Por que começar uma previdência privada infantil para seu filho?

Pensar no futuro dos filhos e em formas de garantir que, ao crescer, tenham boas oportunidades e recursos para investir em carreira e projetos de vida, é sempre a...
Depositphotos_8962330_m-2015.jpg.jpeg

Pensar no futuro dos filhos e em formas de garantir que, ao crescer, tenham boas oportunidades e recursos para investir em carreira e projetos de vida, é sempre a grande preocupação da maioria dos pais. Afinal, vivemos em um mundo altamente competitivo, em que as pessoas ainda muito jovens enfrentam desafios para ter sua independência, seu “lugarzinho ao sol” no mercado de trabalho ou um cantinho para chamar de seu.

Já que as coisas não estão — nem nunca estiveram — muito fáceis, arranjar grana para tudo isto pode ser uma questão de dar nó na cabeça! Daí vem aquela questão:

Como posso ajudar meu filho a conseguir tudo isso e não ter de quebrar a cabeça sozinho para correr atrás das coisas importantes para viver bem no futuro? Veja os benefícios de se investir na previdência privada infantil!

Por que começar uma previdência privada para seu filho?

Porque do futuro ninguém sabe. Em geral, seu filho precisará estudar e amadurecer para se tornar um bom profissional, enfrentar dificuldades para conseguir o que quer, investir na carreira para se qualificar e ter bons diferenciais.

Também — a menos que tenha muita sorte ou uma herança familiar — juntar dinheiro para comprar o próprio apê. Sabendo do quanto isso tudo é trabalhoso, ainda mais se você mesmo já passou pela situação, é natural que queira deixar seu filho bem amparado para vencer esta realidade.

Quais vantagens isso trará para ele no futuro?

Uma previdência privada desde os primeiros meses ou anos de vida da criança poderá acumular um bom fundo em meados da adolescência e início da vida adulto — em torno de 18, 20 anos. Vindo a calhar naquele momento em que seu filho quer começar uma faculdade, fazer intercâmbio no exterior, dar entrada num apartamento, comprar um carro, iniciar um negócio próprio, entre diversas outras possibilidades e objetivos. “Ah, mas meu filho passará em uma universidade pública. Não tenho que me preocupar com isso!”

Mas quem banca ele durante todo este tempo?

Com os fundos de uma previdência privada, seu filho pode até se manter um tempo estudando em uma universidade distante sem precisar interromper ou comprometer o rendimento para trabalhar e se sustentar ao mesmo tempo. Ou você achou que uma faculdade de medicina pública saía “de graça” mesmo?

Estudando em tempo integral, seu filho não terá como trabalhar e isso, infelizmente, é um motivo que impede muitos estudantes de seguir o futuro que queriam! Pense nisso.

Como aplicar?

Em geral, os pais têm duas opções: o PGBL e o VGBL. As diferenças estão, basicamente, no fator tributação.

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) permite que você, como pai, deduza 12% de renda bruta anual de seu IR, ideal para quem faz a declaração naquele modelo completo. Portanto, amigo, se o seu caso é este, eis aí mais um incentivo para começar já a previdência privada dos pequenos.

O imposto da aplicação só será pago na hora que for resgatar o fundo. Já o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) sofre tributação sobre o ganho do capital investido, não retido na fonte e recomendado para quem opta por desconto simplificado no IR.

Qual é a rentabilidade?

Como qualquer investimento, você terá a opção de escolher entre renda fixa ou mista (com ações de empresas, por exemplo, que podem oferecer maiores riscos, mas também uma renda variável muito mais alta). Para tomar esta decisão é importante, acima de tudo, estar bem informado sobre a rentabilidade e conhecer seu perfil de pai investidor e um pouco dos objetivos que você deseja acumular ao longo dos anos de crescimento de seu filho. O que determinará se você tem que investir mais ou menos e de forma mais agressiva ou não.

Já conhecia nossa newsletter cheia de dicas também sobre previdência privada ou já havia pensado em fazer este tipo de contribuição para o futuro de seu filho? Deixe um comentário e até a próxima!

 

 

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Finanças Pessoais

Relacionados