7 dicas para planejar uma ótima aposentadoria

É inegável que incertezas pairam sobre o cenário econômico e que é provável que o tempo de contribuição do INSS mude. Com essas possibilidades, planejar a aposentadoria tornou-se fundamental para ter uma vida...

É inegável que incertezas pairam sobre o cenário econômico e que é provável que o tempo de contribuição do INSS mude. Com essas possibilidades, planejar a aposentadoria tornou-se fundamental para ter uma vida tranquila e independente no futuro. Porém, para que isso aconteça você precisa definir ações e passos a serem dados para constituir uma reserva que você possa utilizar quando decidir se aposentar.

Foi pensando nisso que resolvemos escrever este artigo com 7 dicas para você planejar a aposentadoria. Confira.

1. Começar o planejamento o quanto antes

Um dos erros graves cometidos por pessoas mais jovens é se acharem novos demais para começarem a pensar em aposentadoria. É preciso se atentar a um detalhe básico: quanto mais cedo você começar a planejar a sua, mais barata será a contribuição mensal. Além disso, maior será o retorno financeiro obtido ao final do período de investimento ou acumulação de capital.

Para você entender melhor, vamos mostrar um exemplo muito simples. Suponhamos que você tenha 21 anos e deseja investir R$ 200 por mês para parar de trabalhar aos 55 anos. Nesse caso você receberia mensalmente R$ 1.650,92 após o término da aplicação.

Utilizando os mesmos dados, alterando apenas a idade da pessoa para 40 anos, por exemplo, o valor cairia para R$ 236,74.

2. Planejar a aposentadoria independente do INSS

Em se tratando de simplicidade e facilidade, a previdência social poderia ser a forma mais indicada para quem não tem tanta preocupação com suas finanças no futuro. No entanto, não é difícil encontrar aposentados pelo INSS que realizam trabalhos extras buscando uma fonte de renda alternativa. O que eles buscam com isso é incrementar os ganhos mensais providos pelo instituto.

Isso acontece porque a previdência social remunera pouco os seus segurados. Existe um cálculo complexo para a determinação do montante mensal a ser recebido que não conseguiríamos descrever em um artigo. Mas podemos afirmar que o valor da aposentadoria nunca será igual ao último salário de um contribuinte ativo.

Além disso, a aposentadoria oficial corre um sério risco de sofrer alterações bruscas que podem aumentar o tempo de contribuição de uma pessoa para que ela comece a receber o benefício.

Sendo assim, planejar a aposentadoria, desvinculada do INSS é uma das primeiras ações que você deverá tomar em busca do futuro tranquilo e independente.

3. Contribuir com o INSS

Como mencionamos no item anterior, você deve planejar a sua aposentadoria de modo desvinculado do INSS. No entanto, isso não significa que você poderá deixar de contribuir com ele.

Primeiro, se você tem uma empresa ou é um funcionário assalariado, obrigatoriamente deverá pagar um percentual mensal, descontado em seu recibo de pagamento. Mas se você for um autônomo ou profissional liberal, é muito importante continuar contribuindo com o INSS.

Isso porque além de poder servir como um incremento de renda, o instituto funciona como uma seguradora em casos de doenças ou algumas situações especiais em que você deverá permanecer afastado por certo tempo das suas atividades normais.

4. Ter um objetivo em mente

Outro passo importante para planejar a aposentadoria é definir um objetivo claro e específico. Realizar esse planejamento sem mensurar uma meta pode ser uma tarefa extremamente complexa que, inclusive, pode nunca chegar a acontecer.

Portanto, seu propósito pode, por exemplo, ser parar de trabalhar quando completar 60 anos de idade e receber mensalmente um valor de R$ 5 mil. Fazendo isso você terá em mente que deverá constituir uma reserva que, no tempo restante para chegar até aquela idade, remunere o valor desejado.

5. Utilizar a previdência privada

previdência privada é uma excelente alternativa para aqueles que não querem depender apenas do INSS. Ao contrário da contribuição mensal obrigatória, existem várias opções de que você pode escolher.

Com esse tipo de investimento é possível determinar quanto você quer receber mensalmente quando aposentar, por exemplo. Bem como o tempo que deverá contribuir e o valor mensal a ser pago.

Existem dois tipos de previdência privada, o Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL) e o Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL). O segundo é ideal para quem transmite sua declaração do imposto de renda de forma simplificada ou para isentos. Já o primeiro é indicado para aqueles que enviam o formulário completo do IR.

Além desses dois tipos de planos é possível escolher o regime tributário de cada um deles, que pode ser o regressivo — quando o percentual pago a título de IR reduz ao longo do tempo. Ou o progressivo, que é quanto a tributação aumenta à medida que os meses passam.

6. Realizar investimentos de longo prazo

Além da previdência privada, outra forma de planejar a aposentadoria é realizar algum investimento de longo prazo. Assim, os valores obtidos pela rentabilidade da aplicação poderão ser utilizados para proporcionar segurança e liberdade financeira.

O ideal é que você escolha investimentos que, além de ter uma boa taxa de retorno, tenham um baixo risco. Alguns exemplos de aplicações de longo prazo que podem ser utilizados em seu planejamento de aposentadoria são:

7. Realizar um bom controle financeiro

A última dica está relacionada ao andamento de todo o processo. Não há como planejar a aposentadoria sem realizar um controle financeiro eficiente. Independentemente do seu objetivo, cuidar das suas finanças pessoais é essencial para conseguir realizá-lo.

Como esse processo de planejamento requer o pagamento mensal de alguns valores, sejam a título de contribuição com o INSS, previdência privada ou outro tipo de aplicação, a falta de depósito em alguns meses pode atrasar, e muito, a concretização dos seus planos relacionados à sua aposentadoria.

Sendo assim, é essencial que você controle todos os seus gastos e identifique as suas despesas de modo que o planejamento da aposentadoria não seja prejudicado. Portanto reserve um percentual mensal de tudo o que você ganha para ser investido em seus objetivos financeiros futuros.

Gostou deste artigo sobre como planejar a aposentadoria? Ficou com alguma dúvida ou tem algo para acrescentar a este post? Então deixe seu comentário logo abaixo! Seu feedback é muito importante para nós.

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Aposentadoria

Relacionados