Como identificar empresas com vantagem competitiva de longo prazo?

empresas_longo_prazo

Warren Buffett decidiu estudar as demonstrações financeiras das empresas bem-sucedidas a fim de entender o que as tornava investimentos de longo prazo tão fantásticos. No livro Warren Buffett e a análise de balanços, verificamos técnicas utilizadas pelo investidor, que nos auxiliam a identificar empresas que possuem vantagem competitiva durável, com potencial de geração de riqueza no longo prazo.

Para avaliar a aplicabilidade das técnicas de Buffett, utilizamos a Companhia de Bebidas das Américas – Ambev (ABEV3) como estudo de caso, por ser uma das mais importantes empresas do mercado nacional.

 

    

  1. Descrição da Empresa

A Ambev atua no ramo de produção e distribuição de bebidas no Brasil e em outros 15 países. É a maior cervejaria da América Latina, detentora de marcas reconhecidas no mercado, como Skol, Brahma e Antarctica. O diferencial da Ambev está na forte distribuição de produtos, além, da gestão eficiente de custos e disciplina financeira.

  1. Margem de Lucro Bruto

Buffett acredita que empresas com margem de lucro bruto de 40% ou superiores tendem a ter algum tipo de vantagem competitiva durável. Uma margem de lucro bruto de 20% ou inferior costuma ser um bom indicador de um setor extremamente competitivo.

Apesar da ligeira queda nos últimos anos, a Ambev encerrou o ano de 2017 com margem de lucro bruto de 62,33%, se enquadrando com folga no critério estabelecido por Buffett.

  1. Margem Líquida

Se uma empresa está apresentando um histórico de lucros líquidos superiores a 20% da receita total, há boas chances de ela estar se beneficiando de algum tipo de vantagem competitiva de longo prazo. Da mesma maneira, se uma companhia está constantemente apresentando lucros líquidos inferiores a 20% da receita total, é bastante provável que seu setor seja altamente competitivo.

A Ambev encerrou o ano de 2017 com uma margem de lucro líquida de 25,44%, e mantém a margem acima dos 20% de forma constante desde 2007, se enquadrando mais uma vez nos critérios almejados por Buffett.

  1. Lucro por Ação (LPA)

Este é o local onde Buffett distingue os vencedores dos perdedores. O que o megainvestidor procura é um quadro do lucro por ação ao longo de um período de 10 anos que demonstre constância e uma tendência de alta.

Mais uma vez a Cia analisada atende com folga com critérios propostos por Buffet. Através do gráfico, podemos notar claramente a correlação positiva das cotações da empresa com o crescimento dos lucros por ação. Evidenciando a teoria de que no longo prazo, as cotações tendem a seguir o lucro por ação.

  1. Coeficiente de Endividamento em Relação ao Patrimônio Líquido

Para Buffett toda vez que verificamos um coeficiente de endividamento em relação ao patrimônio líquido abaixo de 0,8 (quanto mais baixo melhor), há uma boa chance de a empresa em questão ter a cobiçada vantagem competitiva durável que estamos procurando.

A Ambev nos últimos anos manteve seu coeficiente de endividamento extremamente baixo, chegando aos incríveis 0,05 no final de 2017, atendendo plenamente os critérios procurados.

  1. Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE)

Buffett descobriu que empresas que se beneficiam de uma vantagem competitiva durável ou de longo prazo apresentam um retorno sobre o patrimônio líquido acima da média. Para ele um retorno sobre o patrimônio líquido alto significa: “Pode vir”. Um retorno baixo significa “Fique longe”.

No final de 2017 a Ambev apresentou um ROE de 25,40%, acima da média do mercado, que fica na faixa de 15%, evidenciando novamente seu diferencial competitivo.

  1. Momento Certo para Entrar numa Empresa

Na visão de Buffett, o preço que você paga afeta diretamente o retorno sobre o seu investimento. Portanto, quanto mais baixo o preço que você paga por uma empresa que possui uma vantagem competitiva durável, melhor será o resultado no longo prazo. No entanto, essas empresas raramente, ou nunca, são vendidas por preço de barganha. Então, quando você compra uma participação nessas empresas? Em momentos de baixa no mercado para começar. Embora sua cotação ainda possa parecer alta quando comparada à de “outras barganhas do mercado em baixa”, no longo prazo elas são realmente o melhor negócio.

Quando você deve manter distância dessas superempresas? No auge de um mercado de alta, quando elas são negociadas a coeficientes de preço/lucro (P/L) historicamente altos.

Historicamente, a Ambev apresenta uma relação preço/lucro (P/L) elevada, evidenciando sua vantagem competitiva e o alto interesse do mercado por suas ações. A média do P/L da empresa nos últimos 10 anos foi de 21,96. Em 28/04/2018 o P/L da Cia estava em 30,40. Isso significa que para o investidor se tornar sócio da empresa nesta data, terá que pagar um valor um pouco mais caro em relação ao histórico recente. O que pode tornar a aquisição menos favorável no curto prazo, se comparada com uma aquisição no mercado de baixa.

Referências:

Bastter: http://www.bastter.com.br
Fundamentus: http://www.fundamentus.com.br

BUFFETT, MARY. Warren Buffett e a análise de balanços. Rio de Janeiro: Sextante, 2010.