ETF: Guia básico para Fundos de Índice

Você já ouviu falar em ETF? Se já ouviu, deve saber que ele é uma forma muito bacana para comprar ações na Bolsa de Valores. Caso não saiba ainda,...
ETF or Exchange Traded Fund word on black block

Você já ouviu falar em ETF? Se já ouviu, deve saber que ele é uma forma muito bacana para comprar ações na Bolsa de Valores.

Caso não saiba ainda, preste atenção então por que agora você vai conhecer o que é um ETF de uma maneira bem simples e descobrir por que ele é uma grande tendência de crescimento aqui no Brasil.

Vamos nessa?

 

O que são ETFs?

ETF é a abreviação em inglês de Exchange Traded Funds que traduzido ao ‘pé da letra’ significa Fundo de Índice. Também são chamadas comumente de iShares.

Esse tipo de fundo é um pouco diferente dos demais Fundos de Investimentos, tendo suas vantagens e desvantagens também.

Por que vamos ser realistas: tudo que é bom tem, sim, suas desvantagens.

Mas o que diferencia um Fundo de Investimento de um ETF é o seguinte:

  • Fundo de Investimento: você aplica um valor nesse fundo e esse valor é utilizado para comprar diferentes ativos preestabelecidos, que podem ser negociados na bolsa de valores ou não, sendo bastante abrangente e versátil.
  • ETF: você negocia diretamente na bolsa de valores, como se fosse uma ação propriamente dita, mas na verdade é um aglomerado de ações diferentes em uma única ação.

Essa modalidade de fundo é composta por ações que são negociadas na Bolsa de Valores.

Mas você se lembra de que esse é um Fundo de Índice?

Pois então, isso significa que esse fundo acompanha um índice predeterminado.

 

Mas o que é um índice?

O índice é algo que indica ou um indicador – também é chamado no meio financeiro de benchmark – como forma de parâmetro para comparação.

Por exemplo, quando você pergunta qual investimento rende mais. Você não pode simplesmente comparar um tipo de investimento com um tipo diferente de investimento.

Investimentos possuem uma série de características diferentes. Por isso é necessário também comparar o índice que eles acompanham. Essa é a forma de parâmetro de comparação realmente adequada.

 

Exemplo de índice

Para ser mais prático, vamos imaginar um valor de R$ 20 Mil.

Imagine agora que você investiu metade em um Fundo de Renda Fixa e a outra metade em um Fundo de Renda Variável.

A Renda Fixa desse exemplo acompanha o índice CDI e a Renda Variável acompanha o Ibovespa.

Depois de 6 meses que o valor de R$ 10 Mil foi aplicado em cada investimento, tivemos o resultado de R$ 100 de rendimento na Renda Fixa e R$ 150 na Renda Variável.

Porém, no final de 1 ano com os valores investidos, a Renda Fixa rendeu um total de R$ 200 e a Renda Variável rendeu um total de R$ 190.

Obviamente, a Renda Variável por ser mais arriscada, tende a ultrapassar os ganhos obtidos com uma Renda Fixa, que tem o intuito de manter uma estabilidade e segurança.

Mas, devido o risco de variação, pode ser que a Renda Variável tenha mais prejuízos do que a Renda Fixa.

Isso por que os índices que são usados para comparação são diferentes e por isso não é adequado comparar os mesmos.

Cada índice possui uma variação diferente e um foco diferente e existem vários deles:

  • IPCA;
  • IGP-M;
  • IMA;
  • Selic;
  • CDI;
  • Ibovespa e por ai vai.

Então a comparação do nosso exemplo deveria ter sido realizada com fundos de índices iguais: CDI com CDI, Ibovespa com Ibovespa e assim por diante.

 

Como investir em ETFs?

Como dito antes, uma característica muito legal do ETF é que, por mais que ele seja um tipo de Fundo de Investimento, ele é comercializado como ação na Bolsa de Valores.

