Liquidez: Entenda porque ela é importante

É muito comum, quando vamos analisar como o investidor se comporta, que notemos uma característica entre a grande maioria: todos eles acreditam que a rentabilidade – e não a liquidez – é...
liquidez-entenda

É muito comum, quando vamos analisar como o investidor se comporta, que notemos uma característica entre a grande maioria: todos eles acreditam que a rentabilidade – e não a liquidez – é a característica mais importante de um investimento.

Claro que é super importante que a rentabilidade seja uma taxa atrativa. Afinal, do que adianta investirmos em um investimento X se ele não rende nem acima da inflação? Não faz nenhum sentido.

Porém, o assunto que quero tratar aqui é sobre como a liquidez tem um impacto ainda maior na saúde da sua carteira de investimentos. E que liquidez não é rentabilidade!

Para o investidor que tem um pouco mais de experiência isso já pode não ser uma novidade, mas, para aqueles que o mercado financeiro é um mundo novo, muitas vezes estes termos acabam sendo muito confusos e pouco claros.

Por isso, primeiro definirei o conceito e depois falarei um pouco mais da importância da liquidez em uma carteira de investimentos saudável.

Mas, o que é liquidez?

Para quem é novo ainda no mundo dos investimentos, pode ser que o termo ainda não fique claro. Basicamente, a liquidez é o quão rápido você consegue tornar um ativo/valor em dinheiro vivo.

Então, no caso de um investimento, por exemplo, o quão rápido você consegue resgatar o investimento e transferir para a sua conta, determina a liquidez do ativo.

Mais rápida é a velocidade da qual você consegue realizar esse processo, maior é a sua liquidez!

Por que ela é importante?

Irei demonstrar isso com um exemplo:

Suponha que, como primeiro investimento, o investidor X escolha um CDB com prazo para 3 anos, pois viu que a rentabilidade estava em 118% do CDI, uma taxa muito boa para renda fixa atualmente.

Só há um porém: esse CDB tem a liquidez muito baixa, só pode ser resgatado na data de vencimento.

A princípio, nessa parte é comum também que o investidor pense: “ah, não irei precisar desse dinheiro para 3 anos, então está tudo bem, não preciso me preocupar.”

Esse é o típico erro que pode complicar muito a sua vida.

É nessa parte que o investidor esquece do fato que podem ocorrer imprevistos, ou pior, esquecer que um imprevisto é caracterizado pela impossibilidade de se prever.

Então, se o investidor não tem um dinheiro em reserva do qual possa fazer o resgate, se ocorrer um imprevisto, ele fica de mãos atadas.

Como ele vai retirar o dinheiro do CDB sendo que é estabelecido que não dá para fazer? Se entra numa sinuca de bico!

Adicionalmente, dependendo da gravidade do imprevisto, se endividar pode acabar se tornando a única alternativa. O que não é nada bom.

Então, principalmente para o investidor que está começando, a liquidez é sim MUITO importante!

Mas, serve apenas para imprevistos?

Não! Isso acaba variando também de como é a carteira do investidor, do seu perfil, e da sua vida, em si.

O investidor do qual tenha que fazer diversas retiradas de dinheiro no mês para necessidades que estão dentro da normalidade precisa de liquidez.

O investidor que usa o seu dinheiro como renda mensal necessita também uma liquidez que faça sentido para a carteira.

O investidor que simplesmente é conservador demais e não tem confiança em deixar o dinheiro preso também precisa de liquidez.

Em suma, a liquidez se faz necessária dependendo de como é o investidor e como anda a sua vida!

Avaliando a necessidade de liquidez

Um fato é: todos precisamos de liquidez na nossa carteira de investimentos. Podemos escolher, porém, a forma da qual fazemos isso.

O primeiro passo é, sempre, fazer o seu fundo de emergência. É este que dará grande parte da liquidez que a sua carteira precisa.

Claro que, mesmo que o fundo de emergência seja para prever imprevistos, você é livre de retirar alguns valores para alguns objetivos temporários.

O que recomendo, porém, é que faça o fundo de emergência inteiro justamente pensando nos imprevistos e, uma vez este já estando formado, procure outros investimentos com liquidez para satisfazer outros objetivos.

É bom entender que, para o fundo de emergência, o melhor é que se procure a melhor liquidez possível, ou seja, a diária. Mas isso não significa o mesmo para os outros objetivos.

Caso outros objetivos seus envolvam, por exemplo, uma viagem ao final do ano, você pode procurar um investimento que tenha liquidez próxima à data da viagem.

Caso a ideia seja utilizar mês que vem, basta procurar uma liquidez de um mês.

E por ai vai. O importante é entender que, além da rentabilidade, faz muito sentido também procurar uma liquidez que dê meios para buscar seu objetivo da forma correta.

Este artigo no blog sobre fundo de emergência pode te ajudar bastante a entender uma estratégia bacana de investimentos.

Preciso de liquidez, quais investimentos procurar?

Você pode procurar pelos seguintes investimentos:

  • Fundos DI;
  • Tesouro Direto;
  • Fundos de Investimento*
  • Títulos de Renda Fixa**

*Englobam os fundos DI, mas há fundos com prazos e características diferentes que é bom ficar atento.

**Os títulos de Renda Fixa são um caso a parte. Alguns possuem liquidez alta, outros não. Fique atento.

Saliento que é bom avaliar todos estes e ver qual faz mais sentido para você. Caso não consiga fazer isso de forma eficiente, este e-book pode te ajudar bastante.

Resumo da obra

Chegando até aqui, podemos até mesmo fazer uma lista com o que deve ser levado em conta:

  1. Liquidez é importante para a carteira de investimentos de todo tipo de investidor;
  2. Mais ou menos desta depende do investidor e suas necessidades, mas é fato de que precisa haver;
  3. Boas formas de trazer liquidez para a carteira de investimentos, podem envolver, no geral, não só fundo de emergência mas também objetivos e necessidades pontuais.

Tendo tudo isso em mente, agora é só se planejar! Se possível, pegue todas as suas opções de investimento, faça um planejamento financeiro e traga os seus gastos para um excel, levando em conta, também, os seus gastos e possíveis gastos futuros.

Dessa forma, você consegue avaliar melhor sua condição financeira e consegue fazer uma escolha melhor ao decidir qual investimento é o que faz mais sentido para sua carteira de investimentos!

Até a próxima!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
InvestimentosTaxas e Conceitos

Relacionados