4 opções de investimentos para aposentadoria

Não é de hoje que a aposentadoria pelo INSS não é das mais atrativas. Com um teto de quase R$5,5 mil, os benefícios dos aposentados são insuficientes para que...

Não é de hoje que a aposentadoria pelo INSS não é das mais atrativas. Com um teto de quase R$5,5 mil, os benefícios dos aposentados são insuficientes para que eles mantenham o mesmo padrão de vida que têm enquanto ainda estão trabalhando.

Por isso, pensar em uma complementação passou a ser uma boa ideia. Ainda mais agora, diante das mudanças previstas para o sistema previdenciário que devem tornar a aposentadoria menos acessível para a população.

Em outras palavras, é hora de pensar em investimentos para aposentadoria. Então, para te ajudar nisso, vamos analisar aqui cinco opções. Continue lendo e confira!

4 investimentos para aposentadoria

1. Planos de previdência privada

Como uma poupança, o plano de previdência privada recebe do investidor depósitos que terão rentabilidade ao longo do tempo. O investimento pode ser feito de uma só vez, ou em várias parcelas, de acordo com a disponibilidade financeira que a pessoa tiver.

O sistema é fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), o órgão do Governo Federal que tem por finalidade administrar a previdência complementar, os seguros, os resseguros e os títulos de capitalização brasileiros.

Atualmente, existem no país dois tipos de previdência privada: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

Geralmente, o PGBL é indicado para as pessoas que optam pela declaração do Imposto de Renda (IR) no modelo completo. Isso porque ele permite abater até 12% da base de cálculo do IR da renda bruta anual tributável, que é aquela obtida com salários, rendas de aluguéis etc.

Por exemplo: quem ganha R$10 mil por mês, e aplica R$1 mil em PGBL, pagará imposto somente sobre R$9 mil. Mas, para obter esse benefício, o aplicador tem que ser contribuinte do INSS.

Já no VGBL, a tributação é sobre o ganho de capital, e não existe dedução fiscal sobre o valor aplicado. Por isso, ele é mais indicado para que opta pela declaração simplificada do IR, que tem desconto padrão de 20%.

No VGBL, quem aplica R$1 mil ao longo de um ano, por exemplo, e obtém R$140 de ganho no final do período, pagará imposto somente sobre esse valor a mais.

2. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a BM&F Bovespa para a facilitar o acesso de investidores de todos os portes aos títulos públicos federais.

Nesse caso, são várias as modalidades de títulos existentes. Mas, como estamos falando de aposentadoria, o raciocínio deve ser dirigido para um título que apresente boa rentabilidade a médio e longo prazo.

Assim, quem deseja obter uma boa renda mensal para depois de se aposentar, deve preferir o Tesouro IPCA. Esse título é pós-fixado pela correção da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e acrescido de juros prefixados, que são ofertados na data de compra do título.

Ao contrário dos títulos de rentabilidade em curto prazo — ideais para quem está pensando em renda —, o Tesouro IPCA é ótimo para quem deseja elevar o próprio patrimônio para ser usufruído na aposentadoria.

A rentabilidade dos títulos do Tesouro Direto sofrem tributação conforme a escala abaixo:

  • para aplicações com vencimentos em até 180 dias, a alíquota é de 22,5%
  • entre 181 e 360 dias, 20%;
  • acima de 360 dias até 720 dias, 17,5%;
  • acima de 720 dias, 15%.

3. Ações

A maior parte das empresas bem estruturadas, que negociam ações nas bolsas, paga dividendos a seus acionistas. E, em muitos casos, o valor da ação não aumenta ou pode até sofrer uma ligeira baixa.

Mesmo assim, como forma de recompensar e de manter os velhos investidores, ainda atraindo os novos, as empresas ainda pagam dividendos.

Nesse sentido, investir em ações que pagam bons dividendos pode ser um método interessante para formar um patrimônio em longo prazo.

O que é o a intenção de quem pretende ter uma boa renda para quando parar de trabalhar, não é?

Tenha em mente, contudo, que o investimento em ações tem a desvantagens dos riscos elevados, que precisam ser avaliados continuamente.

Sem esse cuidado, o que, inicialmente, parecia ser um ótimo investimento, pode se transformar em um prejuízo monumental!

4. LCAs e LCIs

Por fim, as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) são títulos emitidos pelos bancos para permitir a captação de dinheiro no mercado para ser investido no agronegócio brasileiro.

Logo, podemos dizer que quem investe em LCA está, indiretamente, emprestando dinheiro para o produtor rural e as empresas associadas ao segmento agropecuário. As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), por sua vez, são títulos emitidos para captar recursos que serão investidos no mercado de imóveis.

De fato, as rentabilidades das LCAs e das LCIs variam. Elas podem ficar numa faixa de remuneração entre 80% e 85% da CDI — o que geralmente, é pago pelos grandes bancos. Ou na faixa de 90% e 95% da CDI, que pagam os grandes bancos.

E vale ressaltar que, além de uma boa rentabilidade, as LCAs são bastante seguras. Isso porque são protegidas pelo Fundo Garantidor do Crédito (FGC), a mesma instituição que garante a Caderneta de Poupança.

Assim, caso o banco que recebeu o investimento entre em falência ou seja liquidado, o FGC indeniza o investidor. É preciso ter em mente, no entanto, que no FGC essa indenização será de, no máximo, R$250 mil para investimentos feitos sob um mesmo CPF.

Ora, R$250 mil não chega a ser um belo patrimônio para quem está pensando em uma aposentadoria confortável, certo?

Portanto, para fazer investimentos acima desse valor sem correr riscos, é preciso distribuir as aplicações por tantos bancos quanto for necessário. E talvez esse seja um trabalho recompensador, sobretudo se considerarmos que esses títulos não são tributados pelo IR.

Enfim, gostou do post? Agora que viu este panorama sobre as opções de investimentos para aposentadoria, aprofunde o seu conhecimento sobre qual é o melhor investimento para aposentar.

E aproveite também para nos seguir no Facebook, e fique por dentro de nossos próximos conteúdos!

Deixe aqui o seu comentário

comentários

Categories
Aposentadoria

Relacionados