Como equilibrar o orçamento familiar com a inflação em alta?

A inflação alta é o principal fator que corrói o poder de compra das famílias brasileiras. Já que ela afeta principalmente os produtos mais básicos como alimentos, vestuário e aluguel,...

A inflação alta é o principal fator que corrói o poder de compra das famílias brasileiras. Já que ela afeta principalmente os produtos mais básicos como alimentos, vestuário e aluguel, as famílias de renda baixa e média são as que sofrem o maior impacto.

Por isso, para sobreviver à crise inflacionária, você tem de começar a adaptar seu orçamento familiar, caso contrário estará cada vez mais endividada. Você também tem levado um susto a cada ida ao supermercado? Leias nossas dicas para sair desse sufoco:

1. Cuidado com o supermercado

Os gastos com supermercado representam a maior despesa da carteira da sua família. Com o crescimento alto nos últimos anos e a chegada de diversos novos produtos no nosso mercado, você provavelmente se acostumou com alguns pequenos luxos. Então, são eles os primeiros que deve ser cortados!

Após ter cortado o supérfluo, busque marcas alternativas às mais famosas para ter algum desconto. Confira algumas dicas para poupar cada centavo no supermercado:

  • Escolher produtos de marcas menos famosas, que costumam ser menos caros, mas de igual qualidade, pois investem menos em marketing;
  • Escolher os produtos da estação para economizar;
  • Trocar a carne vermelha pela carne de frango e de porco;
  • Vá a diversos supermercados para aproveitar as promoções;
  • Evite produtos industrializados, que costumam ser mais caros e renderem menos porções.

2. Não faça novas prestações

É realmente difícil diminuir o nível de vida. Ao invés, entretanto de nos adaptarmos a nova realidade, tentamos manter a todo custo o antigo padrão. Para isso, recorremos às prestações e aos cartões de crédito.

Nada está mais equivoca. Em um crise inflacionária, o dinheiro vai valendo cada vez menos. Ou seja, aquela prestação vai comprometendo cada vez mais seu orçamento, visto que os preços vão aumentando, mas ela continua a mesma.

3. É hora de negociar novos planos

Como o orçamente vai ficando cada vez mais apertado, você deve ligar para as empresas de telefonia, de TV a cabo e demais serviços. Essas empresas evitam, ao máximo, perder clientes, então devem oferecer melhores condições para você.

Mas, atenção, eles costumam oferecer pacotes mais completos pelo mesmo preço do atual. Não caia nessa armadilha! Você não ligou para diminuir as despesas? Como diriam os treinadores de academia: “Foco no objetivo!”

4.  Fique de olho nas conta de luz e de água

Essas são outras despesas que consomem o nosso orçamento e podem ser facilmente controladas. A conta de luz, por exemplo, pode ser reduzida se reduzirmos o tempo no chuveiro e utilizá-lo no modo “verão”, colocarmos a geladeira na potência mínima, utilizarmos menos o micro-ondas, evitarmos passar roupa, etc.

A conta de água, por sua vez, pode ser reduzida com hábitos simples como parar de lavar terreiros com mangueira, desligarmos o chuveiro para passar sabão, desligarmos a torneira quando estivermos ensaboando as panelas e procurarmos vazamentos nos canos e torneiras. Em tempos de crise, é necessário poupar cada centavo do seu orçamento familiar.

Novos hábitos de consumo mais consciente devem ser criados e nutridos, pois a inflação tem efeito cumulativo. Assim, a cada mês, vai ficando mais e mais difícil equilibrar as contas.

Sem controle, certamente, você terminará se envidando além da sua capacidade. Lembre-se: muito melhor do que o conforto de bens materiais é a tranquilidade de fechar as contas sempre no azul!

Sentiu-se animado para colocar as contas em dia e acabar com o estresse de estar sempre no vermelho no final do mês? Confira nossas dicas de como montar uma planilha de orçamento doméstico!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Finanças Pessoais

Relacionados