Imposto de Renda – Saiba o que é o Come-Cotas!

Olá Primos, hoje irei abordar um tema que, muitas vezes, passa despercebido na hora de investir em fundos de investimento, mas que pode impactar e muito na sua carteira...
Come_Cotas

Olá Primos, hoje irei abordar um tema que, muitas vezes, passa despercebido na hora de investir em fundos de investimento, mas que pode impactar e muito na sua carteira no longo prazo: O imposto de renda na modalidade do come-cotas.

Inclusive, muita gente deve estar se perguntando agora o que é come-cotas, e, nada mais justo que eu explique para vocês o que exatamente é o come-cotas.

 

O que é?

O come-cotas funciona como se fosse uma antecipação do imposto de renda. Essa antecipação ocorre em 2 meses: maio e novembro.

Nesses meses, ocorre uma cobrança de imposto de renda na menor alíquota do tipo de fundo que ele é, que pode ser um fundo de curto prazo ou fundo de longo prazo.

Para poder explicar melhor o funcionamento desse imposto de renda, irei primeiro explicar como ocorre o pagamento de imposto de renda nas aplicações de renda fixa.

 

Imposto de renda para Renda Fixa

O imposto de renda cobrado na renda fixa funciona da seguinte forma:

  • O resgate para aplicações com o tempo entre 0 – 180 dias será cobrado o imposto de 22,5%;
  • O resgate para aplicações com o tempo entre 180 – 360 dias será cobrado o imposto de 20%;
  • O resgate para aplicações com o tempo entre 360 – 720 dias será cobrado o imposto de 17,5%;
  • O resgate para aplicações com o tempo acima de 720 dias será cobrado o imposto de 15%.

Como pode observar, o imposto de renda para Renda Fixa é cobrado apenas no resgate e de acordo com o tempo de investimento.

 

Come-Cotas em ação

O come-cotas funciona da mesma forma, porém, diferente da renda fixa em que é cobrado apenas o resgate, o come-cotas age de forma diferente.

Como dito antes, há uma antecipação do imposto de renda na menor alíquota possível nos meses de maio e novembro. Isso pode ocorrer com 2 taxas, dependendo do tipo de fundo.

Para os fundos considerados de curto prazo, o come-cotas é taxado em 20%, pois, nos fundo de curto prazo, 20% é a menor alíquota de imposto.

Para os fundos considerados de longo prazo, ai é taxado em 15%, o que é o mais comum de vermos.

Por exemplo:

Você investiu R$25.000,00 em janeiro em um fundo de longo prazo, e, em maio, terminou com R$35.000,00 investidos. Isso totaliza o rendimento de 10.000,00 no período aplicado.

Porém, como maio é um dos meses do come-cotas, será cobrado um Imposto de renda de 15% em cima dos R$10.000,00, mesmo que você não tenha efetuado o resgate.

Assim sendo, ao final da cobrança do come-cotas, você ficou com R$33.500,00 na sua conta, pois R$1.500 (15% de R$10.000,00) foram retirados pelo come-cotas.

E por aí vai. Sempre que chega os meses de maio e novembro, mesmo que não haja resgate, é descontada a mesma porcentagem do fundo!

 

E se eu resgatar o valor entre maio e novembro?

Imaginemos a situação com um exemplo semelhante:

Você investiu R$25.000,00 em janeiro em um fundo de curto prazo, e, em maio, terminou com R$35.000,00 investidos.

O come-cotas dessa vez, por ser um fundo de curto prazo, é 20%. Assim sendo, foi cobrado um imposto de renda de R$2.000,00 na sua conta e você ficou com o total de R$33.000,00.

Porém, logo no primeiro dia do mês de abril você solicitou o resgate total do fundo. Pelo fato de não ter completado 180 dias de aplicação, o imposto de renda no resgate é de 22,5%.

MAS, como você já pagou 15% em maio, nesse mês de abril esse valor de 15% será abatido do imposto de renda no resgate.

Em outras palavras, você precisará pagar apenas 7,5% de imposto de renda, pois o restante da porcentagem já foi efetivamente paga em maio!

 

Problemas de longo prazo

Agora que você entende como funciona o come-cotas, já dá para entender o porquê dele ser problemático no longo prazo.

O fundo sendo curto ou longo prazo é o de menos. O maior problema é o fato de que, conforme o tempo de aplicação nele aumenta, são gerados 2 problemas que se complementam:

  • O IR é descontado 2 vezes no ano e não só no resgate, como nos títulos de renda fixa;
  • O fato de ser descontado mais vezes resulta no fato de que o efeito dos juros compostos é reduzido de forma significativa.

Se com R$10.000,00 de rendimento já é retirado R$1.500, imagina esse efeito ocorrendo 2 vezes por ano na sua carteira, sendo que conforme aumenta o total investido também aumenta o valor retornado.

A perspectiva, quanto mais passa o tempo, é de ir perdendo cada vez mais dinheiro para o imposto de renda.

Pior ainda se pensarmos num fundo que é considerado de curto prazo.

Nada legal, não é? Por isso, são necessárias algumas estratégias.

 

O que fazer?

Apesar de, ao nos depararmos com essa realidade, acharmos que os fundos com come-cotas não compensam, isso não é verdade.

Para o longo prazo, realmente, podem haver opções melhores, e a previdência privada é uma delas.

Agora, para o curto prazo, principalmente quando estamos falando de um investimento que você irá sacar dinheiro constantemente, o come-cotas se torna, então, não muito significativo.

Por isso, fundos DI podem se tornar uma alternativa muito boa para fundo de emergência em relação ao tesouro Selic, quando consideramos o curto prazo.

Isso porque, além do fundo DI poder render mais, ele também pode ter uma liquidez melhor, que aí acaba o favorecendo para ser fundo de emergência!

Só não se esqueça que isso só vai até o curto prazo. 😝

E não se esqueça também que o come-cotas é muito comum em fundos convencionais. Dessa forma, não temos muito a fazer para fugir deles.

O que podemos fazer é, além de não segurar o investimento por muito tempo, também é útil que procuremos nas informações do fundo que tipo de fundo ele é.

Afinal, temos que evitar o máximo possível pegar os fundos de curto prazo, mesmo que não tenhamos a intenção de ficar com ele para o longo prazo.

Assim, economizamos 5% que iriam para o imposto de renda!

 

Fechando o assunto

Então, o que posso dizer é: a escolha do fundo e o impacto do come-cotas na sua carteira de investimentos dependem do tempo de investimento que estamos falando.

Para curto prazo, não gera impactos significativos, tanto que recomendamos alguns fundos que possuem come-cotas mas que compensam investir como fundo de emergência neste e-book.

Agora, para longo prazo, considerar outras opções, como até mesmo a previdência privada e o tesouro ICPA, podem fazer bem mais sentido.

 

É isso primos! Até a próxima!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
InvestimentosTaxas e Conceitos

Relacionados