Como planejar a aposentadoria?

Uma das grandes preocupações dos profissionais da atualidade é a questão da aposentadoria. Será que é possível deixar de trabalhar e ainda assim ter uma vida tranquila e com...
Como planejar a aposentadoria

Uma das grandes preocupações dos profissionais da atualidade é a questão da aposentadoria. Será que é possível deixar de trabalhar e ainda assim ter uma vida tranquila e com uma renda que seja proporcional aos gastos que existirão nesta fase? Será que as constantes mudanças na perspectiva de vida, influenciando a legislação da Previdência Social e que aumentam o tempo de trabalho podem ter seus efeitos mitigados e complementados pela previdência privada? Será que já posso começar a pensar em um plano de previdência privada ou já passei da idade para isso? Com base nestes questionamentos, hoje listamos algumas dicas que poderão te ajudar a planejar a aposentadoria e garantir um futuro tranquilo!

Qual é o seu objetivo?

É muito importante definir o quanto antes qual é o seu objetivo de vida e como você se vê no futuro. Depois disso, é necessário começar o planejamento para que tudo isso que você deseja seja possível. Com quantos anos você pretende parar de trabalhar? Que renda aproximada cobre seus gastos? Lembrando que, com o avanço da idade, podem surgir gastos com medicamentos, tratamentos e outras questões relacionadas à sua saúde.

Procure responder a todas estas perguntas de forma bastante sincera e lembre-se de que a juventude é a melhor fase da vida para pensar no futuro, uma vez que se tem bastante tempo, o que permite investir menores parcelas de recursos mensalmente.

Qual será sua fonte de renda?

Sempre foi muito comum que, no Brasil, boa parte da renda dos aposentados fosse proveniente da Previdência Social, mas a o aumento da expectativa de vida da população e as mudanças decorridas dele também causaram grande impacto nos cálculos da Previdência. Assim, os valores máximos estão cada vez menores e a burocracia cada vez maior.

É aí que entra a importância de se começar a pensar em um complemento de renda, e isso, normalmente, é feito por meio da previdência privada. Neste tipo de aplicação, o tempo é o seu maior aliado! Quanto mais jovem for o contribuinte, menores poderão ser as parcelas investidas, devido ao maior tempo de contribuição. Mas mesmo contribuintes mais velhos podem usufruir dos benefícios deste tipo de aplicação.

Qual o melhor plano de previdência privada?

Aqui no Brasil, temos duas modalidades de previdência privada: o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), que é o tipo mais indicado para quem faz declaração de imposto de renda pelo modelo simplificado ou ainda é isento. Essa última modalidade não permite que você use os valores investidos na declaração de imposto de renda como contribuição, mas a vantagem dela é que o imposto é cobrado apenas sobre os rendimentos.

Já o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) é o mais indicado para quem faz a declaração completa de IR, pois é possível deduzir até 12% de sua renda bruta da base de tributação. Uma grande vantagem, não é mesmo? Neste tipo de aplicação, o IR incide sobre o valor total acumulado no momento do resgate.

Não se esqueça de que estas modalidades de aposentadoria poderão ser tributadas pela tabela progressiva ou regressiva,  e essa opção deverá ser feita de acordo com sua renda e seus objetivos financeiros, ok?

Depois de definir seus objetivos, de entender como será sua renda no futuro e de como isso poderá ser complementado por meio da previdência privada, chegou a hora de definir qual é o melhor tipo de aplicação pra você.  Aí é ter foco e muita disciplina para pensar a longo prazo e não desistir no meio do caminho. Lembre-se sempre que você está investindo no seu futuro!

E então, você já começou a planejar a sua aposentadoria? Quer compartilhar a sua experiência conosco? Deixe um comentário, queremos saber a sua opinião!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Aposentadoria

Relacionados