Aula 1/18: Plantando a Semente – Introdução a Previdência

Conhecendo o terreno Que tal se preparar para ter uma renda de R$ 20.000,00 vitalícia lá na frente? Sim, é possível – e é mais fácil do que você...
aula 1 previdencia

Conhecendo o terreno

Que tal se preparar para ter uma renda de R$ 20.000,00 vitalícia lá na frente? Sim, é possível – e é mais fácil do que você imagina.

Quando falamos de investimentos, pensamos sempre no longo prazo. Temos em mente sempre àquela ideia de que precisamos investir por um longo tempo para fazer nosso capital crescer e usufruir dos frutos só lá na frente, quando já estivermos com mais idade. Mas agora.. qual o melhor método de aliar tempo e recursos nos nossos investimentos?

Você já deve ter ouvido falar do INSS, a previdência social. É hábito do brasileiro se identificar com ela e achar que essa previdência já vai garantir o seu futuro. Nada disso!!!

Acontece que a previdência social é um “investimento” muito ruim para quem busca se aposentar e ter uma boa renda que o sustente. É fácil colocar na ponta do papel o quanto rende o INSS no fim da “vida útil” e ver que isso não é o suficiente nem para pagar as contas. Mas não estamos aqui para criticar o que é inevitável, e sim para propor uma boa solução para esse problema de falta de dinheiro na velhice, afinal não trabalhamos uma vida inteira para… ter que continuar trabalhando, se quisermos manter o nosso padrão de vida.

Conheça a previdência privada! Ela é considerada como um investimento de longuíssimo prazo, um complemento para o INSS. Ela deve ser planejada com muita responsabilidade. Temos que ter em mente quanto queremos receber lá na frente, quanto podemos depositar periodicamente, o quanto pagaremos de impostos ao longo do tempo, quanto nós receberemos… Bom é muita coisa MESMO. Mas não se assuste, o primo rico está aqui para isso.

 

Arando a terra: Às formas de pagamento

Vamos lá, deixe-me partir para uma situação hipotética. Eu tenho meus 25 anos de idade e, portanto, já sou responsável financeiramente pela minha vida. Bom, eu não tenho muito dinheiro disponível não é? Tenho que pagar o aluguel, a empresa aonde eu trabalho cobre meu seguro de vida, mas eu também tenho um carro e… o IPVA está lá em cima. Mas eu sempre fui um cara pé no chão e como tal cortei algumas despesas. Reduzi o consumo de luz, cortei a TV e o telefone.. e comer fora? Nem de fim de semana!

Legal, com isso tudo sobrou 100 contos por mês depois das despesas e quero começar a me preocupar com o meu futuro. Tem previdência para mim com esse pouquinho? Tem sim!

Quando começamos a nos planejar para juntar dinheiro em uma previdência, temos que escolher um plano de pagamentos. As datas que podemos realizar os aportes e as quantias que podemos investir variam pelo plano e pelo lugar aonde contratamos a previdência. Ou seja, temos como encontrar um plano que seja viável para qualquer tipo de investidor.

Fique ligado! Existem muitos lugares que cobram taxas em cima de cada aporte que fazemos. Se fizermos aportes mensais, acabamos pagando uma nota para bancos e corretoras, sem perceber. Isso acaba ferindo gravemente o nosso montante e o resultado lá no fim é muito diferente do que esperávamos, então se atente!

 

Pagando pela semente: As tributações ao longo do caminho

Esse é um assunto bem delicado e que já tratamos aqui no blog (Nesse artigo aqui), mas é sempre bom relembrar (Fiquem ligados, pois traremos mais detalhes sobre isso em outro artigo do Primo).

O tema aqui são os modelos PGBL e VGBL. Quando contratamos uma previdência, devemos sempre optar por um dos dois planos.

No caso do PGBL, pagamos o imposto de renda todo de uma vez, em cada retirada que realizamos. Mas tem uma vantagem. A partir desse modelo eu posso postergar a cobrança de até 12% do meu IR anual, através de depósitos na previdência. Já no VGBL será cobrado de mim apenas o que a previdência render.

Novamente: Esse é um tema delicado que vai variar muito dependendo do perfil do seu investimento e até do tipo de negócio que você tem!! Temos sempre que lembrar que o Leão tem muita fome e se ele não for alimentado direito, quem perde é você.

