7 filmes sobre mercado financeiro que todo investidor deveria ver

O desejo de todo pobre mortal é ficar rico sem esforços. Como receber uma herança ou ganhar na mega sena são sonhos consumados apenas por uma parcela ínfima da...

O desejo de todo pobre mortal é ficar rico sem esforços. Como receber uma herança ou ganhar na mega sena são sonhos consumados apenas por uma parcela ínfima da sociedade, sobra para o restante apenas o desejo de se preparar, conhecer o mercado financeiro e estudar outras formas de poder usufruir dignamente de todas as vantagens de ter muita grana pra torrar.

Por isso, confira alguns longas que irão te inspirar a ter uma vida financeira confortável!  Perceba que alguns filmes da lista não ensinam formas muito éticas de enriquecer, mas foque nas notas verdinhas e delicie-se no lugar dos maiores investidores mundiais e de outros personagens gloriosos que marcaram a história do mercado financeiro no cinema.

Mas antes, pausa para a reflexão: a ganância é boa?

Afinal de contas, o que leva tantas pessoas a perseguir, a todo custo, a parcela que vos cabe no mercado financeiro? A resposta pode estar em dois filmes que desnudam Wall Street, quando o diretor Oliver Stone traz a reflexão acerca da especulação e do quanto a ganância desmedida (sinônimo de um pecado capital) pode se tornar a grande vilã da humanidade.

Mas depois de assistir a esses e outros filmes interessantes mencionados abaixo, você pode refletir sobre a importância desse impulso pessoal para motivá-lo a buscar melhorias na sua forma de viver, por meio de formas lícitas e do investimento correto, capaz de alavancar sua carreira e aumentar a sua lucratividade.

A previdência privada, por exemplo, é uma opção a ser considerada para investir a longo prazo. Portanto, a disciplina para poupar — muitas vezes denominada como avareza — pode ser eficaz — porque os gananciosos costumam ter mais aspirações, o que os torna mais produtivos, espertos e antenados.

Desde que equilibrada, a ganância assistida nos filmes a seguir pode, sim, vir a se tornar um componente respeitável para encurtar o caminho para o seu enriquecimento. Como diria o personagem Gordon Gekko, “a ganância é boa”. Descubra!

1. Wall Street: poder e cobiça (1985)

Pela ordem cronológica do poder, eis aqui o primórdio da riqueza: Michael Douglas. Sim, esse ator fantástico pode não ter ficado tão milionário quanto Gordon Gekko (o personagem que interpreta nessa ficção) mas certamente ganhou bastante visibilidade após a elogiada interpretação.

O inescrupuloso Gekko é o ídolo do jovem corretor da bolsa Buddy Fox (Charlie Sheen), que consegue atingir o estilo de vida almejado. Mas tão grande quanto a sua ascensão meteórica pode ser a queda diante dos riscos relatados no filme. Nem é preciso fugir dos spoilers, pois você já deve imaginar o final dessa trama. Para quem já viu, vale a pena conferir de novo a atuação e as lições desse filme essencial.

2. Nós que aqui estamos, por vós esperamos (1998)

Nesse documentário brasileiro, cujo nome foi encontrado na entrada de um cemitério, o diretor Marcelo Masagão relata a banalização da vida e da morte. Por meio de imagens impressionantes, arquivos históricos e uma trilha sonora surpreendente, o filme conta a história da revolução industrial, do capitalismo, da ganância, das guerras, dos golpes e dos desastres mundiais.

Apesar de não abordar somente o mercado financeiro, este documentário é considerado um ponto de partida imprescindível para entender a compreender o cenário econômico mundial a partir de fatos históricos marcantes do século XX. Afinal, não se pode fazer a omelete sem quebrar os ovos. Por isso, não perca a ilustração poética e humana que este documentário expõe.

3. À procura da felicidade (2006)

Outro clássico popular do cinema que você precisa assistir novamente. Mas agora, tente analisar tecnicamente as estratégias de superação de crises financeiras, brilhantemente representadas pelo personagem Chris Gardner, uma das melhores atuações da estrela Will Smith. Convenhamos que o enredo combina bem com o cenário de crise atual. Anote todas as dicas e aprenda com a resiliência do personagem a buscar um futuro promissor.

4. Capitalismo: uma história de amor (2009)

Documentário imprescindível aos investidores analíticos de plantão, dirigido pelo polêmico Michael Moore, que retrata, de forma crítica, irônica e debochada, as diversas faces do capitalismo mundial nos últimos dois séculos. Moore é tendencioso ao mostrar a atuação política e corrupta de alguns governantes famosos que estimularam o consumismo mundial em detrimento da maior parte do globo.

5. Wall Street: o dinheiro nunca dorme (2010)

Um dos mais aclamados filmes do segmento é essa continuação da “saga Wall Street”, do cineasta Oliver Stone. Continuando a narrar a história do ambicioso Gordon Gekko (Michael Douglas), personagem sai da cadeia menos agressivo que no primeiro filme, e conhece Jake Moore (Shia LaBeouf), um jovem interessado em lucro.

A atuação de Jake apenas abrilhanta a trama e interliga os personagens do filme, mas o papel de estrela fica para Douglas, que reaparece em um papel “mais bonzinho”, mas não menos extraordinário. Replay em três, dois, um!

6. Trabalho interno (2010)

Outro documentário que você não pode perder é Inside job, ou Trabalho interno, que retrata a corrupção sistêmica americana, tanto no ambiente político quanto nas práticas bancárias, além de destacar os bastidores da crise financeira que assola o mundo desde 2008.

Com uma linguagem mais técnica e bastante didática, o longa separa as etapas do colapso e explica cuidadosamente cada situação, tanto que até levou o merecido Oscar de melhor documentário em 2011. Precisa falar mais? Palmas para o diretor Charles Ferguson!

7. O Lobo de Wall Street (2013)

Dirigido por Martin Scorsese, estrelado pelo notório Leonardo DiCaprio e baseado na autobiografia de Jordan Belfort, um corretor americano alucinado por grana, drogas e mulheres, esse filme retrata os excessos, a fama e o declínio de um sonho milionário.

Na década de 90, Belfort criou uma empresa cujas vendas em torno de valores baixos acabaram se tornando bem mais vantajosas para os corretores da época. Todos os seus excessos são precisamente representados por DiCaprio. Simplesmente imperdível!

Cada filme com seu estilo: documentário, ficção ou baseado em fatos reais. Os pontos de intercessão dos filmes mais importantes que retratam o mercado financeiro passam, inevitavelmente, pela fama, pelo poder, pelo luxo, pelo deslumbramento e pela corrupção, todos incansavelmente financiados pelo dinheiro, claro. Economize na pipoca, mas não perca nenhum detalhe!

Aproveite todas essas inspirações e assine a nossa newsletter para receber mais informações e dominar o mercado financeiro!

 

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Investimentos

Relacionados