as aplicações por conta própria Pessoas com perfil arrojado a agressivo, experiência em operações com renda variável e disposição a seguir estratégias mais arriscadas
Conhecimento prévio? Não é preciso Importante ter boa noção do mercado de renda variável
Aplicação mínima inicial Vérios: R$ 12 mil (ou R$ 5 mil tendo um convite)

 

Magnetis: R$ 10 mil

Warren: R$ 100

Monetus: R$ 100

Não há/Depende da estratégia
Valor mínimo para novas aplicações Vérios: R$ 100

 

Magnetis: R$ 100

Warren: R$ 100

Monetus: R$ 100

Não há/Depende da estratégia
Custo dos investimentos Vérios: 0,95% ao ano sobre o valor investido

 

Magnetis: varia entre 0,49% e 1,18% ao ano dependendo da carteira

Warren: 0,80% ao ano

Monetus: 0,45% ao ano

Depende da estratégia. É preciso considerar também os custos da corretora na compra e venda de ativos
Rentabilidade Depende de diversos fatores. Consulte as empresas para mais informações Depende da estratégia

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Investimentos

Relacionados