7 maiores erros dos investidores que você não deve cometer

Os maiores erros dos investidores não só geram prejuízos temporários como, às vezes, levam à perda total de um patrimônio. Na hora de se fazer aplicações financeiras, os equívocos...
7_maiores_erros_dos_investidores_que_você_não_deve_cometer.jpg.jpeg

Os maiores erros dos investidores não só geram prejuízos temporários como, às vezes, levam à perda total de um patrimônio. Na hora de se fazer aplicações financeiras, os equívocos vão desde falta de conhecimento sobre o tipo de aplicação até influência emocional nas decisões. O problema é que o aprendizado no método tentativa e erro pode custar muito caro quando se trata do mercado financeiro.

Quais os maiores erros dos investidores? Conheça 7 a seguir e busque evitá-los!

1- Falta de conhecimento

Um equívoco comum de investidores iniciantes e até de alguns um pouco mais experientes é fazer aplicações financeiras sem ter o devido conhecimento sobre a categoria de aplicação. Já imaginou disputar um jogo de determinado esporte, sem conhecer as regras da modalidade? As chances de perder a partida se tornariam muito grandes.

No mercado financeiro, investir sem conhecer a aplicação seria quase a mesma coisa. Como cada modalidade de aplicação é indicada para um perfil de cliente, é necessário saber de antemão se as características da aplicação atendem às necessidades do investidor.

Por exemplo, às vezes é necessário deixar o dinheiro aplicado por um tempo mínimo, chamado de prazo de carência. Num caso assim, quem precisa usar o recurso antes desse tempo tem que escolher outro tipo de investimento. Para não cair na falta de conhecimento e ter sucesso nas aplicações, quem aplica pode buscar educação financeira e contar com o auxílio de ajuda profissional para escolher os melhores investimentos.

2- Não ter objetivos financeiros

Aplicar dinheiro sem ter um propósito definido está entre os maiores erros dos investidores. Mesmo que o hábito da poupança seja recomendável, é preciso ter objetivos financeiros de curto, médio ou longo prazo para que as economias sejam destinadas para aplicações com boa rentabilidade.

Quando se guarda dinheiro somente pelo hábito de economizar, pode-se até ter perda real do poder de compra do valor acumulado, por exemplo, quando a quantia aplicada na caderneta de poupança rende menos do que a inflação de certo período. Por isso, é muito importante “casar” o tipo de investimento com o uso do dinheiro ou o objetivo financeiro.

Quer receber mais dicas sobre investimentos? Assine a nossa newsletter!

3- Excesso de confiança está entre os maiores erros

Enquanto nos investimentos de renda fixa o rendimento é relativamente previsível, como nos Certificados de Depósito Bancário (CDBs) e nas Letras de Crédito, nas aplicações de renda variável não há a certeza do lucro. Logo, nesse segundo caso, quem aplica deve ter um conhecimento mais aprofundado para decidir o momento certo de entrar e o de sair de uma operação.

Quando se alcança vários ganhos sucessivos na renda variável, como no mercado de ações, o indivíduo pode cair naquele que está entre os maiores erros dos investidores, que é justamente o excesso de confiança. O problema de confiar demais no próprio “taco” é que quem aplica tende a aumentar o valor das aplicações ao longo do tempo e, quando perde, o “tombo” pode ser grande.

Na renda variável, principalmente, o investidor deve ter consciência de que é apenas mais um no exército dos compradores ou dos vendedores de ativos. Por mais que tenha acertado várias vezes o lado da batalha que obteve a vitória, é sempre necessário ter cautela. Muitos ganhos podem ter sido fruto do contexto favorável e não da habilidade de quem aplica.

4- Não ter uma estratégia definida

O barco que vai para o mar sem um destino certo pode navegar em círculos e não sair do lugar. O investidor que quer ganhos consistentes no mercado financeiro deve ter um propósito bem definido e um método ou uma estratégia para alcançar os próprios objetivos.

Quando conhece o produto financeiro que vai adquirir e as condições dessa aplicação, o investidor reduz os riscos e aumenta as chances de lucro. Afinal, sabe o que está fazendo.

Já quem espera aquela notícia no jornal de que finalmente chegou o momento certo de investir na bolsa, por exemplo, pode pegar o bonde na hora errada. Afinal, quando esse tipo de informação chega ao grande público, é provável que as ações já estejam caras demais.

Efeito manada

Quando possui uma estratégia definida, por exemplo, aplicações automáticas todos os meses, o investidor não se deixa influenciar pelo vai e vem do mercado. Além disso, se tem um método próprio de decidir o momento certo de comprar e de vender ações, quem aplica também evita cair no chamado “efeito manada”, que é acompanhar as decisões da massa.

5- Não conter a emoção

Seguir influências emocionais, sem dúvida, está entre os maiores erros dos investidores. Quem faz as chamadas operações de day trade — aquelas que são abertas e fechadas no mesmo dia — já deve estar acostumado a lidar com os efeitos das emoções nas aplicações.

Pesquisas na área de psicologia do mercado apontam que as perdas têm mais impacto nos investidores do que os ganhos, mesmo que tenham igual valor monetário. Por esse motivo, é recomendável que o investidor leve em conta apenas a razão para tomar decisões.

Quando se considera apenas a emoção, como acreditar numa expectativa pessoal de alta de um ativo, o investidor pode se transformar num simples “torcedor” do movimento da cotação da ação. Se isso acontece, os prejuízos podem ser grandes e, em alguns casos, até consumir o todo o patrimônio aplicado.

6- Não aceitar perdas

No mercado de renda variável sempre há o risco de perda, afinal, os preços dos ativos podem subir ou cair. Portanto, quando se tem a intenção de lucrar com a variação do preço de uma ação, o investidor deve ter um plano B se o movimento do mercado for contrário ao que ele imaginou.

Para tanto, deve-se ter uma estratégia de gerenciamento de risco. Por exemplo, quando se estipula o chamado stop loss, que é um limite de perda, o investidor minimiza os prejuízos.

Conforme a estratégia, é possível ter lucro mesmo com apenas uma operação vencedora e três perdedoras. Tudo dependerá do limite de perdas em cada operação que não deu certo.

7- Deixar de diversificar os investimentos

Para fechar a lista com os maiores erros dos investidores, não podemos deixar de citar a falta de diversificação das aplicações. Quando se concentra o dinheiro em apenas um tipo de investimento, aumenta-se o risco de perda.

Afinal, se algo der errado, o investidor não tem para onde correr. Já quando se diversifica os investimentos entre renda fixa e variável, conforme o próprio perfil de risco, o indivíduo aproveita melhor as oportunidades do mercado financeiro e ainda se protege de maiores riscos.

Além dos equívocos que citamos no post de hoje, quais outros você acredita que devem estar entre os maiores erros dos investidores? Conte pra gente nos comentários aqui do blog e participe!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Finanças Pessoais

Relacionados