Conheça o Robo Advisor: o Consultor-Robô para Investimentos

Em um dos posts aqui do Primo Rico falamos de Algo Traders, ou também chamados de Robo Trader. É uma forma automatizada de investir na Bolsa de Valores, comprando...
Conheça o Robo Advisor - o Consultor-Robô para Investimentos

Em um dos posts aqui do Primo Rico falamos de Algo Traders, ou também chamados de Robo Trader. É uma forma automatizada de investir na Bolsa de Valores, comprando e vendendo ações, semelhante ao Robo Advisor.

“Mas espera um pouco, primo. Você nunca falou de Robo Advisor aqui no blog! O que é isso? É um robô mesmo, de verdade?”

Calma, eu vou explicar tudo direitinho aqui e com certeza você vai se interessar por essa forma de Carteira Administrada. Vamos lá?

 

Antes de falar do robô, vamos entender uma “Carteira Administrada”

Você já ouviu falar de Carteira Administrada? Caso ainda não tenha ouvido, preste atenção, pois essa parte é muito importante.

A Carteira Administrada é delegada por um profissional da área de investimentos com autonomia para comprar e vender títulos em seu nome. Isso quer dizer que ele pode administrar a carteira, definindo onde seu cliente deve investir, de acordo com o perfil desejado.

Mas o que estou dizendo não é apenas sobre um assessor que te fale apenas “seu perfil é conservador; moderado; agressivo”. Na verdade, você permite que ele gerencie sua carteira de investimento de forma quase que independente.

E, obviamente, esse tipo de serviço não é barato. Por isso essa regalia é disponibilizada, em geral, para clientes de alta renda e milionários.

E é ai que entra a o Robo Advisor. Para entender melhor, fiz até um vídeo lá para o Canal O Primo Rico no YouTube. Da só uma olhada:

 

O que é Robo Advisor, primo?

Provavelmente, quando pensamos em um “robô”, pensamos em uma máquina humanoide que anda, fala, ou qualquer outra coisa do tipo “exterminador do futuro”. Mas não é nem perto do nosso caso.

Nosso robô é um computador de planejamento financeiro que utiliza cálculos feitos por algoritmos para tomada de decisões. Algumas de suas funções é balancear o portfólio de investimentos e realizar otimizações tributárias. Alguns até realizam planejamentos financeiros como despesas, poupança, aposentadoria e controle de crédito, por exemplo.

Além disso, ele consegue aprender e melhorar seu algoritmo com o passar do tempo, sem intervenção humana. Quase uma inteligência artificial.

Ele só precisa de um “rumo” para tomar, ou seja, uma programação inicial com os desejos de seu usuário. Assim ele já começa a recomendar as melhores carteiras para cumprir seus objetivos.

Sabe o que é mais legal disso tudo? A tomada de decisões de um robo advisor é totalmente voltada para o cumprimento do seu objetivo, descartando envolvimentos pessoais.

 

Qual é a real função desse robô?

Existem várias “barreiras” para realizar investimentos. Acredito até que esse seja um dos grandes motivos de poucas pessoas investirem fora de um banco. É muita reviravolta que tem que dar para conseguir uma rentabilidade melhor no final das contas.

A proposta do robo advisor é justamente diminuir essas barreiras como: diminuir custos; diminuir intermediários financeiros; e consequentemente, aumentar a eficiência.

Então você não precisa se preocupar com custos de Taxa de Administração, Corretagem, Custódia, Taxa de Carregamento, Taxa de Performance e outras.

Já os intermediários, não precisa se preocupar com as instituições, assessores, corretoras e demais profissionais da área financeira. O robô facilita o acesso ao investimento porque ele toma as melhores decisões por você.

 

Pontos positivos de um Robo Advisor

É importante compreender tanto os pontos positivos quanto negativos de um produto ou serviço antes de utiliza-lo.

Então para ajudar minha família, vou primeiro citar os pontos positivos:

 

1 – Não há conflito de interesses

Esse é o mais importante de todos, acredito eu. O que há de tão importante nisso? Simples: você vai conseguir exatamente o que quer.

Pensa só, ao escolher um funcionário de uma determinada instituição financeira para te dar conselhos sobre “onde é melhor investir”, obviamente ele vai dizer que é lá onde ele trabalha.

Ou você já ouviu algum gerente de um banco te orientar a investir em outro banco porque lá as taxas são melhores? Acredito que não, certo?!

Pois então, ao escolher um robô investidor você contará com a certeza de que ele vai procurar os melhores produtos disponíveis para contemplar o seu desejo. Até porque, robôs não têm a obrigação de vender determinado produto para cumprir com a meta da sua instituição.

“o melhor para você” não será somente um slogan, mas sim uma realidade.

 

2 – Baixo custo

Imagine você ter uma carteira com 15 ativos diferentes. Ter que administrar cada um desses ativos de forma individual pode ser, muitas vezes, caro!

Elas são diluídas em 1 única taxa fixa que varia entre aproximadamente 0,6% e 1% ao ano. Pensando em apenas um investimento com um custo de 1% ao ano, seria de fato ruim.