A ETF então é um aglomerado de ações em uma única ação e para realizar sua compra ou venda, você terá que ser cadastrado em uma Corretora de Valores Mobiliários.

Por meio da Corretora, você consegue utilizar o Home Broker dela. Pela própria internet você pode acessar, verificar as variações dessa ação através de gráficos e comprar/vender essas ações.

Você comprando uma ação do ETF, está na verdade investindo em várias empresas distintas e ao mesmo tempo.

Essas empresas são referenciadas por um indicador predeterminado.

A escolha desse ETF dependerá apenas do seu perfil de investidor.

 

Dica do Primo Rico: se você está começando a investir agora, mas ainda tem algumas dúvidas, é só clicar na imagem aqui embaixo. A gente separou um material bem legal para você começar a enriquecer e sem medo 😉

E-book Investimento para iniciantes

 

ETFs no Brasil

Nos Estados Unidos, por exemplo, existem milhares de ETFs diferentes. Talvez existam até mesmo ETFs de ETFs por lá.

Já aqui no Brasil, é algo muito recente para ser honesto – por mais que esse tipo de investimento tenha sido criado nos anos 90. Por isso há uma grande probabilidade de crescimento por aqui também.

O Brasil tem um defeito que é ser um pouco atrasado em relação a outros países mais desenvolvidos economicamente.

Mas dá para usar esse defeito como uma qualidade: podemos verificar a aplicação de uma inovação primeiramente em algum país e, se for constatado que isso é vantajoso, importamos para cá.

Portanto, assim que as empresas e investidores se derem conta da importância que essa modalidade está ganhando, com certeza terá um grande crescimento dele na nossa Bolsa de Valores.

Os ETFs mais conhecidos aqui no Brasil são:

  • BOVA11: segue o índice Ibovespa, que mede o comportamento das ações mais negociadas no na Bolsa de Valores de São Paulo;
  • SMAL11: segue o índice de Small Caps, que são empresas com menor giro na bolsa;
  • PIBB11: segue o indicie da IBrX-50, que são as 50 empresas mais negociadas na Bolsa de Valores.

Além desses, tem ETFs focados em empresas do setor elétrico, setor de telefonia, setor imobiliário, entre outros setores do mercado que possuem empresas com ações negociadas na Bolsa.

 

Vantagens do ETF

A primeira vantagem é que ao invés de você comprar individualmente cada ação, de cada empresa de um setor específico, você pode comprar o ETF desse setor que já é preparada especialmente para isso.

Isso demanda menos tempo e são pagas menos taxas individuais por causa de cada ação

A taxa de administração do ETF é de aproximadamente 0,6% a.a. que é bem menor do que de Fundos de Ações tradicionais que em média tem uma taxa de 2% a.a. e isso faz muita diferença no fim das contas.

Como dito antes também, o ETF utiliza o Home Broker da corretora para sua negociação, tornando sua negociação mais fácil e transparente. Diretamente do pregão para sua carteira, seja para comprar ou vender .

 

Desvantagens do ETF

ETFs são atrelados a um índice, portanto se esse índice não for bom, consequentemente o rendimento também será desvantajoso.

Pode ser que o investidor consiga um ganho maior de rendimento com outro Fundo de Investimento – mesmo com uma taxa administrativa maior.

ETFs não possuem juízo de valor e sendo assim, caso você invista nele esta também assumindo seus riscos.

Além da cobrança de Taxa Administrativa é cobrado taxas de corretagem e de custódia.

Para finalizar, ele é um Fundo Fechado. Isso quer dizer que depois de feito a aquisição dele, não há a possibilidade de “sair” do fundo. A única possibilidade é vender sua parte.

 

Agora que você já sabe o básico, comenta aqui embaixo o que achou e se tiver alguma dica também, não deixe de nos contar. Sua participação é muito importante para nós!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
InvestimentosTaxas e Conceitos

Relacionados