Fundos Multimercado: você precisa conhecer!

O nome, como você pode perceber, já é sugestivo: Fundos Multimercado. Obviamente, já temos ideia de que ele trabalha com “vários mercados”. Mas a questão agora é: quais são...
fundos multimercado voce precisa conhecer

O nome, como você pode perceber, já é sugestivo: Fundos Multimercado. Obviamente, já temos ideia de que ele trabalha com “vários mercados”. Mas a questão agora é: quais são os mercados que compõem esse fundo? Quais são os riscos que o envolvem? Será que não compensa investir separadamente em vários mercados?

Tudo isso a gente vai conversar hoje e, então, você poderá esclarecer suas dúvidas e conhecer melhor sobre essa aplicação. Tenho certeza que você vai ver esse tipo de investimento com outros olhos.

 

Como funcionam os Fundos de Investimentos?

Os Fundos Multimercado são, de longe, os prediletos dos Gestores de Fundos. Isso porque eles possuem uma flexibilidade maior para realizar as aplicações.

“Mas como assim Primo Rico, quem são esses gestores?” Calma, vou te explicar agora mesmo! Desde bancos até as gestoras menores, todas possuem o mesmo quadro de Prestadores de Serviços dos Fundos.

Esse quadro de Prestadores de Serviços é essencial para obter bons resultados em um Fundo de Investimento. São eles que vão regulamentar, administrar, gerenciar e rentabilizar ao máximo os resultados.

São 4 principais prestadores de serviços:

  • Administrador: São responsáveis por controlar as aplicações e resgates, além de calcular o valor da cota. Ele também é representante do Fundo perante os órgãos de fiscalização do Governo Federal (CVM e BACEN). O Administrador deve ser uma instituição financeira aprovada pelo Banco Central.
  • Custodiante: São responsáveis pela guarda dos títulos que compõe a carteira de investimento do fundo. Ele também deve ser autorizado pelo Banco Central para exercer essa função. Geralmente, são os grandes bancos que são responsáveis por essa guarda dos títulos e pelo repasse de informações dos fundos para Gestores e Administradores.
  • Auditor: São responsáveis por fiscalizar todas as operações realizadas no Fundo, para verificar se realmente está ocorrendo todos os processos conforme o Prospecto do Fundo. Esse documento é o regulamento informado aos Cotistas (investidores do Fundo) com todas as regras e informações necessárias sobre o investimento. Além disso, o Auditor também analisa se as operações praticadas estão dentro dos padrões e preços de mercado.
  • Gestor: São responsáveis pela gestão do patrimônio do Fundo de Investimento. Ele pode ser uma pessoa física ou jurídica, devidamente registrado junto a CVM. Ele é quem deve agregar valor ao Fundo, buscando os melhores produtos no mercado.

 

Riscos dos Fundos Multimercado

A possibilidade de diversificação de Fundos de Investimentos é vasta. Podem ser Fundos com mais liquidez, ou que prezam por rentabilidade, ou que tendem a garantir segurança ao cotista. De fato, Fundos de Investimentos podem ser bem diversificados.

Especificamente em Fundos Multimercado, os fatores de risco são ainda mais variados. Isso porque, com esse Fundo, os valores aplicados podem ser distribuídos por mercados completamente diferentes entre si.

Portanto, é preciso muita atenção ao escolher um Fundo Multimercado, pois devemos nos atentar a “quem comandará as aplicações”. A chance de conseguir bons resultados é alta, mas as chances também de ter prejuízos são bem reais. Para isso, é preciso saber alguns detalhes fundamentais:

  1. Quem é o Gestor desse Fundo?
  2. Quais estratégias vão ser usadas para as aplicações?
  3. Conhecer o Histórico de Rentabilidade desse Gestor (para conhecer o desempenho dos especialistas que serão responsáveis pelo seu dinheiro);

Outro fator importante para analisar ao investir em um Fundo Multimercado é a Alavancagem dele. Alavancagem é a possibilidade de um Gestor operar com mais dinheiro do que de fato possui naquele Fundo. Esse fator é arriscado, pois há grandes chances do cotista ter que aplicar mais dinheiro no Fundo, já que o patrimônio está “negativado”.

 

vantagens fundos multimercado

Vantagens de operar com Multimercado

Agora vem a parte mais legal dessa história toda. Porque atrás de tantos detalhes, temos que ser realistas e identificar os pontos negativos e positivos. Como já vimos os riscos, agora veremos o que conseguimos ganhar com os Fundos Multimercado.

