O que você deve saber para fazer investimentos inteligentes?

Muitas pessoas têm o desejo de investir, mas a maioria ainda não faz ideia de como começar e tem medo de aplicar seu dinheiro em algo que possa acabar...

Muitas pessoas têm o desejo de investir, mas a maioria ainda não faz ideia de como começar e tem medo de aplicar seu dinheiro em algo que possa acabar dando prejuízo. Apesar de ser ideal definir algumas coisas importantes, além de fazer algumas pesquisas, investir não é um bicho de sete cabeças.

No artigo de hoje vamos falar sobre algumas questões que você precisa saber para fazer investimentos inteligentes. Confira agora mesmo!

Qual é o seu objetivo?

Definir qual é o seu objetivo para o investimento é o primeiro passo, e um dos mais importantes, para conseguir tomar boas decisões e fazer investimentos inteligentes. É por meio dele que se começa a ter uma noção melhor do tipo de investimento mais adequado.

Esse objetivo pode ser identificado tendo em mente o tempo que se deseja investir, se a intenção é obter estabilidade financeira, quanto se espera ganhar, qual a quantia disponível para investir, entre outros aspectos.

Quando se decide investir, você inicia uma mudança de hábitos, começando por separar uma quantia específica para esse fim. Para que essa reserva não prejudique o orçamento mensal, o ideal é começar a controlar melhor os gastos pessoais, que podem ser melhor acompanhados por meio de planilhas financeiras, que ajudam a identificar melhor todos os custos.

Quais são os riscos?

Existem diversos tipos de investimentos, que oferecem os mais variados graus de risco. Existem investimentos de pouco risco, como a poupança, e investimentos de risco mais alto, como a compra de ações.

É preciso ter ciência de que quanto menor o risco, menor será a rentabilidade, e quanto maior o risco, maiores as possibilidades de ganhos.

Qual é o seu perfil de investidor?

Saber qual é o seu perfil de investidor é muito importante para fazer investimentos inteligentes. Esse perfil é relevante pois ajuda a identificar melhor o nível de risco que se deseja correr e a rentabilidade que se deseja alcançar. Os perfis são os seguintes:

Conservador

Tem pouca tolerância ao risco, buscando perder a menor quantia possível no investimento. Por esse motivo, também não pode esperar uma rentabilidade muito alta.

Moderado

Aceita correr um risco maior do que o conservador, buscando maximizar sua rentabilidade. Porém, ainda apresenta uma insegurança a respeito do retorno e das perdas;

Agressivo

Em geral esse é um tipo de investidor que já conhece o mercado de aplicações. Não tem medo de correr riscos, desde que o retorno também seja alto.

Onde investir seu dinheiro?

Existem muitas opções de investimentos, que atendem os mais variados objetivos e perfis de investidores. Podemos citar como exemplos o Tesouro Selic, o CBD, as Letras de Crédito Imobiliário e a Bolsa de Valores.

Após a escolha, é necessário definir qual será a instituição financeira responsável por intermediar o investimento. O ideal é pesquisar sobre elas, sua reputação e a opinião dos seus clientes a respeito dos serviços.

Muitas pessoas acabam investindo na poupança por ser o tipo de investimento mais conhecido, sem se dar conta de que existem outras modalidades, igualmente seguras, que oferecem rentabilidade superior. Portanto, se sua intenção é poupar e fazer uma reserva de emergência, por exemplo, a poupança é válida. Contudo, se a ideia é ganhar dinheiro, esqueça essa opção.

Qual é a duração de um investimento?

Alguns investimentos são mais adequados para longo prazo, enquanto outros oferecem maior liquidez. É importante definir o tempo de aplicação, pois ele também influência na escolha do tipo de investimento que você fará.

Normalmente, quanto maior for o tempo até a necessidade da retirada, maior é o grau de risco que se pode tomar no investimento.

Dica: mesmo com o investimento, procure separar uma reserva de emergência. Assim, quando alguma situação não prevista ocorrer, você tem meios para cobrir os custos e não abrir mão do seu investimento.

Quanto custam os investimentos inteligentes?

O investimento tem um custo para o investidor. Dentre as diversas cobranças, a mais famosa delas é a chamada taxa de administração (o ideal é que ela fique em torno de 1,5%. Se esse percentual ficar acima dos 2,5%, fuja!). Além disso existem as taxas de:

  • Corretagem, que é cobrada pelas corretoras que fornecem seus serviços.

  • Custódia, cobrada em decorrência da manutenção do investimento.

  • Emolumentos, referente ao serviço da Bolsa.

  • Imposto de Renda, cobrado em alguns tipos de investimentos (verifique se o escolhido por você sofre a incidência dele).

  • IOF, que é o Imposto sobre Operações Financeiras.

  • Carregamento, que costuma ser cobrada nos fundos de previdência.

Verifique quais são as taxas e cobranças relativas ao tipo de investimento escolhido e quais são seus respectivos valores. Coloque tudo na ponta da caneta e verifique se a aplicação realmente valerá a pena. Muita gente desconhece ou ignora essas questões e acaba aplicando seu dinheiro em investimentos que, na verdade, não são tão rentáveis quanto se espera.

A economia influencia nos resultados das aplicações?

Sem dúvidas, fatores como a inflação e taxa Selic, por exemplo, influenciam diretamente nos rendimentos que seu investimento pode ter. Além disso, depois de feita a aplicação, muita gente acaba se esquecendo dela e deixando-a de lado, esperando apenas o momento de resgatar o dinheiro.

Porém, um investimento precisa de cuidados, além da análise do mercado. Portanto, o ideal é acompanhar as situações do mercado e variações na economia, pesando se vale a pena (ou não) continuar investindo na modalidade que foi escolhida.

É possível pedir ajuda em caso de dificuldades?

Se você tiver dificuldade em fazer o investimento, pode contar com profissionais e empresas especializadas, que podem tirar as dúvidas e ajudar a fazer escolhas mais sábias, que contribuirão para que você possa fazer investimentos inteligentes e obter os melhores resultados possíveis.

Como podemos ver, ao identificar melhor quais são seus objetivos e o que você espera de uma aplicação, grande parte do trabalho de escolher um investimento coerente é feita. Porém, ao mesmo tempo existem detalhes que as pessoas em geral desconhecem e que podem acabar virando uma armadilha (como o caso das taxas e cobranças, por exemplo). Logo, quanto mais você estudar e quanto mais conselhos obter, maiores serão as chances de fazer investimentos inteligentes.

O que achou das nossas dicas? Ficou claro como é possível fazer investimentos inteligentes? Aproveite para conhecer melhor o nosso trabalho e saiba tudo sobre o mercado financeiro.

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Investimentos

Relacionados