10 atitudes garantidas para poupar seu dinheiro!

Hoje vamos conversar sobre poupar dinheiro: o que mais a gente escuta por aí é que o brasileiro não economiza, não sabe poupar, ou que não se planeja financeiramente....
10-atitudes-garantidas-para-poupar-seu-dinheiro.jpeg

Hoje vamos conversar sobre poupar dinheiro: o que mais a gente escuta por aí é que o brasileiro não economiza, não sabe poupar, ou que não se planeja financeiramente. E pode até ser verdade, mas por que será que não temos a cultura da poupança? Muitos dizem que é por conta dos baixos salários, descontrole, dívidas, etc.

Eu tenho outra opinião: a meu ver, não poupar está relacionado à falta de objetivos e metas. Aquele negócio de colocar nossos sonhos no papel e entender o que precisa ser feito para os conquistarmos, entende? Para viajar para o exterior, você precisa economizar. O mesmo acontece com quem almeja encarar um plano de previdência privada: não há como fugir da economia. E para garantir o estudo dos filhos? Novamente, é necessário ajustar o orçamento.

Para poupar dinheiro, você deve seguir algumas estratégias, e é importante que seja à risca, sem recaídas ou regressões. Separei 10 dicas de como você pode poupar com sucesso e, assim, realizar seus sonhos e os de sua família. É importante que, aliado às dicas, você mantenha sempre o pensamento de que hoje o esforço pode ser grande, mas, no futuro, as recompensas valerão a pena!

 

1. Faça um planejamento financeiro

Não adianta. Não podemos falar em economia e poupar dinheiro sem falar em orçamento doméstico e planejamento financeiro. Você precisa saber exatamente a real situação das finanças e seu histórico de gastos.

Com todas as despesas e receitas na ponta do lápis, na planilha eletrônica ou no gerenciador financeiro, você consegue visualizar as obrigações e possibilidade de economia.

 

2. Defina um objetivo por vez

Sim, é claro que você deve ter dezenas de metas a serem cumpridas, certo? Mas não será possível realizar todas de uma só vez — você sabe disso, mas não quer admitir.

Antes de começar a poupar, você deve priorizar suas metas, partindo da mais importante para a menos importante. Somente quanto atingir o primeiro objetivo da lista, poderá começar a pensar no segundo tópico — e assim por diante.

 

3. Quite as suas dívidas

Não dá para pensar em economizar se você está com saldo negativo no banco, devendo o rotativo do cartão de crédito e com as mensalidades escolares em atraso. É preciso colocar o pé no chão e começar a negociar as pendências.

Com o banco, muitas vezes é possível consolidar todas as dívidas em uma só, parcelando o saldo devedor com débito direto em conta. Mas vale prestar atenção: se você está devendo no cartão, guardá-lo e parar de utilizá-lo por um bom tempo pode ser a melhor decisão da sua vida.

Dívidas com a escola também podem ser parceladas e, muitas vezes, com bons descontos para pagamentos à vista. Para não comprometer o orçamento, é interessante analisar o seu poder pagamento e somente fechar acordos que estiverem ao seu alcance.

 

4. Poupar qualquer quantia

Outro grande mito é de que, para poupar dinheiro, é preciso direcionar uma grande parte da sua renda para a poupança ou outro tipo de investimento. Totalmente errado! Não importa o valor que você tem disponível, o importante é poupar.

Tenhamos como exemplo uma família que possui apenas R$100 disponíveis ao mês. Aplicando esse valor mensalmente na poupança, cujo rendimento é de aproximadamente 6,5% ao ano, em 10 anos terão acumulados R$17 mil, valor que pode ser aplicado no estudo dos filhos ou, até mesmo, como entrada na aquisição de um novo imóvel.

 

5. Aplique assim que receber

Uma vez definido o montante que você irá poupar, aplique as quantias assim que os seus rendimentos ‘baterem’ na conta. Se você deixa para depois ou mais tarde, corre o risco de utilizar o valor para outros fins que não seja o compromisso com a poupança. Aí você já sabe: zero real poupado ou investido, o que é péssimo!

 

6. Controle os pequenos gastos

Uma estratégia bem simples que pode ajudar você a economizar, mas tenho certeza que você nem parou para pensar sobre: cortar os pequenos gastos do dia a dia.

Toda manhã você toma cafezinho na padaria, almoça no self-service, compra uma revista na banca ou, até mesmo, um chocolate depois do trabalho? Sinto informá-lo, mas esses pequenos gastos fazem uma enorme diferença no orçamento do mês. Claro que, vez ou outra, você pode se dar ao luxo de tomar um cafezinho, mas, enquanto precisar poupar dinheiro, reveja a necessidade!

 

7. Esqueça o cheque especial

Se sempre que você vai consultar o seu saldo no banco conta como saldo disponível aquele limite do cheque especial, é hora de mudar. A falsa ilusão de que o limite do cheque especial pertence ao seu dinheiro é mais do que prejudicial. Os juros são exorbitantes: em julho de 2016, por exemplo, a taxa de juros nessa modalidade de crédito foi de 293,8% ao ano!

Portanto, esqueça que o cheque especial existe. Tenha como saldo disponível para utilização apenas aqueles provenientes de suas rendas mensais que, quando utilizados, não incidem juros.

 

8. Compre sempre à vista

Eu sei que aquela compra em 24 vezes, com parcelas mínimas ao mês, é uma tentação para o seu bolso. Mas não caia nessa! Parcelamentos longos trazem consigo juros altíssimos que, no final das contas, representam quase o valor total do produto. Sério, pode fazer a conta.

Como você pretende dar uma trégua ao cartão de crédito — única opção que disponibiliza parcelamentos mais longos sem juros — e economizar, vale esperar um pouco mais e comprar os produtos à vista. Pode demorar mais para você ter o produto em suas mãos, porém, a sensação de não contrair dívidas e conseguir economizar para conquistar objetivos maiores é mais do que sensacional!

 

9. Guarde os rendimentos extras

Ao longo do ano você recebe muitas rendas extras, que não fazem parte dos vencimentos fixos mensais. Três bons exemplos são o 13º salário, a PLR e as férias. Em vez de gastar todos esses valores com supérfluos, viagens e itens que não são tão necessários, comece a pensar em poupar para o futuro.

Se juntando os 3 benefícios exemplificados você recebe R$5 mil, em 5 anos você já acumulou R$25 mil. Uma bela quantia, não é mesmo? Para isso, é necessário foco e planejamento. E é muito possível, pode acreditar.

 

10. Reveja seu estilo de vida

Quando falo em rever, não estou falando para você abrir mão do conforto da sua família. Quero dizer que você deve reanalisar como gasta o seu dinheiro com coisas que não farão a menor diferença no dia a dia.

Se a sua família prefere programas caseiros, mas adora viajar para outros países uma vez a cada dois anos, por exemplo, qual o sentido de ir jantar fora todo fim de semana? Não seria mais válido cortar ao menos três saídas mensais e poupar esse dinheiro para as viagens?

É, meu amigo, se quer poupar dinheiro, é importante ter em mente que você precisa abdicar de certas coisas e seguir um caminho rigoroso. Mas de uma coisa eu lhe falo: você se sentirá orgulhoso da sua família quando aqueles desejos que pareciam tão distantes forem alcançados!

Gostou das dicas? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de mais conteúdos como este!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Finanças Pessoais

Relacionados