Mas uma carteira totalmente variada, inclusive com ações e fundos imobiliários, seria ainda uma economia de gastos importantíssima.

E serviços prestados por profissionais de consultoria, assessoria e gestão de investimentos tendem a ser mais caros que um computador. Por isso o custo é inferior e melhor para o investidor.

 

3 – Sem interferência emocional

Um motivo de muitos investidores se arrependerem do investimento que fez é descontrole emocional. Por exemplo, deixar o dinheiro parado por 3 anos em um CDB pode ser arriscado, se não tiver possibilidade nenhuma de resgate do título. Se você não tiver certeza se precisará do dinheiro futuramente, então não aplique.

Mas, com o robo advisor, não existe decisões feitas por emoções. Ele puramente matemático e objetivo. Ao permitir que ele gerencie seus investimentos, ele comprará ou venderá os ativos necessários e sem medo.

 

E os pontos negativos deles?

Obviamente nem tudo são flores. Robôs também têm seus defeitos e precisamos estar atentos para não nos prejudicarmos com isso.

Olha só:

 

1 – Sem contato ou conversa

Por mais que a ideia de um robô nos deixar mais rico pareça bem legal, muitos podem sentir falta de um humano. Entender exatamente o que está acontecendo, os próximos passos e ter explicações sobre porque algo mudou são reações normais. Porém, normais para um humano.

Então, caso você ache imprescindível conversar com um consultor humano, essa opção não é ideal.

 

2 – Limitação de serviços em alocação de ativos ou gestão de carteira

Lembra que eu disse que há robôs que fazem planejamentos financeiros? Exemplos como despesas, poupança, aposentadoria e controle de crédito realmente existem.

O problema é que essa tendência de Robo Advisor é recente no Brasil e poucas empresas oferecem essa tecnologia. São praticamente todas startups. Já no exterior, pelo menos, existem muitas opções, inclusive com as funções mencionadas.

Empresas como Betterment, Wealthfront, Future Advisor, Personal Capital, Sigfig, Jemstep, Folio, Motif, e outras, pertencem à esse nicho que vem crescendo desde 2006.

Mas, como no Brasil tudo é atrasado, teremos que aguardar mais um pouco até que essas opções apareçam. Enquanto isso só poderemos usar os robôs para fins de investimentos.

 

3 – Pouco personalizável

Existem basicamente 3 perfis de investidor, mas muitas empresas, como as de robôs investidores, consideram até 5 perfis. As 5 carteiras comuns são as seguintes:

  • Conservador – 87,4% em Juros pós-fixados; 4,4% em Juros prefixados; 3,9% em Inflação; 1,8% em Ações do Brasil; e 2,5% em Ações do EUA.
  • Conservador-Moderado – 75,1% em Juros pós-fixados; 8,7% em Juros prefixados; 7,8% em Inflação; 3,5% em Ações do Brasil; e 4,9% em Ações do EUA.
  • Moderado – 62,5% em Juros pós-fixados; 13,1% em Juros prefixados; 11,7% em Inflação; 5,3% em Ações do Brasil; e 7,4%% em Ações do EUA.
  • Moderado-Agressivo – 50,1% em Juros pós-fixados; 17,5% em Juros prefixados; 15,6% em Inflação; 7% em Ações do Brasil; e 9,8% em Ações do EUA.
  • Agressivo – 37,4% em Juros pós-fixados; 21,9% em Juros prefixados; 19,6% em Inflação; 8,8% em Ações do Brasil; e 12,3% em Ações do EUA.

Sendo assim, não há uma flexibilidade para escolher uma carteira diferente. Se o seu perfil já foi identificado como “Conservador”, por exemplo, assim que o robô identifica algum saldo disponível para investimento, já é alocado automaticamente todo o valor na respectiva carteira.

“Primo, e se por acaso eu já tiver um valor investido em alguma aplicação? O robô consegue diferenciar o que já foi investido por mim do que será investido por ele?” Também não.

Assim que o robô tem “permissão para comandar sua conta”, ele balanceia instantaneamente sua carteira. Então o que você tinha investido antes, se não fizer parte do seu perfil identificado, será vendido e realocado num ativo compatível com você (mesmo que você não queira).

 

Concluindo: Vale a pena utilizar Robo Advidor?

Isso depende apenas de você. Pense que o robô é ideal para quem precisa destinar seu tempo mais para outras coisas do que para administrar seus investimentos.

Portanto, se você quiser investir mais tempo no seu trabalho, ou não tem tempo para seu hobby ou até mesmo para sua família, pode ser uma ótima escolha sim.

Se você também não conhece sobre o mercado financeiro e de investimentos e não tem a vontade de saber todos os detalhes, mesmo assim quer investir bem, também é uma opção valida.

Mas se você prefere ter mais autonomia para a tomada de decisões e gosta de questionar para entender as minucias do investimento, talvez seja melhor um consultor humano mesmo.

 

Mas e você? Com qual se identificou mais? Deixa aqui embaixo seu comentário e aproveita para assinar nossa newsletter para receber nosso conteúdo exclusivo no seu e-mail. Até a próxima, primos e primas.

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Investimentos

Relacionados