 

Colhendo os frutos: Os métodos de recebimento

Novamente somos confrontados por escolhas (Olha como temos que entender previdência a fundo!). Aqui decidiremos como iremos desfrutar do montante que aplicamos durante todos esses árduos anos. De 100 em 100, ou com grandes aportes esporádicos de 1.000 ou 1.000.000, finalmente vamos receber de volta todo o capital investido.

Mas agora… ele vem todo de uma vez? Você quem sabe!

Existem diversas formas de recebimento do investimento. Podemos sim realiza um saque total do capital. Isso vai exigir muita responsabilidade do investidor. Afinal esse capital todo tem que durar até o fim das nossas vidas! E mais, retirando tudo de uma vez, pagaremos todo o imposto devido diretamente. Poxa, mas então de que outro jeito eu posso receber?

Podemos dividir o período da previdência em duas fases, a fase da acumulação e a fase da renda. Podemos começar a fase da renda assim que quisermos, mas não necessariamente devemos parar de aportar na previdência. A renda pode ser recebida de 3 maneiras:

  1. Retirada total, como já visto anteriormente;

 

  1. Recebimento vitalício, ou;

 

  1. Recebimento com data pré-determinada.

 

No caso do recebimento com data pré-determinada, é estipulada uma data até onde todo o dinheiro será retirado. Por exemplo, se temos 1 milhão depositado na previdência e decidimos que o pagamento será realizado ao longo de 10 anos, com depósitos todos os meses, receberemos 14.347,09 por mês.

Esse modelo é muito propício para quem está querendo fazer uma renda para uma outra pessoa, por exemplo, ou tem algo muito bem planejado e estruturado para a sua aposentadoria.

Novamente: essa data é estipulada pelo próprio investidor, portanto exige que ele tenha uma boa capacidade de se planejar.

Por fim temos o modo de renda vitalícia. Ele é muito similar ao modelo com data pré-determinada, mas o que define o fim da sua renda é uma tabela chamada de Tábua Atuarial. Através dessa tabela teremos uma estimativa de vida da população em um dado momento e a partir dessa informação definiremos o período de vida do investidor (Como a tábua atuarial tem muitos detalhes, trataremos dela em um artigo exclusivo). Temos que ficar ligados com a tabela em que estamos inseridos, pois ela é definida na hora da contratação da previdência e não no momento em que começamos a receber.

Dor de Cabeça - Previdencia

E se não tomarmos a decisão certa, ficaremos com uma baita dor de cabeça. Pra evitar esse tipo de coisa, se inscreve em nossa newsletter!!!!!!!!!!

 

Plantando em terra roxa: A qualidade da previdência

Bom, já vimos vários detalhes aos quais devemos nos ater ao contratar uma previdência e vários outros que precisamos prestar atenção ao longo do caminho.

Como eu já disse, ela é de longuíssimo prazo e é necessário um bom planejamento e muita calma quando tratamos de algo tão longe de nosso dia a dia. Temos que pensar em taxas ao longo do caminho, tabelas de cobrança e pagamento, previsão de aposentadoria e trabalho… enfim é muita coisa.

Mas e caso você já tenha uma previdência, já tenha definido isso tudo e… ELA É PÉSSIMA???

Como saber que ela é péssima?

O que fazer caso ela seja?

MEU DEUS!!!

Calma! Não se desespere. Isso tudo é muito simples. Esse é apenas o primeiro capítulo de uma série que estamos desenvolvendo aqui no Primo Rico. Com esse artigo você já tem um guia básico, uma impressão do que você vai precisar saber para ter a melhor previdência para você.

Nos próximos artigos e vídeos que postaremos em breve aqui no blog, tudo ficará muito mais claro!

Então não deixe de acompanhar as postagens e seguir nossa página no Facebook para ficar atualizado com todas as novidades do Primo.

Você já tem uma previdência? Que bom! Agora descubra porque ela é péssima!!! Em nossa próxima aula, saiba sobre as taxas e custos e fique ligado nas melhores oportunidades que existem no mercado! Alguma dúvida em nossa primeira aula? Deixe sua dúvida no comentário que respondemos! :)

 

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Previdência Privada

Relacionados