Autonomia Financeira: como conquistar sua independência

Trabalhar é bom e totalmente necessário em nossa sociedade, pois nos ajuda a conquistar autonomia financeira. Isso nos amadurece e ensina-nos a lidar com situações adversas. Sem o trabalho,...
autonomia financeira - liberdade financeira

Trabalhar é bom e totalmente necessário em nossa sociedade, pois nos ajuda a conquistar autonomia financeira. Isso nos amadurece e ensina-nos a lidar com situações adversas.

Sem o trabalho, nos tornamos sedentários e nos entediamos mais rápido e facilmente sem uma atividade. Mas vamos ser sinceros, trabalhar com algo indesejável e por obrigação, ninguém merece também.

Até nossa saúde pode ficar debilitada se trabalharmos com algo que não gostamos de trabalhar. Por isso a maior parte das pessoas nessa mesma sociedade em que vivemos não trabalha com o que sempre desejaram.

Geralmente porque reconhecem que esse “trabalho dos sonhos” não cobriria nem mesmo com as despesas básicas de casa. Ou não teria a segurança de ter uma boa renda no fim do mês.

Por esse e outros motivos, vamos falar sobre autonomia financeira, como conquistar sua independência e se libertar das correntes que te impedem de realizar seus sonhos.

 

Conceito de Autonomia Financeira

Basicamente, autonomia financeira é o processo realizado por uma pessoa ou empresa que permite obter os recursos financeiros necessários para sustentar a si mesmo. Isso é, de forma totalmente independente – sem a necessidade de ajuda de terceiros.

O que isso quer dizer? É simples. É um plano para longo prazo – vitalício, para ser mais exato – em que você não precise mais ser necessariamente empregado de alguém ou de alguma empresa. Com sua Renda Passiva já é possível cobrir suas próprias despesas.

 

Veja também: 3 PASSOS PARA TER UMA RENDA MENSAL DE 10 MIL

 

Ok… Mas o que é Renda Passiva?

Renda Passiva são valores provenientes de uma fonte de renda que você não precisa “trabalhar ativamente” para receber por isso.

Para ser mais didático, usaremos alguns exemplos de Renda Passiva:

  • A mensalidade de um aluguel;
  • Os juros de um investimento;
  • O valor que um Blog recebe por cada clique nele;
  • A venda de E-Books; entre outros.

Apenas para não confundir, vamos esclarecer outro ponto: a Renda Passiva precisa sim de um esforço inicial, como qualquer outro trabalho. Seu diferencial é que esse esforço inicial não precisa ser contínuo.

 

Dica do Primo Rico: se você está começando a investir agora, mas ainda tem algumas dúvidas, é só clicar na imagem aqui embaixo. A gente separou um material bem legal para você começar a enriquecer e sem medo 😉

E-book Investimento para iniciantes

 

Diferença entre Autonomia Financeira e Liberdade Financeira

Tendo claro o conceito de Renda Passiva, vamos voltar para o conceito de autonomia financeira. Ela é facilmente confundida com liberdade financeira, por serem semelhantes. Mas há uma diferença simples entre esses conceitos:

  • Autonomia Financeira: é a possibilidade de sustentar seus próprios gastos com apenas os recursos que você ganha de Renda Passiva;
  • Liberdade Financeira: é a possibilidade de escolher como serão utilizados os valores que você adquiriu de forma autônoma.

Autonomia financeira e liberdade financeira estão diretamente relacionadas ao seu padrão de vida.

Caso você deseje um alto padrão de vida, com carros de ultima geração, mansões e viagens todo fim de semana, você consequentemente precisará de uma grande fonte de Renda Passiva, que te permite ter uma autonomia financeira com uma alta liberdade financeira.

Se desejar algo menos requintado – e mais fácil de alcançar – seu padrão de vida será mais modesto, mas ainda assim terá uma ótima qualidade de vida.

Isso quer dizer que é possível que alguém conquiste sua autonomia financeira, mas também é possível que ela não tenha liberdade de utilizar parte do próprio orçamento para melhorar seu padrão de vida.

 

O que não é Autonomia Financeira?

Talvez com tantos termos e conceitos, podemos nos confundir e imaginar algumas coisas que não se enquadram como autonomia financeira.

Um exemplo legal é o seguinte: uma adolescente que deseja sair para se encontrar com os amigos para passear e depende exclusivamente da mesada da mãe.

Caso essa adolescente consiga um emprego assalariado, ela não será mais dependente da mesada da mãe e, portanto, ela terá sua autonomia financeira, certo?

Errado! Na verdade, ela permanecerá dependente. A diferença será de quem ela ficará dependente, que nesse caso, seria do seu empregador.

O correto seria se ela utilizasse parte do seu salário para criar sua Renda Passiva e gerar um rendimento extra e cíclico, de modo que mesmo que ela saia de seu emprego, ela continue a sustentar seu padrão de vida.

 

Para que serve Autonomia Financeira?

A maior intensão desse processo todo é facilitar a vida de quem o aplica e abrir caminho para poder trabalhar com o que realmente gosta, com o sente prazer de trabalhar e de forma segura – financeiramente falando.

Imagine um músico de rua, que toca para os pedestres na calçada apenas por prazer, por que sabe que no final do mês ele receberá um valor de R$ 10 Mil reais que veio de um conjunto imobiliário que ele possui e aluga para seus inquilinos. É basicamente essa a intensão da autonomia financeira.

Os valores poupados e adquiridos durante sua vida, se investidos da maneira correta, geram bons rendimentos que são muito importantes para tudo acontecer conforme planejado.

Aliás, depois de conseguir bons rendimentos, o ideal é investir boa parte deles para justamente rentabilizar ainda mais.

Isso vai ampliar suas possibilidades de mudança do padrão de vida e tranquilidade financeira.

 

Como conquistar a Autonomia Financeira?

Infelizmente, durante o decorrer de nossas vidas, muitas variáveis podem acontecer para prejudicar nosso futuro financeiro: alterar as condições da previdência social, aumentar a inflação, recessão econômica, problemas pessoais e de saúde, entre outros.

Portanto, como para qualquer decisão importante – ou não – que temos durante nossa existência, é necessário organizar, planejar e controlar seus gastos, de forma que haja um valor considerável de sobra para criar futuramente sua Renda Passiva.

Vale lembrar que esse planejamento é para longo prazo porque dependendo do padrão de vida que você desejar, para acumular os valores necessários e criar sua Renda Passiva exigirá mais ou menos tempo.

Além disso, a intensão da autonomia financeira é durar para toda vida, se não, não é autonomia.

 

Com o que se deve ter cuidado?

O maior inimigo do processo de autonomia financeira é o consumismo, que é uma atitude muito comum – mas não muito indicada – quando alguém começa a receber mais do que recebia antes.

O consumismo é prejudicial no sentido de ser uma atitude que é impulsiva, sem planejamento e pode facilmente se tornar um hábito de consumo difícil de desfazer.

Portanto, não é uma boa ideia gastar tudo o que recebe. Muito menos gastar mais do que recebe – para justamente não entrar no vermelho.

 

Você tem alguma outra dica, dúvida ou já conquistou sua autonomia? Conta aqui embaixo para a gente…

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Finanças Pessoais

Relacionados