Primeiramente, vamos frisar que com esse tipo de fundo podemos trabalhar com vários mercados distintos e diversas estratégias. Isso quer dizer que podemos aplicar o dinheiro em um único fundo, que será distribuído para outros ativos e formas de aplicações financeiras.

Em outras palavras, não há uma regra especifica para Fundos Multimercado. Quem define como serão aplicado os valores é o Gestor. Essa é a sua principal característica: sua abrangência. Ele consegue atingir qualquer nicho do mercado financeiro, desde investidores conservadores até os mais agressivos.

Mas para essa vantagem ter sucesso, os Gestores desse tipo de Fundo precisam ser experientes na área. Então quando se trata desse Fundo, pode ter certeza de que o profissional que cuidará dele é muito bem capacitado. Só não se esqueça de verificar o Histórico de Rendimentos dos Fundos que esse Gestor gerencia, ok?

Como dito antes, a sua função do Gestor é buscar os melhores produtos para serem investidos. Até por isso, alguns dos Fundos Multimercado cobram uma taxa especial para esse Gestor.

A Taxa de Performance. Ela pode ser considerada algo como desvantajoso para muitos investidores, por ser um custo considerado “desnecessário”. Mas temos de enxergar os dois lados da moeda. Por ora, vamos apenas classificar como um ponto positivo. A explicação veremos logo mais, no decorrer do artigo, na parte dos “Custos”.

 

Principais tipos de Fundos Multimercado

Vamos destacar alguns dos mais comuns e suas principais características. Olha só:

  • Multiestratégia: Como o próprio nome diz, é um fundo que possui diversas estratégias. Seu benefício é a diversificação que pode alcançar diversos objetivos financeiros ao mesmo tempo. Esse tipo pode ter Alavancagem.
  • Balanceados: Essa modalidade tende a balancear os investimentos em vários mercados, como: Câmbio, Renda Fixa, Ações, etc. Isso, claro, vai depender da perspectiva de cada mercado. Nesse tipo não pode ter Alavancagem.
  • Multigestor: Olha só que interessante. Nesse Fundo, o Gestor identifica as melhores oportunidades do mercado e investe em outros Fundos de Investimento. É um Fundo de Fundos. Para esse tipo, também pode ter Alavancagem.
  • Capital Protegido: O Gestor usa uma estratégia chamada Hedging, que protege o dinheiro investido e ainda consegue rentabilidades melhores do que no mercado.

Outros tipos de Fundos Multimercado também podem ser: Juros e Moedas, Long and Short, Macro, entre outras opções.

 

custo fundos multimercado

Quanto custa para eu investir?

As taxas e tributos que são cobrados no Fundo Multimercado não é muito diferente da maioria dos demais investimentos. Temos a famosa Taxa de Administração, muito conhecida entre os Fundos de Investimentos e pode variar de 0 a 3%, na média.

Também temos a Taxa de Performance. Aquela que eu tinha citado nas “Vantagens” dos Fundos Multimercado. Agora vou explicar como ela funciona e como pode ser benéfica para você.

Esse custo é destinado, basicamente, para o gestor do Fundo quando ele consegue uma boa rentabilidade. Por um lado, pode ser classificado como um gasto que não é, de fato, necessário. Mas, ele é muito benéfico para o Gestor, como um incentivo para o ele buscar sempre as melhores oportunidades para você. É como se fosse um atendimento personalizado.

Temos o bom e velho Imposto de Renda, retido direto da fonte sobre os rendimentos do investimento. A tributação segue a tabela regressiva Podem ser de curto prazo (menor que 1 ano) ou longo prazo (superior a 1 ano), mudando apenas a tributação.

Alguns também têm a tributação de Come Cotas. É conhecido como o Imposto Incidente (em Fundos) cobrados nos meses de maio e novembro. Esse imposto implica em uma antecipação do Imposto que seria pago no resgate.

Por fim, outro custo que podemos ter é o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), para aplicações que duram menos de 30 dias. Mas esse é mais fácil de controlar. Por incrível que pareça, 30 dias no ramo de investimentos passam bem rápido.

 

E chegamos ao fim de mais um artigo, preparado com muito carinho para você, meus caros leitores e leitoras do Primo Rico. Caso queira receber esses artigos em primeira mão e conteúdos exclusivos, não deixe de assinar nosso Newsletter. Além disso, caso tenha alguma dúvida ou sugestão, não deixe de comentar aqui embaixo. Grande abraço!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Investimentos

Relacionados